domingo, 30 de novembro de 2014

.PRAGA - ROTEIRO PARA 3 DIAS


Praga é a capital da República Checa.
Esta lindíssima cidade situada no coração da Europa a que muitos chamam "cidade dourada" era para nós um desejo antigo, que por esta ou aquela razão nunca tínhamos tido oportunidade de realizar. 
Tínhamos um fim de semana que se anunciava carregado de novas experiências e como a lista de locais que queríamos visitar era enorme tivemos de fazer alguma ginástica para tentar encaixar todos os nossos desejos nos três dias que tínhamos pela frente.


Após vários dias de preparação chegou o tão aguardado momento. O voo correu sem sobressaltos e cerca de uma hora e meia depois de termos deixado Bruxelas/Charleroi desembarcámos no terminal 2 do Aeroporto Václav Havel.

-ONDE TROCAR DINHEIRO: BANCOS OU CASAS DE CÂMBIO?
Visto que a República Checa ainda não aderiu à moeda única, levantámos ainda no aeroporto, algum dinheiro local (coroa CZK) para podermos pagar o transporte que nos levaria até ao centro da cidade. 
Antes de mais nada convém explicar que os bancos são o melhor e mais seguro local para trocar dinheiro. Não é de todo aconselhável efectuar estas transações na rua, assim como nas casas de cambio existentes na cidade uma vez que as taxas/comissões cobradas são exageradamente altas.
Ainda assim e tendo em conta todas estes inconvenientes, conseguimos encontrar uma pequena casa de cambio localizada a poucos metros da praça central (Staromestské Námesti) chamada "Exchange" e que oferece "rates" razoáveis e onde a conversão de moeda é realizada sem ser aplicada qualquer comissão.



-DO AEROPORTO ATÉ AO CENTRO DA CIDADE
Na nossa opinião o modo mais eficaz de fazer este percurso é usando o Airoport Express que sai de meia em meia hora e tem como destino final a Gare Ferroviaria. O preço por trajeto é de 60 CZK e o bilhete é comprado directamente ao motorista. 

Airport Express

O NOSSO ROTEIRO PARA TRÊS DIAS

-DIA 1

Já passava das duas da tarde quando demos início à nossa aventura na capital checa.

Estava na altura de pôr em prática o ambicioso circuito que havíamos traçado previamente. Dada a proximidade achámos que valia a pena entrar e conhecer o interior da bonita Estação Ferroviária. De seguida percorremos a curta distância que nos separava  da Václavské Namēstí (Praça Venceslau) que é uma das principais artérias da cidade e o local que escolhemos para ser o ponto de partida oficial deste nosso roteiro.
Pelo caminho cruzámo-nos com o Teatro Nacional e o Museu Nacional, este último situado no extremo sul da Václavské Namēstí
Ficámos por aqui breves momentos e aproveitámos para fazer algumas fotos do museu assim como do Monumento de S. Venceslau que se ergue no início da grande avenida. Este local é por muitos considerado o coração da cidade e ao longo dos anos foi palco de alguns dos mais importantes acontecimentos que marcaram a história do país. 

Estação Ferroviaria de Praga
Teatro nacional
Museu Nacional e Monumento a S.Venceslau
Extremo sul da praça Václavské Namestíonde

Optámos por entrar na Rua Jindrisská (uma das perpendiculares da Václavské Namēstíonde) para apreciar o exterior da Igreja Kostel Svatého Jindricha a Svaté Kunhuty e também a Torre Jindrisská que data de 1870. Por 90 CZK os interessados podem subir ao sexto nível, e do alto dos seus 66 metros ter uma vista panorâmica de grande parte da cidade. Não muito longe deste local fica a Sinagoga Jeruzalémská

          
           Kostel Svatého Jindricha a Svaté kunhuty
Torre Jindrisská

Como a nossa visita foi feita no mês de Novembro, convém referir que as temperaturas rondavam os 6°C durante o dia e 0°C à noite e que por volta das 16:30 a noite já tinha tomado conta das ruas da cidade.
Foi já com o céu pintado de negro que chegámos à Casa Municipal que a esta hora se encontrava completamente iluminada, conferindo-lhe uma aparência ainda mais espetacular.  
Esta é uma das mais importantes e prestigiadas salas de espetáculos da capital Checa e apesar de ter um aspecto antigo a verdade é que este bonito edifício data de 1912.

