terça-feira, 25 de outubro de 2016

.PARK GÜELL - COMO ACEDER GRATUITAMENTE AO MUNDO FANTÁSTICO DE GAUDI

O que visitar em Barcelona, Espanha

O relógio marca seis horas quando somos acordados pelo som irritante do despertador que  nos faz literalmente saltar da cama. Hoje temos mesmo de nos levantar cedo, pois segundo nos foi comunicado na véspera, a entrada no Park Güell é grátis para quem aceder ao espaço antes das 8:00 da manhã. Apesar de não termos a certeza absoluta da veracidade desta informação resolvemos arriscar. Afinal não temos nada a perder, a não ser talvez um par de horas de sono. 

Já a pé e parcialmente refeitos do choque deste despertar bombástico, vestimo-nos e  preparamos os nossos pertences para mais um dia de visita a Barcelona.
Como seria expectável, as ruas nesta manhã de sábado encontram-se totalmente desertas.
Avenida acima, caminhamos a curta distância que separa o hotel da Plaça Catalunya onde acabamos por nos cruzar com vários grupos de jovens. Alguns prolongam os festejos outros tentam recompor-se dos excessos da noite anterior. 
Neste trajeto de cerca de trezentos metros deparamo-nos também com a dura realidade do mundo atual. Aos pés de quem passa encontram-se muitos sem abrigo que a esta hora vespertina ainda dormem sobre a calçada nos seus lares improvisados feitos de papelão.

A certa altura fazemos um pequeno desvio. O objetivo é ir ao Mc Donald's beber um café que nos ajude a atenuar o efeito do sono que ainda sentimos.
Não temos sorte, está fechado. Vamos ter de continuar mesmo assim.
A estação de metro é logo ali e antes de descermos as escada confirmamos se temos connosco o bilhete T10 que utilizaremos para chegar ao primeiro destino de hoje.
Tudo ok, podemos seguir viagem!


Quando saímos da estação de Lesseps ainda é noite cerrada e na cidade pouco ou nada mudou. As ruas mantêm-se desertas e continuamos sem encontrar um local aberto onde possamos beber um café.
Depois de talvez uns quinze minutos de caminhada avistamos finalmente o portão do famoso Park Güell que aparentemente está aberto. À entrada conversamos por breves momentos com o guarda que ali se encontra e que nos confirma que o acesso é gratuito para quem aceder ao espaço até ás oito da manhã, podendo lá permanecer o tempo que bem entender.
Àquela hora o parque encontra-se completamente ás escuras, ainda assim não impede que alguns habitantes locais aqui venham fazer o seu jogging matinal ou até passear o animal de companhia.


Fomos avançando literalmente ás apalpadelas até chegarmos a um "terreiro" que num dos extremos é ladeado por uma grande varanda ondulada que se debruça sobre uma cidade ainda iluminada por milhares de pontos luminosos.
Sob um céu preenchido de estrelas esperamos que o tempo passe e as poucas palavras que dizemos vão saindo quase em surdina, como se tivéssemos receio de quebrar aquele silêncio quase incomodativo.


Ao longe, sobre o mar, vão aparecendo os primeiro raios de sol. A noite recua e pouco a pouco a claridade invade e põe a descoberto aquele mundo fantástico criado por Antoni Gaudi.
Ainda com as bilheteiras encerradas vão chegando mais alguns visitantes. Aproveito estes momentos de calma para dar uma volta pelo parque e fazer algumas fotos. Lembro-me bem de em 2010 ter andado por aqui mas as milhares de pessoas com quem tive de dividir o espaço não me deixaram desfrutar de toda esta beleza. É uma beleza exótica, rica em cores e formas estranhas que com a minha permissão me transportam para um mundo mágico que talvez só Gaudi compreenderá. Hoje sim, tenho o privilégio de ser quase só eu a percorrer estes caminhos.
Primeiro o céu, e logo depois tudo o que me rodeia vai-se pintado de tons dourados, fazendo com que e os pequenos mosaicos que cobrem praticamente todas as superfícies do parque se assemelhem a pequenos diamantes. 








Passam agora poucos minutos das oito horas e o primeiro grande grupo de turistas invade o parque. Mal sabem eles que se tivessem chegado cinco minutos antes tinham poupado dez euros.
Quanto a nós, e após mais umas voltas, abandonamos a área monumental e lançamo-nos à descoberta da zona superior, ocupada por um luxuriante jardim que combina na perfeição com toda a zona envolvente. Aqui e apesar do acesso ser gratuito durante todo o dia, o movimento de pessoas é ainda reduzido e cruzamo-nos só com meia dúzia de habitantes locais que aproveitam a manhã de sábado para sair da rotina. Nas calmas, também nós vamos desfrutando do bom tempo que se faz sentir. Avançamos por entre as árvores que cobrem grande parte da encosta da colina e sem dificuldade chegamos a um miradouro onde nos deliciamos com mais uma vista arrebatadora de Barcelona.









O Park Güell é sem dúvida um local único e no qual Gaudi exprimiu toda a sua criatividade e fantasia. O espaço que hoje é uma das imagens de marca de Barcelona começou por ser um projeto de construção falhado de um abastado empresário local que num "ataque" de extravagância tentou converter uma área de floresta num complexo habitacional de formas exóticas. Contudo o interesse no projeto acabou por ser quase nulo e a obra nunca foi concluída.
Em 1918 e numa altura em que o espaço se encontrava praticamente abandonado, o município de Barcelona adquiriu o terreno e transformou a zona num dos parques mais marcantes da cidade. 

.INFORMAÇÕES ÚTEIS:

-HORÁRIO:
O Park Güell está aberto todos os dias do ano.
.De 24 Março ao 19 Outubro entre as 06:00 e as 21:30
.De 20 Outubro ao 23 Março entre as 06:00 e as 16:00

-PREÇO:
O ingresso para aceder à área monumental tem um custo de 10,00 €. 
Para a área de jardim situada na parte superior o acesso é gratuito.
DICA: Todos os dias das 6:00 até ás 7:59 é possível aceder gratuitamente à área Monumental do Parque, podendo permanecer no seu interior o tempo desejado. O importante é entrar antes das oito da manhã. 
Para aqueles que não gostam de acordar cedo aconselhamos a compra antecipada dos ingressos on-line no SITE OFICIAL. Desta forma evitam as filas enormes que se formam diariamente junto ás bilheteiras. Em certas alturas, os bilhetes comprados à entrada esgotam em poucas horas. 

-COMO CHEGAR
A melhor forma de chegar a este ponto turístico é apanhar a Linha Verde do Metro na direção Trinitat Nova. As duas estações mais perto do parque são Lesseps e Vallcarca, uma vez na rua é somente necessário seguir a sinalização que nos conduz até uma das entradas. 

-O PARK GÜELL NA INTERNET
Para a compra de ingressos on-line, podem aceder ao SITE OFICIAL do Park Güell.
Para descarregar de forma gratuita mapas interativos e a App oficial do parque basta clicar AQUI.

.OUTRAS CRÓNICAS SOBRE ESPANHA:

Podem acompanhar as nossas viagens e ver todas as fotos desde e outros destinos na página do Diário das Viagens no Facebook.

Sem comentários:

Publicar um comentário