domingo, 17 de agosto de 2014

.HUÉ-A CIDADE IMPERIAL (PARTE-2)

Hoje o dia amanheceu praticamente idêntico ao anterior.O céu continuava cinzento e a temperatura não convidava a grandes frescuras.Mesmo assim não desmoralizámos.
Se na véspera havíamos explorado a cidade de bicicleta,hoje decidimos fazê-lo de maneira diferente.
Deixámos o hotel bem cedo e caminhámos em direção ao rio do perfume,pois seria aí que contávamos apanhar um barco para,desta forma irmos conhecer mais dois túmulos imperiais situados nas margens do rio (já bem fora dos limites da cidade).


Dragon boats Hué
Chegados ao cais,o primeiro objetivo seria conseguir negociar um preço que achássemos aceitável com o dono de um dos vários barcos típicos,chamados "Dragon Boats",para nos levar aos locais que tencionávamos visitar.
Depois de alguma discussão lá chegámos a um acordo e o valor estipulado foi de vinte dólares pelo trajecto que nos levaria rio a baixo até aos túmulos dos antigos imperadores Khai Dinh e Minh Mang e regresso ao ponto de partida.
Ficou também claro que só pagaríamos quando estivéssemos de volta.


Dragon boats Hué

Fomos então convidados a entrar no barco e após várias explicações ficámos a saber que a viagem de ida levaria duas horas e o regresso uma hora e meia.
Logo de seguida deixámos o cais e iniciámos a viagem que segundo tínhamos lido era um passeio bastante agradável e que para falar verdade até nos ia saber bem.Se andávamos à procura de um pretexto para conhecer mais um pouco de Hué ao mesmo tempo que dávamos descanso ás nossas pernas...aqui estava ele!





A bordo no típico Dragon boat


A bordo no típico Dragon boat


Navegando nas aguas calmas do Rio do Perfume

O que não dava mostras de querer melhorar era o tempo,que a certa altura ainda nos presenteou com algumas gotas de chuva,mas mesmo assim a viagem estava a ser bastante agradável.Gostávamos bastante de tudo o que íamos vendo.Aqui e ali podémos observar os habitantes que vivem ao longo do rio nas suas atividades diárias,ora nas suas casas modestas ora nos barcos com que nos cruzávamos de vez em quando,e à medida que íamos avançando desfilavam também diante nós alguns dos locais que tínhamos visitado no dia anterior.


Pagoda Thien Mu








Aldeia na margem do rio

A verdade é que só nos apercebemos que já tinham passado duas horas quando o barco atracou e nos foi dito que aquela era a paragem para o túmulo do imperador Khai Dinh.
Já sabíamos de antemão que a distância entre este ponto e o túmulo era de cerca de 2 kms,e até não nos importávamos de ir a pé,o problema é que não sabíamos em que direção havíamos de seguir.
Reparámos que um pouco mais à frente se encontravam duas senhoras sentadas nas suas motas,que provavelmente seriam a solução este imbróglio.
Fomos ter com elas e depois de uma negociação serrada lá conseguimos que por 50.000VND por pessoa nos levassem ao túmulo,esperassem por nós e nos trouxessem de volta.O trajecto de ida não demorou mais de quatro minutos.

O bilhete de acesso ao túmulo custa 80.000VND,mas como estava incluído no "ticket" combinado que havíamos comprado na véspera,só precisámos mostra-lo ao segurança e seguir.
Assim que entrámos e mesmo sem ter-mos visto grande coisa,fomos imediatamente arrebatados pela beleza que tínhamos diante nós.


Túmulo do Imperador Khai Dinh

O túmulo de Khai Dinh (penúltimo imperador da dinastia Nguyễn) que governou o país entre 1916 e 1925 demorou oito anos a ser construído e segundo registos da época,o imperador nutria uma admiração especial por tudo o que que relacionava com o ocidente e muitos dos detalhes espalhados pelo complexo são uma prova clara desse fascínio.Desde logo a grande diferença entre este túmulo e todos os outros é que foi construído em cimento,algo nunca visto até então.Outra característica que o diferencia dos demais são as estátuas dos mandarins (situadas no segundo patamar).Todas elas foram esculpidas com faces de aparência euro-asiática.


Túmulo do Imperador Khai Dinh
Túmulo do Imperador Khai Dinh
Mandarins

Mesmo com todas estas "inovações" que lhe permitiram fazer algo completamente fora do contexto da época em que vivera,Khai Dinh nunca abandonou as suas raízes e vistas bem as coisas a beleza deste local está precisamente na diferença.