Torre da Polvora (esquerda) e Casa Municipal (direita)
Ao lado da Casa Municipal encontra-se a Torre da Pólvora, erguida no Séc.XI como uma das 13 portas de acesso à cidade. Atualmente tudo o que fica para além deste arco pertence à zona antiga. 
A torre é um dos símbolos de Praga e deve o seu nome ao facto de no passado ter sido o local onde era armazenada a pólvora que alimentava as munições do exército local.

Antes de acedermos àquela que é considerada a área mais turística ainda passámos pela Praça da República onde fomos surpreendidos por um animado mercado de rua, no qual aproveitámos para aconchegar o estômago com um típico Trdelník acompanhado de um sempre aconchegante vinho quente.
Gostámos bastante do ambiente que ali testemunhámos assim como desta combinação de sabores e durante a nossa estadia voltámos por diversas vezes a este local para repetirmos a experiência.


Trdelník
A esta hora os locais que queríamos visitar já se encontravam encerrados e aproveitámos o tempo para andar ao acaso pela zona histórica, deslumbrado-nos uma e outra vez com a beleza dos monumentos, das praças e das pontes totalmente iluminados.


           
Praga by night
Praga by night
Praga by night
Praga by night
             
Praga by night
Praga by night

Se dúvidas houvessem sobre a beleza desta cidade rapidamente se dissiparam.
Ainda que de forma superficial ficámos rendidos aos seus encantos e convencidos de que Praga é definitivamente uma das mais bonitas cidades europeias.
                                       

-DIA 2

O segundo dia começou bem cedo. É domingo e a esta hora vespertina só nos cruzámos com meia dúzia de habitantes locais que viviam o seu dia-a-dia, provavelmente satisfeitos por poderem desfrutar de alguma calma antes que os milhares de turistas voltassem a invadir as ruas da cidade.
Todo este ambiente de tranquilidade acabou por ser perfeito para os nossos intentos, permitindo-nos fazer algumas fotos de alguns dos locais que habitualmente se encontram apinhados de visitantes.

Grande parte do dia de hoje será passado na margem oeste do Rio Moldava, mais precisamente na área onde se situa o Castelo de Praga. Para aceder a esta zona da cidade é necessário atravessar a carismática Ponte Carlos (Charles Bridge) que aqui foi construída em 1390 por ordem de Charles IV.  
Nesta manhã percorremo-la calmamente e quase em silêncio fomos admirando cada uma das várias dezenas de estátuas de estilo barroco que se alinham ao longo dos seus quase quinhentos metros.


          
Praga quase deserta
Entrada Este da Ponte Carlos

Ponte Carlos (Charles Bridge)
Pode-se dizer que a ponte é vítima da sua própria popularidade e durante quase todo o dia, seja de verão ou inverno, encontra-se permanentemente repleta de turistas que se acotovelam para tentar obter a foto perfeita. Acordar cedo e vê-la assim, quase deserta, foi para nós um privilégio. 




          
Ponte Carlos (Charles Bridge)
        
Estatua



         

















Detalhes da Rua Nerudova

A caminhada até ao Castelo de Praga foi dos passeios mais agradáveis que realizámos durante a nossa visita à capital Checa, sobretudo pelos bonitos edifícios que connosco se cruzaram enquanto percorríamos a Rua Nerudova.
Quase sem dar-mos por isso estávamos às portas da antiga fortaleza que para nosso espanto já se encontrava invadida de visitantes. 
Rapidamente percebemos que a visita ao castelo não iria ser tão tranquila como inicialmente imaginámos, ainda assim não deixámos escapar a oportunidade de nos lançarmos à descoberta de um dos locais mais visitados em Praga.
Assim que transpusemos o elegante portão de ferro, grande parte daquele mar de gente dissipou-se, fazendo-nos a certa altura esquecer a enorme confusão testemunhada momentos antes.


Entrada principal do Castelo de Praga

Castelo de Praga é considerado o maior castelo do mundo, estendendo-se por uma área total de 70.000m2. Foi construído no Séc.IX e desde então serviu de residência a alguns reis, imperadores e presidentes da república. Onde se inclui o atual chefe de estado checo que habita numa das secções do complexo.   
Como já referimos a área do castelo é enorme e no seu interior podemos percorrer uma grande variedade de locais de interesse capazes de nos manter ocupados durante uma boa parte do dia.
Os pátios exteriores podem ser visitados gratuitamente, sendo unicamente necessário adquirir bilhete para visitar as zonas interiores.
Existem vários ingressos que permitem ao visitante conhecer diversas áreas do complexo.


