domingo, 31 de dezembro de 2017

.CASCATAS DE OUZOUD - MARROCOS

Visitar as Cascatas de Ouzoud - O que visitar em Marraquexe - Marrakesh, Marrocos

Marraquexe ficou para trás. O emaranhado de ruas e o trânsito caótico da cidade foi de súbito substituído por enormes planícies de terra vermelha. De ambos os lados do mini-bus que nos transporta avistam-se campos povoados aqui e ali por árvores e arbustos que vão servindo de pasto aos rebanhos de cabras que por ali se passeiam.

Ao longe e paralela à estrada, ergue-se a imponente cordilheira do Atlas com os seus picos cobertos de neve, que brilham refletindo a luz do sol.

sábado, 30 de dezembro de 2017

.POR ONDE ANDÁMOS EM 2017


Com o aproximar dos derradeiros dias do mês de Dezembro impõem-se que façamos uma espécie de balanço de mais um ano de aventuras vividas por esse mundo fora.
2017 foi para nós complicado. Foi um ano de altos e baixos em que fomos literalmente obrigados a aprender a viver com perdas importantes. Perdas essas que acabaram por nos tornar mais fortes e mais conscientes que a vida é demasiado curta para adiar os nossos sonhos.Porque amanhã pode ser tarde demais!
Foram doze meses intensos, repletos de momentos marcantes, com muitos sorrisos, algumas lagrimas, milhares de quilómetros percorridos e centenas de encontros e desencontros com pessoas que de uma ou outra forma fizeram parte de cada uma das nossas viagens.
Hoje, olhamos para trás e recordamos....

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

.RIAD ESSAOUSSAN - MIL E UMA NOITES EM MARRAQUEXE

Onde dormir em Marraquexe/ Marrakesh, Marrocos

Parte da experiência de quem visita Marraquexe passa por ficar hospedado num Riad.Estas antigas habitações familiares,atualmente convertidas em casas de hóspedes onde os quartos se encontram organizados em redor de um pátio interior,proporcionam aos visitantes uma experiência única,inserida num ambiente tipicamente Marroquino. 
Muitos destes locais chegaram a estar em ruínas mas com o aumento do número de turistas,acabaram por ser recuperados e atualmente transformaram-se numa das experiências mais marcantes de quem se desloca a Marrocos.

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

.VISITAR MARRAQUEXE - GUIA PRÁTICO

O que visitar em Marraquexe - Marrakech, Marrocos

Nem mil imagens serão capazes de descrever o que realmente é Marraquexe.
A antiga capital imperial de Marrocos é um mundo à parte. Um mundo que nos faz viajar para lá dos nossos sentidos e que sem sabermos como nem porquê nos deixa atordoados.
Marraquexe é o cheiro das especiarias, é o tom rosado que pinta as paredes das ruas da Medina, é o chamamento das Mesquitas, é o ambiente exótico dos souks onde regatear é palavra de ordem e é os artistas de rua na Praça Jamaa el Fna...
Aqui não há truques nem filtros que maquilhem a pobreza que de forma quase cruel está à vista de quem passa. 

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

.GILI MENO - VIVER ENTRE A PRAIA E UMA CABANA


Foi em Gili Meno que escolhemos dar por terminado o nosso périplo pelas paradisíacas ilhas Gili.
Depois de  Gili Trawangan e Gili Air, chegámos a Gili Meno para mais um par de dias que se não se anunciavam muito diferentes dos anteriores.
De todas, esta é definitivamente a menos turística e aquela onde devido à escassa presença de visitantes tivemos a oportunidade de em certas ocasiões nos sentimos quase como os únicos ocupantes daquele paraíso perdido nas águas cristalinas do Mar de Bali.

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

.GILI AIR - ONDE O MAR É MAIS AZUL


Depois de dois dias fantásticos despedimo-nos de Gili Trawangan.
Ás primeira horas da manhã apanhamos o barco que nos transportará por não mais de trinta minutos até à ilha vizinha de Gili Air que pouco a pouco vai crescendo no nosso campo de visão. O desembarque é feito sem pressas e logo ali à saída daquele pequeno e rudimentar porto cruzam-nos com dois ou três homens montados nas suas carroças que tentam vender os seus serviços aos passageiros mais carregados.

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

.GILI TRAWANGAN - AMOR À PRIMEIRA VISTA


Queríamos uns dias de descanso e a questão impunha-se:
"-para onde vamos depois de nos despedirmos de Bali?"
As ilhas Gili surgiram como a opção mais abordável e onde seguramente iríamos encontrar um ambiente descontraído assim como ótimas praias para desfrutarmos do bom tempo que se anunciava.

Gili Trawangan foi a primeira destas três ilhas que conhecemos e onde decidimos permanecer durante dois dias, ocupando o tempo com passeios na praia, com deliciosos banhos de mar e sol e com o inevitável pôr do sol que a cada final de tarde coloria o horizonte.

