quinta-feira, 6 de novembro de 2014

.VISITAR A ILHA DE GOZO - MALTA

O que visitar em Malta

Hoje o dia promete ser longo e de forma a tirar o máximo partido do tempo que dispomos, acordámos um pouco mais cedo do que tem sido habitual. Ainda não eram oito da manhã e já estávamos na rua prontos para apanhar o bus 222 que nos lavará de Sliema até ao Porto de Cirkewwa, onde chegamos em menos de uma hora. É deste local que diariamente saem os Barcos para a Ilha de Comino assim como os ferrys para a Ilha de Gozo, o nosso destino de hoje.
Assim que entrámos no terminal fluvial ficámos imediatamente com a sensação que não iria ser fácil embarcar. Meio assustados com tamanha confusão juntámo-nos aos milhares de pessoas que se amontoam numa fila pouco ordeira que serpenteava pelos quatro cantos do edifício.

Pouco depois as portas abrem-se, a movimentação atinge o seu auge e contra todas as nossas expectativas em menos de quinze minutos estávamos dentro do enorme barco... sem pagar! Fizemos-lo não por má vontade ou esperteza mas porque aparentemente só será necessário adquirir o ingresso para a viagem de regresso. 
Os ferry's da companhia Gozo Channel trabalham 24 horas por dia e fazem a travessia em cerca de quarenta minutos.


DICAS IMPORTANTES: Depois de desembarcar no terminal de Gozo (Mgarr) vale a pena dar uma corridinha para comprar de imediato o bilhete de regresso a Malta, aproveitando que nessa altura a fila é relativamente pequena. 
Ainda assim é essencial realizar todo este processo com alguma rapidez de forma a conseguir apanhar o bus 301 ou 303 para Victoria que passa a cada 40 minutos.
Sabíamos de antemão que o passe de sete dias (bus) que comprámos em Malta não é valido em Gozo e optamos por comprar o ingresso que é válido por um dia e pode ser adquirido nos autocarros ou nas máquinas existentes na maioria das paragens.



.VICTORIA
Também conhecida por Rabat esta é a maior e mais importante cidade de Gozo. Fica situada no centro da ilha e como tal funciona como um excelente ponto de partida para conhecer uma boa parte dos restantes locais de interesse. Aparentemente por aqui todos os caminhos vão dar a Victoria. 
O coração da cidade é sem sombra de dúvidas a Cidadela (IL Kastell) que se ergue no topo de uma colina e que começou a ganhar destaque na história do país a partir dos tempos medievais, ainda que segundo alguns estudos realizados a área já seria ocupada na pré-história.
Esta pequena cidade dentro da cidade está rodeada por enormes muralhas que datam do século XV, altura em que os Fenícios ocuparam a ilha. 

Cidade de Vitoria e a Cidadela
Assim que atravessamos as muralhas somos de imediato confrontados com a Catedral de Sta.Maria, construída entre 1697 e 1711 para substituir uma outra existente neste mesmo local que foi completamente destruída por um violento sismo no ano de 1693. 


Ainda que o exterior tenha uma aparência banal, nada nos prepara para a beleza guardada para lá daquelas paredes. Uma autêntica obra prima da arquitetura barroca de onde se destacam os lindíssimos frescos que preenchem praticamente todo o tecto da nave central. Já os veludos de tons vermelhos presentes nas arcadas e no bonito altar proporcionam um ambiente bastante acolhedor.
.LEIA TAMBÉM: MALTA - ROTEIRO COMPLETO PARA UMA SEMANA

Interior
Interior
Interior
Interior
A certa altura e depois dos dois grupos de turistas barulhentos terem abandonado a catedral, ficámos praticamente sozinhos com os vários fiéis que aqui ocorrem diariamente para fazer as suas orações.

.LEIA TAMBÉM: VISITAR A BLUE LAGOON - ILHA DE COMINO

Continuamos no interior da Cidadela e sem grande dificuldade chegamos a outro dos locais que parece atrair muitos dos visitantes que se deslocam à Ilha de Gozo. A Antiga Prisão, que esteve em atividade entre os anos 1500 e 1904, dá-nos a conhecer meia dúzia de celas individuais, nas quais ainda é possível ver diversas mensagens e desenhos aqui deixados pelos antigos prisioneiros.

