quarta-feira, 29 de junho de 2016

.VISITAR A ALDEIA HISTÓRICA DE SORTELHA


Sortelha é uma das mais bonitas e bem conservadas aldeias históricas do nosso país, mantendo ainda grande parte do casario de outros tempos do qual se destaca a arquitectura típica de um Portugal de outras eras. 
O imponente castelo e as muralhas que cercam o aglomerado de casas de granito formaram em tempos um importante e quase intransponível estanque contra os ataques inimigos. A sua posição altaneira sempre foi vista como um ponto de vantagem o que fez com que esta área tenha sido habitada desde o período Neolítico.

.VISITAR A ALDEIA HISTÓRICA DE IDANHA-A-VELHA


Situada na Beira Interior, Idanha-a-Velha ergue-se em todo o seu esplendor nas margens do Rio Ponsul. Esta pequena aldeia de aparência pitoresca, foi no século I a.C. uma cidade romana da qual ainda podemos ver aqui e ali alguns vestígios.
Além dos Romanos, também Arabes e Suevos passaram por aqui, ainda que tenham sido os Visigódos que deixaram alguns dos edifícios ainda existentes e que foram posteriormente usados e ocupados pelo povo luso. 
É por estes motivos que Idanha-a-Velha é um dos mais importantes testemunhos da história do território antes de se tornar no Portugal que hoje conhecemos.

terça-feira, 28 de junho de 2016

.VISITAR A ALDEIA HISTÓRICA DE ALMEIDA


De todas as aldeias históricas, Almeida é aquela que mais perto se encontra da fronteira. No passado e durante um largo período, esta foi provavelmente a primeira e mais importante barreira erguida contra os ataques castelhanos. Não admira então, que a aldeia tenha sido transformada numa bem equipada fortaleza com o propósito de defender o território lusitano. 
Há muito para visitar em Almeida e os registos mostram que a sua história começou a escrever-se muito antes dos conflitos entre portugueses e castelhanos. Foi provavelmente durante os anos em que estas terras foram ocupadas pelo povo Árabe, que a aldeia recebeu o seu primeiro nome: Al meda, que significa "a mesa" e segundo dizem parece fazer referência à topografia planáltica do terreno onde está inserida.

segunda-feira, 27 de junho de 2016

.PASSADIÇOS DO PAIVA


O Diário das Viagens aproveitou a estadia em Portugal para fazer uma visita aos tão falados Passadiços do Paiva, que desde junho de 2015 fazem as delícias de quem quer percorrer de forma tranquila o lindíssimo Vale do Paiva. 
São aproximadamente oito quilómetros de estruturas de madeira que serpenteiam ao longo das margens de um dos rios mais limpos e bonitos do país.
Os passadiços ligam as povoações de Espiunca e Areinho, num percurso linear que pode ser executado em ambos os sentidos.

domingo, 26 de junho de 2016

.VISITAR A ALDEIA HISTÓRICA DE LINHARES DA BEIRA


Situada na vertente ocidental da Serra da Estrela, Linhares da Beira é o típico exemplo de uma aldeia medieval do século XII. 
Por aqui passaram Romanos, Visigodos, Muçulmanos e Castelhanos e só em 1169 obteve o seu primeiro foral, dado por D.Afonso Henriques.
Nesta pequena povoação onde as casas simples de pedra granítica convivem lado a lado com solares senhoriais, o grande ponto de destaque é sem sombra de dúvidas o Castelo, erguido no topo de uma elevação rochosa e de onde os visitantes têm uma magnifica visão panorâmica de toda a paisagem envolvente.
Todos estes aspectos transformam qualquer visita à aldeia de Linhares da Beira numa autêntica viagem ao passado.

sábado, 25 de junho de 2016

.VISITAR A ALDEIA HISTÓRICA DE BELMONTE


As terras em redor de Belmonte contam-nos um sem número de histórias. Desde logo, os vestígios megalíticos ali existentes, mostram que o homem já anda por estas bandas à mais de 6 mil anos
Foi igualmente nesta pequena aldeia que nasceu Pedro Álvares Cabral, o navegador português que descobriu o Brasil e que com o passar dos anos se tornou o Belmontense mais conhecido da história de Portugal.
Este local situado não muito longe da Serra da Estrela, chegou em tempos a acolher a maior e mais importante comunidade judaica da Península Ibérica e onde hoje em dia está instalado um interessante museu dedicado ao assunto.
A visita a Belmonte pode ser combinada com a aldeia vizinha de Sortelha