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

.UBUD - TANTAS EXPERIÊNCIAS FANTÁSTICAS NUM SÓ LUGAR


Sim,poderia facilmente viver em Ubud!
É esta a ideia que preenche o meu pensamento enquanto percorro as ruas deste que é considerado o principal centro espiritual e religioso da ilha de Bali.
Sente-se no ar um agradável cheiro que é libertado pelos milhares de pauzinhos de incenso que ardem por toda a parte e que em conjunto com as flores coloridas e o arroz cozido,são colocados a cada manhã em frente das portas dos lares,das lojas,dos palácios e obviamente nos muitos templos existentes nesta pequena povoação Balinesa. 
"São oferendas aos deuses"-explica-nos a simpática senhora que gere o hotel onde ficámos.

sábado, 28 de outubro de 2017

.DAY TRIP AO MOSTEIRO DE RILA E IGREJA DE BOYANA - SÓFIA, BULGÁRIA

O que visitar em Sófia - Mosteiro de Rila, Bulgária

Depois de um dia a explorar a capital da Bulgária e tendo eu um dia extra, nada melhor que uma escapadela até ás montanhas situadas a sul, com o objectivo de visitar o incrível Mosteiro de Rila.
A manhã está ótima e aos primeiros raios de sol já me passeio pela cidade de Sófia que tal como eu dá os primeiros passos neste novo e bonito dia.
Gosto de ver a cidade a acordar, de caminhar pelas ruas silenciosas e de sentir aquele vento fresquinho que me acaricia o rosto. Gosto de me misturar com as pessoas que de forma apressada seguem os seus caminhos diários. Gostei também de tomar um delicioso pequeno almoço por pouco mais de um euro, numa pequena pastelaria situada a dois passos do hostel onde dormi.
Em suma...estou a gostar desta viagem.
Sem exageros, mas estou a gostar!

domingo, 22 de outubro de 2017

.SÓFIA - GUIA PRÁTICO PARA UM DIA NA CAPITAL DA BULGÁRIA

O que visitar em Sófia, Bulgária

A capital da Bulgária foi para mim uma agradável surpresa.
A informação que trazia na bagagem era escassa e a ideia de que me iria deparar com uma metrópole velha, repleta de símbolos e vestígios de um passado ligado ao comunismo rapidamente se desfez.
Cheguei numa bonita manhã do mês de outubro e logo ali à saída da estação do metro que me trouxe desde o aeroporto, senti de imediato o ambiente cosmopolita desta cidade que se soube reinventar e tem crescido a um ritmo alucinante, sem nunca esquecer a riqueza da sua história.

terça-feira, 17 de outubro de 2017

.MALTA, GOZO E COMINO - ROTEIRO DE 1 SEMANA

Roteiro de uma semana em Malta

Malta é um pequeno país perdido nas águas temperadas do Mar Mediterrâneo, algures entre a Sicilia e a costa norte do continente Africano.
Para ser honesto, nunca me tinha passado pela cabeça visitar este arquipélago composto por três ilhas e sobre o qual pouco ou nada sabia, até que uma promoção de uma companhia aérea low cost acabou por ser o ponto de viragem nas minhas aspirações e o início daquela que se viria a revelar uma viagem fantástica.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

.AUSCHWITZ - BIRKENAU, A HISTÓRIA QUE NÃO DEVIA TER ACONTECIDO

Visitar Auschwitz - Birkenau, Polónia

Do lado de lá do vidro da carrinha que nos transportou desde Cracóvia,surge a placa que anuncia a nossa chegada aos campos de concentração de Auschwitz-Birkeanau.
De subito o ambiente descontraído que se vivia até então, dá lugar a um silêncio incomodativo, e as expressões faciais de quem nos acompanha naquela viagem alteram-se numa ação de auto defesa, como se antevissem as sensações que estão prestes a viver.

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

.MUSEU NACIONAL DOS COCHES - LISBOA


O tempo está fantástico e agora os museus têm entrada gratuita no primeiro domingo de cada mês.
Há já algum tempo que tenho vontade de conhecer o Museu Nacional dos Coches...o novo, aquele que tanta polémica causou antes e após a sua recente inauguração.

Lembro-me de em miúdo, num qualquer passeio de escola ter visitado o antigo edifício que por ordem da Rainha D.Amélia,acolheu durante mais de um século alguns dos veículos que nos tempos de glória do nosso país transportaram reis e rainhas, príncipes e princesas.
Os anos passaram e o Picadeiro Real foi-se degradando,deixando de ter condições para albergar tamanho tesouro.
Após alguns avanços e recuos a decisão estava tomada...Está na altura de construir um novo museu capaz de acolher um dos espólios mais valiosos da história de Portugal.

