terça-feira, 7 de agosto de 2018

.PASSADIÇO DO ALVOR - UM PASSEIO COM SABOR A MAR


Estamos de passagem por Alvor e ao longe já se avista o mar de uma das mais bonitas praias de Portugal. 
O verão este ano está diferente. Apesar de já termos chegado ao mês de Julho, o calor típico desta altura do ano teima em não ter a força de outros tempos. As temperaturas amenas que se fazem sentir não agradam seguramente aos muitos banhistas que a esta hora já invadiram o extenso areal, mas para nós que não estamos aqui para ir a banhos, está perfeito. Viemos para caminhar. Na nossa curta passagem pela região não queremos de forma alguma deixar passar a oportunidade de conhecer e percorrer o maior passadiço do Algarve.

Os passadiços parecem estar na moda e esta é uma das novidades deste ano. 
Neste caso são aproximadamente seis quilómetros, quase sempre numa plataforma de madeira, que para além de percorrer uma boa parcela da frente de mar também se estende aos terrenos selvagens da Ria. Nessa zona é possível observar um pouco da fauna e flora locais.
A caminhar, a correr ou a pedalar, os passadiços do Alvor são uma ótima opção de passeio que pode ser realizado só ou acompanhado, mais depressa ou mas devagar, no verão ou no inverno.
Para os que possam ter algum receio devido à extensão do percurso, destacamos os diversos pontos de descanso que permitem realizar pausas e repousar as pernas.










Chegámos cedo e foram poucos os que àquela hora se cruzaram connosco. 
Vimos passarinhos e gaivotas que parecem gritar aos céus as suas mágoas, vimos flores coloridas que resistem aos elementos e vão sobrevivendo nas dunas de areia, vimos rãs imóveis que aqueciam o corpo no leito seco da ria, ouvimos o som do mar que teimosamente vem beijar a costa, ouvimos as tábuas ranger a cada passo que damos e  sentimos o cheiro a maresia trazido pela brisa que nos murmura qualquer coisa...
Em suma...vimos, ouvimos e sentimos a natureza caminhar ao nosso lado.

A Ria ficou para trás e depois de percorrer um curto trecho de terra batida, regressamos à estrutura de madeira que parece agora flutuar sobre as dunas e nos conduz até um ponto mais elevado de onde se avista grande parte da praia.
Como habitualmente não temos pressa, aliás não há razões para ter. Faz-se mais uma pausa e refresca-se o corpo com uns goles de água.
Sentamo-nos por momentos naquela varanda sobre o litoral e deixamos o olhar comer cada um dos condimentos daquela paisagem deliciosa, que pela primeira vez nos faz equacionar uma ida a banhos. Talvez mais tarde. Por agora queremos completar a volta pelo passadiço que visto do local de onde nos encontramos se assemelha a uma serpente de madeira estendida paralela ao mar.









Andar faz bem à saúde e à alma. Para nós é uma espécie de terapia que nos liberta do ritmo frenético acumulado no corpo. Quem nos conhece sabe o quanto gostamos de caminhar e não perdemos a oportunidade de o fazer. 
Este passeio de quase duas horas revelou-se o tónico perfeito para dar início à nossa curta passagem pela zona sul do país.


Podem acompanhar as nossas viagens e ver as fotos deste e de outros destinos na página do Diário das Viagens no Facebook. 

Sem comentários:

Enviar um comentário