Réplica da coroa real Checa.
Com a visita ao palácio terminada fomos até outro dos grandes ícones da cidade e seguramente o local mais visitado no interior do castelo.
A grandiosa Catedral de S.Vito (Katedrála Svatého Víta) ergue-se em todo o seu esplendor num dos pátios da fortaleza e impressiona tanto por fora como por dentro.
Ainda que os primeiros trabalhos de construção se tenham iniciado em 1344, a obra só foi concluída em 1929.


Catedral de S.Vito
           
Catedral de S.Vito
Catedral de S.Vito
No interior de Catedral destacamos a Capela de S. Venceslau com as suas paredes decoradas (segundo dizem) com mais de um milhar de pedras semi-preciosas que alternam com diversos frescos representando cenas bíblicas.
Outro dos pontos que merece ser referenciado é o espetacular Túmulo de St. John of Nepomuk que foi fabricado com umas impressionantes duas toneladas de prata.
Os bonitos e coloridos vitrais que rasgam as paredes laterais da catedral também merecem ser apreciados com alguma atenção. 


           
Capela de S.Venceslau
Túmulo de St.John of Nepomuk 

           
      Túmulo de St.John of Nepomuk
Vitrais
    
A uma curta distância encontramos a Basilica de S.Jorge que com a sua fachada de estilo barroco pintada de cor vermelha, é segundo rezam as crónicas, o mais antigo edifício religioso da cidade de praga. A sua construção original data do ano de 973, tendo sido reconstruída em 1142 depois de ter sido consumida por um incêndio.  


           
Basílica de S.Jorge
Interior
Interior
Outro dos locais incluído no bilhete que adquirimos é a chamada Golden Lane, que é nada mais nada menos que uma rua repleta de casinhas coloridas restauradas (tanto o interior como o exterior) à imagem do que seriam durante o Séc.XVI. 


De entre todas destacamos a casa número 22, atualmente transformada em loja de souvenires mas que no passado foi ocupada pelo escritor Franz Kafka, refugiando-se neste pequeno espaço durante um par de anos para poder escrever tranquilamente.


Casa Ocupada por Kafka
Esta área acolhe também um Museu Medieval situado numa fortificação datada do Séc.XIV no interior da qual, podemos ver armas e armadoras da época assim como alguns instrumentos de tortura usados ao longo dos séculos. 


             
Museu Medieval
Instrumentos de Tortura 

Este foi o último local que visitámos usando o bilhete que adquirimos.
Permanecemos ainda por um bom bocado no interior da muralha, visitando alguns pontos menos congestionados e no final despedimo-nos desta zona sentados num miradouro de onde tínhamos ter uma vista desafogada de grande parte da cidade.


Vista desde o Castelo
O tempo tinha voado. Havíamos passado quase quatro horas no interior do complexo do castelo, e por esta hora os ponteiros do relógio relembravam-nos que já estava na altura de comer algo. 
Tanto hoje como na véspera tínhamos reparado que por toda a parte se vendiam uns cachorros quentes com um aspecto apetitoso e foi precisamente com uma dessas salsichas típicas que aconchegámos o estômago. 

Poucos minutos bastaram para chegarmos à Igreja Loreto. Comprámos o respetivo ingresso (250CZK) e entrámos naquele que é considerado um dos centros de peregrinação mais importantes de Praga. O santuário alberga no meu interior uma réplica da suposta casa onde teve lugar a anunciação à virgem Maria e que é sem dúvida a peça mais venerada pelos peregrinos que visitam este local. 
NOTA: A obra original encontra-se na cidade de Loreto em Italia.


          
Igreja Loreto
Replica do local onde teve lugar a anunciação à Virgem Maria
São muitos os tesouros expostos num pequeno museu ali existente mas a peça mais valiosa é um objecto de ouro que contém 6.222 diamantes incrustados ao qual foi dado o nome de Diamante Monstrance


Diamante Monstrance
Do lado oposto da entrada principal fica a Igreja da Natividade, um espaço pequeno em tamanho mas enorme no que diz respeito à beleza. 