sexta-feira, 24 de junho de 2016

.VISITAR A ALDEIA HISTÓRICA DE CASTELO MENDO


Inserida na paisagem agreste que rodeia o Rio Côa, a aldeia de Castelo Mendo foi durante a Idade Média um núcleo urbano de grande importância devido à sua proximidade com a fronteira assim como às suas características defensivas e estrangeiras de excelência.
Diz-se por aqui que a presença humana nesta região data da idade do bronze, estando a aldeia e o seu centro histórico rodeados de muralhas que apesar de terem sido reconstruídas no século XII, provêm de um período anterior.  
A visita a Castelo Mendo pode ser combinada com passagens pelas aldeias vizinhas de Almeida e Castelo Rodrigo. Para quem tiver um pouco de tempo extra, este local pode ser igualmente um excelente ponto de partida para conhecer as famosas Gravuras Rupestres de Foz Côa. 

quarta-feira, 22 de junho de 2016

.VISITAR A ALDEIA HISTÓRICA DE MARIALVA


Situada a uma curta distância da cidade de Meda, Marialva tem o condão de transportar os visitantes para as raízes mais profundas da história do nosso país. Por aqui passaram Romanos, Árabes e Lusitanos, todos eles deixando múltiplos vestígios que podem ser descobertos enquanto passeamos pelas ruas do centro histórico. 
As ruínas situadas no interior da Cidadela, foram propositadamente deixadas num estado de aparente abandono, para que quem aqui vem, perca de certa forma a noção do tempo e se imagine fazendo parte do Portugal da idade media. 
É precisamente dentro das muralhas da Cidadela que se encontram grande parte dos pontos de interesse desta pequena aldeia. 

domingo, 19 de junho de 2016

.VISITAR A ALDEIA HISTÓRICA DE PIÓDÃO


Situada no conselho de Arganil, a aldeia do Piódão é um autêntico tesouro que teima em se manter escondido numa das vertentes da Serra do Açor. 
Na maior parte das vezes é descrita como um pequeno presépio, muito por causa da sua arquitectura onde despontam as casas de xisto com janelas e portas pintadas de azul, as ruas labirínticas onde os carros não chegam, o ambiente tipicamente rural e seu o envolvimento verdejante quase em estado puro. 
De todas as Aldeias Históricas esta é a única onde não existe qualquer castelo ou fortificação.

sábado, 18 de junho de 2016

.VISITAR A ALDEIA HISTÓRICA DE MONSANTO


Depois de em 1938 ter sido eleita a aldeia mais portuguesa de Portugal a verdade é que Monsanto passou desde essa altura a ter um lugar de destaque e a fazer parte de todos os guias de viagem dedicados ao nosso país. 

De todas as aldeias históricas que o Diário das Viagens visitou, esta é muito provavelmente a mais conhecida e por consequência a mais visitada, não só por turistas portugueses mas também por viajantes estrangeiros que não deixam passar a oportunidade de percorrer as suas ruas estreitas ladeadas por casas de granito apertadas por entre enormes penedos. A aldeia de Monsanto parece empoleirar-se na encosta rochosa onde lá no alto se ergue o imponente castelo que ao longo dos séculos foi ocupado por Romanos, Mouros e Árabes.

segunda-feira, 13 de junho de 2016

.ROTEIRO - ALDEIAS HISTÓRICAS DE PORTUGAL


Por vezes temos tendência a não valorizar o que é nosso e que nos pertence por direito, mas a verdade é que lá fora este nosso cantinho à beira mar plantado é sistematicamente descrito como um verdadeiro tesouro pronto a ser descoberto.
Portugal é uma autêntica caixinha de surpresas, repleta de paisagens arrebatadoras, de pessoas simpáticas, de comida maravilhosa e de um sem número de monumentos que testemunham uma das histórias mais ricas e emocionantes existentes no planeta.
Tudo isto está aqui, a uma curta distância. Só precisamos olhar à nossa volta para nos apercebermos o quão maravilhoso é o nosso país.

quarta-feira, 1 de junho de 2016

.À DESCOBERTA DE ABYANEH - IRÃO


Antes de seguir para Teerão não posso deixar de visitar esta pequena aldeia com mais de 1500 anos, situada numa área montanhosa a sul de Kashan.
Ás nove horas, como combinado, encontro-me com o taxista que me pergunta se não me importo de partilhar o táxi com um casal de Suíços.
Não me oponho desde que os vinte euros que havíamos combinado sejam divididos pelos três, e além disso até é melhor ter mais alguém com quem conversar.
O "driver" faz um telefonema e logo depois arrancamos na direção de um hotel ali perto onde ao que parece iremos recolher os novos passageiros.