sexta-feira, 25 de julho de 2014

.VISITAR OS TÚNEIS DE CÙ CHI - VIETNAME


Acordámos bem cedo e pouco antes das 8:00 da manhã já avançamos por estradas rodeadas de paisagens rurais que nos fazem rapidamente esquecer o ambiente caótico que nos últimos dias vivemos em Ho Chi Minh City. Connosco viajam uma mão cheia de outros turistas das mais diversas nacionalidades. Há argentinos, espanhóis, alemães e japoneses que tal como nós têm como objectivo conhecer os famosos túneis de Cù Chi.
A pequena localidade de Cù Chi situada a 40kms a norte de Ho Chi Minh City é um destino muito popular e praticamente todas as agências de turismo da cidade propõem passeios diários até esta incrível rede de túneis usada pelos guerrilheiros vietcong durante a guerra do Vietname. 
Com uma tão grande oferta acabou por ser relativamente fácil encontrar algo que satisfizesse os nossos desejos, quer no preço quer no programa proposto. Para além destes fatores ficou também acordado que na viagem de regresso o motorista teria de fazer um desvio para nos deixar nas imediações do aeroporto.

Chegámos aos túneis perto das onze da manhã. Comprámos o ingresso e em conjunto com um guia local iniciámos a visita com a visualização de um pequeno filme que descreve de forma detalhada como estas estruturas foram construídas e quem foram os obreiros desta incrível rede de passagens subterrâneas que em alguns casos se estendiam até a fronteira com o Camboja.

Demonstração de como estavam distribuídos os três níveis dos túneis.
Depois desta introdução, seguimos pelo meio da densa floresta e aqui e ali vamo-nos cruzando com diversos exemplos de armadilhas usadas pelos guerrilheiros locais para travar e capturar as tropas inimigas.
O que achámos mesmo impressionante foi o facto de que um tão básico sistema de defesa tenha conseguido suplantar as armas altamente desenvolvidas das tropas norte americanas.

Armadilhas simples mas eficázes
Armadilhas simples mas eficázes
Armadilhas simples mas eficázes
Um pouco mais adiante tivemos o primeiro vislumbre de como eram as entradas originais destes labirintos subterrâneos que pelo seu reduzido tamanho se tornavam praticamente imperceptíveis para quem está a superfície.

       
Entrada original dos túneis 
Depois de fechada fica praticamente imperceptível 
Depois das devidas explicações fomos convidados a entrar naquela pequena abertura no solo, de forma a termos uma ideia de como terá sido difícil a vida de todos aqueles que ali permaneceram durante o período que durou a guerra.
A visita prosseguiu e uns metros mais à frente chegou o momento pelo qual todos esperávamos e talvez a principal razão que nos trouxe até Cú Chi. Um a um fomos acedendo ao primeiro dos três níveis que compõem os abrigos subterrâneos, que segundo as informações do guia, foram modificados e alargados para facilitar a movimentação dos visitantes.


Avançámos lentamente, curvados e envoltos numa quase escuridão. Aqueles cento e cinquenta metros fizeram-nos dar ainda mais valor à coragem e ao espírito de sacrifício dos guerrilheiros que ali permaneceram diversos meses.

No interior
Voltámos á superfície e já com a visita praticamente terminada rumámos á carreira de tiro onde quem quisesse poderia disparar algumas armas usadas durante a guerra do Vietname.

Just for the shooters
Como não somos amantes deste tipo de atividade aproveitámos o tempo para dar um curto passeio pela zona circundante na qual encontrámos umas quantas máquinas militares apreendidas aos americanos assim como algumas crateras provocadas pelas bombas lançadas durante o período que durou o conflito e que acabaram por matar todo e qualquer tipo de vida que existia á superfície. Os norte-americanos chegaram mesmo a chamar a esta área de dead zone.

Tanque destruído e apreendido ao exercito norte americano
Tanque destruído e apreendido ao exercito norte americano
Cratera de bomba lançada por B-52
Nessa altura o solo de toda esta área estava de tal forma contaminado que os norte-americanos, talvez por descargo de consciência, enviaram para o Vietname várias equipas especializadas com o objectivo de limpar e restabelecer os níveis de segurança.
Todas as árvores que hoje vemos foram plantadas nos anos que se seguiram à guerra.

Área Cù Chi na atualidade
E foi assim a nossa visita aos túneis de Cù Chi. Não podemos afirmar que tenha sido algo de extraordinário, mas ainda assim valeu a pena passar por aqui para poderemos ter conhecimento deste pedaço da história do Vietname .
No caminho de regresso a Ho Chi Minh City e tal como combinado, o motorista fez um pequeno desvio e deixou-nos nas imediações do aeroporto.
Próxima paragem Hoi An.


  Pode acompanhar as nossas viagens e ver todas as fotos desde e outros destinos na página do Diário das Viagens no Facebook.

Sem comentários:

Publicar um comentário