Entrada da Antiga Prisão 


Gravuras deixadas pelos prisioneiros
Gravuras deixadas pelos prisioneiros

A visita à antiga prisão prolongou-se talvez por quarenta minutos e assim que saímos emaranhamo-nos ao acaso pelas ruas estreitas da Cidadela até alcançarmos um dos extremos da muralha, de onde, lá do alto, tivemos a oportunidade de contemplar grande parte da zona norte da ilha.

Ruas da Cidadela

Depois de uma curta pausa naquele que é muito provavelmente o mais incrível miradouro da ilha continuamos o nosso passeio ao longo das muralhas. A certa altura refugiamos-nos numa espécie de túnel que pouco depois viemos a descobrir que nos conduzia aos Antigos Reservatórios de Água da Cidadela. Se há momentos atrás o calor era insuportável agora, no interior destes cones gigantescos, a temperatura baixara drasticamente. 

 
Pelas muralhas da Cidadela
 

O nosso passeio pela Cidadela ficou por aqui, estava na hora de regressar ao terminal de bus para apanhar o 311 na direção da costa Ocidental. Próximo destino... Dwejra. 

.DWEJRA

O mar deu-nos as boas vindas assim que chegámos ao mais bonito cartão postal da ilha. Diante nós temos aquele enorme arco de pedra, ao qual chamam Azure Window (janela azul) e que por agora ainda se mantém firme. Mal sabíamos que aquela obra prima da natureza iria anos mais tarde colapsar, deixando um enorme vazio na paisagem. 




Enquanto muitos dos presentes aproveitavam para se refrescarem nas águas cristalinas da baia, nós limitámo-nos a observar a paisagem e como estávamos sem pressa decidimos fazer o caminho até ao topo da janela. Embora existam bastantes placas que desaconselham o acesso ao local a verdade é que praticamente ninguém respeita os avisos (até um dia...).

               

Depois de aconchegar o estômago com umas sanduíches compradas numa roulote ali presente, voltamos a apanhar o bus 311 para Victoria e daí o 302 até Ramla Bay.

.RAMLA BAY
Mais um dia espetacular, e agora, com o mar mediterrâneo mais perto que nunca, aproveitamos os últimos momentos da nossa passagem por Gozo para nos refrescar naquela que muitos afirmam ser a mais bonita praia da ilha. 
A praia de Ramla está situada na costa norte e é das poucas que tem areia, que neste caso é de cor alaranjada e de onde provem o nome original: Ir-Ramla I-Hamra (The red sandy beach).

Praia de Ramla
O areal é bastante extenso e é banhado por águas transparentes que atraem centenas de turistas. O único ponto menos positivo é o facto de nos primeiros 20/30 metros de mar haver algumas rochas que podem dificultar a entrada.

Praia de Ramla
Praia de Ramla
O tempo estava ótimo e acabámos por ali permanecer durante mais de duas horas, até que chegou o momento de regressar ao Porto Mgarr onde mais uma vez apanhámos o ferry para a Ilha de Malta. Como já tínhamos comprado os bilhetes, não necessitámos de nos misturar com a multidão que se amontoava ao redor das bilheteiras. O processo de embarque foi rápido e num piscar de olhos estávamos de novo em Sliema.

DICA ÚTIL: Se é uma daquelas pessoas que não abdica de visitar os principais pontos turísticos, sugerimos então que aquando de sua passagem pela Ilha de Gozo adquira um dos ingressos combinados que lhe permitirão poupar algum dinheiro. 
   .Se a sua visita se resumir ao interior de Cidadela pode comprar o Cittadella Ticket AQUI
   .Se para além da Cidadela, também quiser visita outros pontos turísticos situados noutras áreas da ilha sugerimos que adquira o Discover Gozo Ticket AQUI.


Pode acompanhar as nossas viagens e ver as fotos deste e de outros destinos na página do Diário das Viagens no Facebook. 


****Os preços e horários apresentados são referentes ao período da nossa passagem (Setembro de 2014) e obviamente estão sujeitos a alterações.

Sem comentários:

Publicar um comentário