quinta-feira, 28 de agosto de 2014

.HANOI (PARTE-2)

Iniciámos o nosso segundo dia em Hanoi exactamente no mesmo local onde havíamos terminado na véspera.


Lago Hoàn Kiem
Com o lago Hoàn Kiam como cenário,estávamos sentados num banco de jardim com o mapa na mão a tentar organizar o nosso itinerário para hoje e enquanto comíamos uma sandwish e fazíamos os nossos planos reparámos que um senhor sentado num outro banco mais à frente,nos observava fixamente.A certa altura levantou-se e caminhou na nossa direção o que nos levou a pensar:"Lá vem este gajo tentar impingir-nos qualquer coisa!".
O Homem já com uma certa idade estava completamente fardado com trajes militares,andava de maneira esquisita e com cara de poucos amigos ficou por breves momentos em silêncio a olhar para nós (o que causou uma estranha sensação de desconforto). "que merda é esta"-pensei eu.
Naquela altura pusemos de parte o mapa e todas as nossas atenções se fixaram naquela personagem que parecia ter saído de um qualquer filme de Hollywood.
Num inglês um pouco rudimentar perguntou se precisávamos de ajuda,ao que respondemos simpaticamente que não...O homem não se deu por vencido com o nossa primeira tentativa de evasão e voltou a contra-atacar com algumas perguntas de circunstância.
"-de que país são?
"-há quanto tempo estão no Vietname?"
"-estão a gostar?"
"-e o que acham de Hanoi?"
Pouco a pouco aquela expressão fechada deu lugar a um sorriso e acabámos por ficar ali à conversa mais de uma hora.
Entre outras coisas confessou-nos ser um orgulhoso vietnamita e que fazia parte da historia do país,pois tinha pertencido ao exercito que em abril de 1975 derrotou as tropas do sul e os americanos,acontecimento que marcou o fim da guerra do Vietname.Guerra essa que para ele o marcou acima de tudo pela morte de dois irmãos,vitimas das atrocidades cometidas pelos norte americanos.Apesar de triste com essa situação,admitiu que o tempo se tinha encarregado de apagar as mágoas e que hoje em dia não guardava qualquer rancor pelas pessoas que segundo ele "com os seus actos ajudaram a tornar o Vietname um país ainda mais forte".
Este foi uma das melhores conversas que tivemos durante a nossa viagem e aquela personagem sinistra e que inicialmente nos inspirou pouca confiança,acabou por se revelar bastante afável e de certa forma um pouco paternal.






Depois das despedidas,seguimos o nosso caminho atraídos pelo som da música e agitação que reparámos existir algumas centenas de metros mais à frente.Todo aquele alarido era o resultado de um hábito bastante comum por estas bandas.Diariamente (ao amanhecer e ao final da tarde) juntam-se várias dezenas de pessoas de todas as idades para exercitar os corpos com diversas atividades que vão deste aulas de Tai Chi a aulas de dança.






Quando estivemos em Ho Chi Minh City tínhamos visto algo semelhante,mas aqui pareceu ser numa "escala" superior pois a cada cem metros cruzavamo-nos com um grupinho de "jovens" todas elas com idades superiores a 60 anos (algumas mesmo com talvez 80) que dançavam e se exercitavam de uma forma tão ágil capaz de fazer  inveja a muitos adolescentes ocidentais.








Ainda contagiados por esta incrível onda de boa disposição e sempre acompanhados pela música ritmada das várias discotecas ambulantes existentes,fomos caminhando até chegarmos a uma ponte vermelha que nos permitiu aceder a uma ilhota situada no meio das águas do lago Hoàn Kiem,ilha essa que acolhe um templo chamado Ngoc Son erguido no sec.XVIII.
É necessário pagar 10.000VND para poder visitar.


Acesso ao Templo


Entrada


Entrada


Representação da tartaruga

De acordo com uma lenda terá sido neste local que o imperador Le Loi recebeu dos céus uma espada sagrada que usou para combater,derrotar e expulsar as tropas chinesas que ocupavam o Vietname.Depois da Batalha a espada foi devolvida aos deuses através de uma tartaruga gigante que habitava no lago.
No interior da pagoda além de um altar está exposta uma réplica de tamanho reduzido da tal tartaruga que muitos acreditam ainda andar por aqui...


Templo Ngoc Son


Replica da tartaruga

Ainda nas águas do lago Hoàn Kiem,mas mais a sul ergue-se uma torre de pedra a que os locais dão o nome de Thap Rua (torre da tartaruga) e que supostamente estará também ligada à lenda que referimos anteriormente.