          
Acesso à Igreja da Natividade
Interior da Igreja da Natividade

Ao início da tarde regressámos à margem oriental para conhecermos o Bairro Judeu (Josefov) que acolheu a comunidade judaica que se estabeleceu na capital checa durante o Séc.XIX. Esta área da cidade era vulgarmente chamado de Gueto.
Infelizmente pouco tempo depois, numa altura em que Praga já se encontrava sob o domínio nazi, o Gueto foi praticamente destruído. Aos poucos os edifícios antigos acabaram por ser substituídos por construções modernas e hoje em dia pouco resta do seu formato original.
Apesar de todas as contrariedades, sobreviveram alguns bons e valiosos exemplos da vida de outros tempos que atualmente podem ser visitados. 

Por 300CZK temos acesso a um bilhete combinado que nos permite visitar cinco desses testemunhos do passado. 
Começámos pela Pinkas Synagogue (Maiselova Synagoga) erguida em 1535, e que depois da Segunda Guerra Mundial foi convertida num memorial onde nas parares estão inscritos os nomes dos 77.297 Judeus de origem Checa vítimas das atrocidades nazis. 
No piso superior estão expostos alguns desenhos feitos por crianças que se encontravam no campo de concentração de Trezín. 

Pinkas Synagogue
A sinagoga tem ligação directa com o antigo Cemitério Judeu (Stary Zidovsky Hrbitov) que data do Séc.XV e é considerado o mais antigo deste gênero em toda a Europa. Aqui encontram-se aproximadamente 12.000 pedras tumulares que testemunham os seus dois séculos de utilização. 
Este é na nossa opinião um dos locais mais impressionantes da cidade.


          
            Cemitério Judeu 
Cemitério Judeu

          
Cemitério Judeu
Cemitério Judeu

Depois de percorrermos os terrenos do cemitério, entrámos no chamado Ceremonial hall (Obradni Sin) que era onde no passado se realizavam as cerimónias fúnebres assim como onde seriam prestadas as últimas homenagens aos defuntos antes de serem enterrados. 
Numa área lateral encontra-se a Klausen Synagogue (Klausová Synagoga). Ambos os locais acolhem na atualidade pequenos museus onde estão expostas algumas peças que fazem parte da história do povo Judeu. 


Ceremonial Hall e Klausen Synagogue (à esquerda)
Alguns quarteirões mais à frente está situada a Spanish Synagogue (Spanelská Synagoga) construída nos meados do sec.XIX e de todas as quatro sinagogas que visitámos no bairro Judeu é sem sombra de dúvidas a mais bonita e a única que atualmente desempenha as funções para que foi concebida.
No exterior podemos ver uma estátua/monumento dedicado a Franz Kafka, também ele de origem Judaica.


Spanish Synagogue
Este foi o último local que visitámos.
Terminámos o dia num restaurante local onde provámos o tipico Goulash acompanhado de uma cerveja local.  



-DIA 3

Voltámos a sair cedo do hotel. Para hoje tínhamos programado explorar algumas zonas próximas das margens do rio assim como toda a área situada ao redor da praça central.
O dia voltou a amanhecer cinzento. Sem pressas fomos caminhando tranquilamente ao longo da zona ribeirinha desde a Legion Bridge (Legií Most) até à famosa Charles Bridge, deliciando-nos com as vistas fantásticas da margem oposta que refletia nas águas calmas do Vlatava.

Atravessámos mais uma vez a Charles Bridge e quase no final parámos para contemplar um pequeno curso de água que desemboca no grande rio e ao qual os habitantes locais apelidaram de Certovka (Ribeiro do Diabo).





           
Ribeiro do Diabo
Ribeiro do Diabo

Após breves instantes e algumas fotos do local, continuámos o nosso passeio em busca do John Lennon Wall, que começou a ser pintado logo depois da morte do cantor britânico que era visto como um herói devido ao seu espírito pacifista. Os Jovens checos que se opunham ao regime comunista existente na altura exprimiam desta forma silenciosa o seu descontentamento, e mesmo depois de várias tentativas, as autoridades nunca conseguiram apagar as frases da revolta.
Hoje em dia é essencialmente um memorial à paz e já faz parte do roteiro turístico da cidade. 


John Lennon Wall
Não muito longe fica uma casa que por vezes acaba por passar despercebida à maior parte dos visitantes mas que na realidade tem uma certa importância na história da cidade. Foi neste edifício que viveu, embora por um curto período, o famoso compositor Ludvik Van Beethoven.