Detalhes
Detalhes

Após  ter-mos subido vários lances de escadas chegámos ao terceiro patamar,onde se encontra um palácio finamente decorado e no seu interior,está sepultado o antigo imperador.
Ficámos por aqui alguns momentos a admirar este impressionante trabalho artístico e depois lá nos encaminhámos para a entrada do palácio situada do lado direito.Lá dentro a magia continua,e mesmo não sendo muito grande este é sem duvida um espaço digno de um imperador.


Palácio
Palácio


Palácio

No que toca à decoração nada foi deixado ao acaso.Todas as superfícies estão cobertas de pinturas,esculturas e azulejos.
O palácio está dividido em três salas,sendo que a segunda e a terceira são as mais impressionantes.Numa delas (terceira) é onde estão expostos vários objetos pessoais assim como uma estatua de bronze em tamanho real de Khai Dinh.


Estátua de Khai Dinh

A grande atração é a sala do túmulo (segunda),que se ergue por detrás de um altar e no topo podemos ver uma imponente representação do imperador sentado no seu trono.


O Túmulo
O Túmulo


De seguida e após ter passado duas horas desde que deixámos as nossas "moto-taxistas" à seca,voltámos à entrada do complexo,onde elas nos esperavam já com cara de poucos amigos.Como deveriam ser pessoas de pouca paciência decidiram que queriam mais dinheiro para compensar o tempo de espera,a que nós respondemos que não pagaríamos nem mais um cêntimo e que se não estavam contentes podiam ir embora.Como tinha ficado acordado pagar só quando regressássemos ao barco,lá nos levaram (contrariadas) e pouco depois estávamos de novo a bordo do Dragon Boat.




Para chegar ao nosso próximo destino só precisámos de atravessar o rio.O túmulo do Imperador Minh Mang fica somente a uma centena de metros da margem,por isso caminhámos até à porta principal e como tínhamos o bilhete combinado,bastou apresentá-lo ao porteiro e entrar.


Antiga entrada para o complexo
Este é o maior de todos os complexos funerários que existem na área de Hué.A sua construção iniciou-se em setembro de 1840,mas quatro meses depois desta data o imperador adoece e acaba por morrer.Com os trabalhos a meio Minh Mang é substituído no trono pelo seu filho Thieu Tri que se compromete em honra do pai a terminar a obra.Em 1843 o espaço está pronto e recebe finalmente o corpo do antigo imperador.


Um dos vários pavilhões existentes
Interior do Pavilhão 

Mais uma vez deu para ver que o estilo utilizado na construção está dentro daquilo que era normal para a época,e o que vimos acabou por ser de certa forma idêntico aos outros túmulos que havíamos visitado durante os dois últimos dias.


Influencia chinesa bem presente

Influencia chinesa bem presente

O complexo está cercado por uma densa floresta e ao todo é composto por quarenta edifícios,de onde se destacam alguns palácios,templos,pavilhões e como é obvio o túmulo de Minh Mang.Grande parte destas estruturas estão perfeitamente dispostas em linha recta ao longo de setecentos metros desde a porta principal até ao túmulo que se encontra no extremo oposto.
Todo o caminho é feito através de corredores,escadas e pontes que atravessam vários pátios e alguns lagos,o ultimo dos quais é chamado lago da lua nova,e depois de o atravessar chegámos finalmente à derradeira morada do imperador.


Portal

Caminho sempre em linha recta

Caminho sempre em linha recta

Escadaria de acesso a um dos pavilhões

Ponte sobre o lago da lua nova

O túmulo encontra-se numa colina artificial,rodeado por um muro que protege uma espécie de palácio subterrâneo onde se encotra o corpo de Minh Mang.Esta zona está vedada ao público e só é aberta uma vez por ano (no dia do aniversario da morte do imperador).


Túmulo do imperador Minh Mang


Por hoje a nossa visita fica por aqui.Depois de abandonarmos o túmulo regressámos ao barco e fizemos o trajecto no sentido contrario até Hué.
Amanhã a viagem continua em Hanoi.

Em baixo podem aceder a todas as nossas crónicas sobre o Vietname:
Good morning Vietneme
Ho Chi Minh
Túneis de Cu Chi
Hoi An
Ruinas de My Son
Hué parte 1
Hué parte 2
Hanoi parte 1
Hanoi parte 2
Halong Bay

Podem acompanhar as nossas viagens e ver todas as fotos desde e outros destinos na página do Diario das Viagens no Facebook.

Sem comentários:

Enviar um comentário