Thap Rua (torre da tartaruga)


Thap Rua (torre da tartaruga)

Hoje estávamos mais à vontade no que diz respeito ás horas e pudemos andar um pouco ao acaso pela cidade sem ter um destino como ponto de referência.
Como tal afastámo-nos do lago Hoàn Kiem e penetrámos naquele emaranhado de ruas e quase sem querer descobrimos a bonita catedral de São José (St. Joseph) ou catedral de Notre Dame de Hanoi.


Catedral de S. José

Este é o mais antigo espaço religioso católico da cidade e também a sede da arquidiocese de Hanoi.
Foi construída em 1886 pelos franceses.
A entrada é livre e diáriamente por volta das 11:00 am ainda é rezada uma missa em francês.
Pela altura do Natal a comunidade cristã de Hanoi (cerca de 4000 crentes) reune-se neste local.

Por aqui e à semelhança de Ho Chi Minh City,podemos encontrar alguns testemunhos  da época da colonização francesa e para além desta catedral,da área do  palácio presidencial (que visitamos na véspera) ainda nos cruzámos com a bonita Ópera de Hanoi o famoso bairro francês,situado mais a sul e onde abundam construções,sejam elas simples casas,palacetes ou igrejas de estilo colonial.

Muitos destes edifícios do French Quarter ainda se encontram em perfeitas condições e alguns deles foram completamente restaurados e convertidos em hotéis e restaurantes de luxo.


Opera de Hanoi (French Quarter)


Hotel Metropole Hanoi (French Quarter)

Por falar em restaurantes...já deviam ser praí umas 16:00 quando nos apeamos para almoçar,e à semelhança do que fizemos quase sempre durante esta viagem optámos por um dos muitos restaurantes locais com os típicos banquinhos e mesas coloridas com pouco mais de um palmo de altura e onde nos podemos deliciar com comida tradicional a preços irrisórios.
Desde o nosso primeiro dia no Vietname que andávamos com vontade de experimentar Bún chà,mas adiámos sucessivamente o nosso desejo porque havíamos lido que era em Hanoi que se podia comer o melhor e mais delicioso de todos.
O Bún Chà 34 é um estabelecimento simples e à chegada ninguém fica entusiasmado com o aspeto e apresentação do estaminé,mas aquele cheirinho não engana...aqui serve-se Bún Chà...e dos bons!


Bún Chà 34


Bún Chà 

Entrámos,fizemos o pedido e lá nos sentámos com os poucos vietnamitas que aquela hora tardia comiam a sua refeição.

Minutos depois tínhamos o pitéu diante nós e enquanto o diabo esfrega um olho deliciamos-nos com a melhor comida das últimas duas semanas...PERFEITO!!!
Para os interessados deixamos aqui a morada:Hàng Than 34,Ba Dinh,Hanoi.
https://plus.google.com/111988863681646836559/about?gl=pt&hl=pt-PT

Depois deste manjar dos deuses e com o dia a proximar-se rapidamente do fim,regressámos à área do lago Hoàn Kiem e em jeito de despedida resolvemos ir assistir ao famoso espetáculo das marionetas na água (water puppet show) que se realiza diariamente no teatro Thang Long.



Teatro Thang Long

O "show" tem uma duração de aproximadamente 45 minutos e relata o dia-a-dia do povo Vietnamita,assim como algumas lendas e historias locais.
O preço dos bilhetes varia entre 60.000VND e 100.000VND e podem ser comprados directamente na entrada do teatro.


Water Puppet Show


Water Puppet Show


Water Puppet Show

Não se pode dizer que o espetáculo seja algo de extraordinário.Seja como for vale a pena ir assistir.
Nestes últimos dias o tempo tinha passado a uma velocidade alucinante e estas foram as nossas derradeiras horas em Hanoi.
Enquanto fazíamos o caminho de volta ao hotel,aproveitámos para jantar e fazer algumas compras...Amanhã por esta hora estaremos a bordo de um barco na maravilhosa Baía de Halong.
Será que a achámos assim tão maravilhosa?


Em baixo podem aceder a todas as nossas crónicas sobre o Vietname:
Good morning Vietneme
Ho Chi Minh
Túneis de Cu Chi
Hoi An
Ruinas de My Son
Hué parte 1
Hué parte 2
Hanoi parte 1
Hanoi parte 2
Halong Bay


Podem acompanhar as nossas viagens e ver todas as fotos desde e outros destinos na página do Diario das Viagens no Facebook.

Sem comentários:

Enviar um comentário