          
    Casa onde viveu Beethoven
Casa onde viveu Beethoven
Ainda nesta zona fica aquele que é talvez o local mais sui generis da cidade. Todos lhe chamam a rua mais estreita de Praga mas na realidade é uma passagem para a esplanada do Restaurante Certovka. O acesso ao espaço é tão estreito que duas pessoas que se cruzem indo em direções opostas tem muita dificuldade em seguir o seu caminho. Para facilitar a circulação foram instalados semáforos em ambas as extremidades.  

Continuámos a nossa volta, desta feita ao longo da margem oeste até chegarmos à Mánes Bridge (Mánesvuv Most). Lá do outro lado já avistávamos o Rudolfinum, um edifício de estilo neo-renascentista datado de 1885 e que é a sede da Orquestra Filarmônica da Republica Checa. 


Rudolfinum
Agora sim entrávamos na recta final da nossa viagem a Praga. O relógio parecia andar mais rápido do que o habitual e sem grandes demoras voltámos ao centro histórico pois era aí que passaríamos o próximo par de horas e onde muito provavelmente terminaríamos a nossa visita. 
Depois de uma curta caminhada estávamos frente a frente com o Estates Theatre, outro dos monumentos históricos desta cidade. Foi inaugurado em 1783 e desde então acolhe Representações teatrais, ballet, assim como concertos de ópera e música clássica.
Ao longo dos anos teve com certeza diversos momentos de glória, mas o dia 29 de outubro de 1787 ficará eternamente ligado à história deste local. Foi nesse dia e neste local que Mozart estreou a sua obra Don Giovanni.


          
Estates Theatre
Estates Theatre
Uma centena de metros mais à frente fica a Old Town Square (Staromestské Námesti) que é considerada por muitos uma das mais bonitas praças da Europa e onde abundam motivos de interesse. 
Desde logo o incontornável Relógio Astronómico que anuncia as horas desde 1410, fazendo dele o mais antigo deste gênero ainda em funcionamento.


Relógio Astronómico
Relógio Astronómico
O relógio encontra-se instalado na Torre da Antiga Câmara Municipal (Staromestká Radnice) à qual é possível subir e desfrutar de uma vista panorâmica de toda a praça.

Mesmo em frente é impossível não reparar nas duas torres pontiagudas da Igreja de Nossa Senhora de Tun (Matky Bozi Pred Tynem). Infelizmente não conseguimos visitar o interior por se encontrar encerrada às segundas feiras.


Igreja de Nossa Senhora de Tyn
No centro da praça encontra-se o Monumento erguido a Jan Hus, um conceituado escritor que para além de ter sido um dos impulsionadores do movimento protestante foi também o responsável pelo uso de acentos na língua checa. 


Monumento a Jan Hus
Outro dos locais que mereceu a nossa visita foi a Igreja de S.Niculau (Kostel Svatého Mikuláse), situada num dos extremos da praça e que é considerada a mais impressionante igreja de estilo barroco em toda a cidade. O interior é qualquer coisa de extraordinário. 


Igreja de S.Niculau
Interior
Chegou a hora das despedidas. Partimos plenamente satisfeitos e com a certeza de que de todas as cidades Europeias que visitamos este ano (2014) Praga foi a que mais gostámos e onde certamente iremos regressar. 
Em 48 horas vimos o que foi possível ver. 
Só ficámos com pena de não ter-mos tido oportunidade de visitar o Palácio Troja.
Fica para a próxima!
 

-COMO SE DESLOCAR
Durante a nossa estadia optámos por andar sempre a pé. Porque gostamos e para além disso as principais atracões turísticas situam-se todas dentro de uma área que nos permitiu fazê-lo. Para quem preferir conhecer e percorrer a cidade de maneira mais cómoda o elétrico número 22 é uma ótima escolha.

  Podem acompanhar as nossas viagens e ver as fotos deste e de outros destinos na pagina do Diário das Viagens no Facebook.

****Os preços e horários apresentados são referentes ao período da nossa passagem (Novembro de 2014) e estão sujeitos a alterações.

5 comentários:

  1. Espectacular a descrição da vossa viagem. Obrigada.

    ResponderEliminar
  2. César André Nóbrega22 de janeiro de 2018 às 21:51

    Adorei a descrição da vossa viagem. Servirá de ajuda para a viagem que farei a Praga no próximo fim-de-semana. Um grande abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa viagem César.
      Praga é uma cidade fantástica,vai com certeza gostar.

      Eliminar