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

.ILHAS GREGAS - 10 PRAIAS EM 10 DIAS

Visitar as ilhas gregas, Roteiro

Quem nunca sonhou com uma viagem ás ilhas gregas?
O clima ameno todo o ano, as aldeias típicas repletas de pequenas casas pintadas de branco, os sabores e cheiros do mediterrâneo, os momentos românticos enquanto assistes a um fantástico por do sol na companhia da tua cara metade e claro....as bonitas praias de águas cristalinas que fazem parte da imaginação de muitos viajantes.

domingo, 1 de outubro de 2017

.LEROS - A PÉROLA DO DODECANESO

Visitar as ilhas gregas, Roteiro Leros

Deixámos Symi aos primeiros raios de sol. Enquanto o ferry boat rasga as águas tranquilas do mar Egeu, aproveitamos as quase três horas de viagem para descansar o corpo e repor os níveis energéticos seriamente afetados pelos sucessivos despertares prematuros dos dias anteriores.
À hora marcada os altifalantes do convés anunciam a nossa chegada ao porto de Leros e o grande navio atraca sem dificuldades por entre os pequenos barcos de pesca coloridos que  alinham ao longo do paredão. Pela primeira vez nesta viagem desembarcamos sem a confusão e o ambiente é visivelmente diferente...mais calmo!

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

.O QUE COMER NA GRÉCIA


Viajar não é só conhecer novos mundos e culturas. Viajar é também ter a oportunidade de se lançar à descoberta da gastronomia de um local.
Sentir os cheiros e sabores dos pratos típicos de um país ou região é um ritual que na nossa opinião deve ser adotado por todos os viajantes de forma a enriquecer a experiência e criar laços com o destino que visitamos.
Na nossa viagem pelas ilhas gregas do Dodecaneso apaixonámo-nos pelas pessoas com quem nos cruzámos, pelas paisagens que o nosso olhar contemplou e claro...pela deliciosa comida grega que a cada nova refeição se revelava uma das suas maiores riquezas. 

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

.LINDOS - A GRÉCIA EM TONS AZUL E BRANCO

O que visitar em Rhodes, Rodes - Grécia, Visitar as ilhas gregas, Roteiro

Os quilómetros que antecedem a nossa chegada a Lindos são espetaculares. 
Ao longe já se avista o Castelo, empoleirado no topo de uma colina na qual se aconchegam ruas e casinhas pintadas de branco que a esta distância mais parecem um gigantesco bolo de noiva que aumenta de tamanho a cada metro que avançamos. Lá em baixo e para completar esta espécie de cartão postal, um mar tão azul que no horizonte se funde na perfeição com o céu, onde dezenas de gaivotas dançam ao ritmo da leve brisa que se faz sentir.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

.VALE DAS BORBOLETAS - RHODES

O que visitar em Rhodes, Rodes - Grécia

A beleza das ilhas gregas vai muito para além das praias de sonho banhadas por águas translúcidas que preenchem o imaginário de muitos viajantes.
Existem outros locais igualmente especiais, onde o azul do mar é substituído pelo verde das árvores e nos quais a natureza nos surpreende com alguns dos seus mais belos caprichos. São locais onde o silêncio é palavra de ordem e que a cada novo passo nos deparamos com cenários que nos deixam sem palavras.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

.RHODES OLD TOWN - A CIDADE DOS CAVELEIROS

O que visitar em Rhodes, Rodes - Grécia, Visitar as ilhas gregas, Roteiro Visitar Symi

O dia inicia-se cedo...muito cedo!
Ainda não são sete da manhã e já caminhamos junto à muralha exterior da zona antiga da cidade de Rhodes
Os primeiros raios de sol surgem para lá das torres de pedra gastas pelo tempo e que anunciam a nossa chegada à imponente Porta de St.Athanasios, por onde penetramos num mundo que outrora pertenceu a cavaleiros, cruzados e destemidos marinheiros.
As ruas empedradas que tantos passos testemunharam, encontram-se a esta hora desertas e envoltas numa penumbra silenciosa que lhe confere um ambiente um tanto ou quanto sinistro.

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

.SYMI - RETRATOS DE UM LUGAR COM ALMA

Visitar as ilhas gregas, Roteiro Visitar Symi

Debruçado sobre um varandim daquele grande ferry boat que navega há mais de três horas pelas águas azuis turquesa do Mar Egeu, vejo surgir ao longe o Porto de Gialos onde atracaremos não tarda nada. 
A aproximação é lenta e o panorama faz-me seguir em silêncio. De ambos os lados surgem casas pintadas de tons vivos que de forma quase irracional se equilibram nas vertentes íngremes daquela lindíssima garganta natural.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

.PALÁCIO DOS MARQUESES DE FRONTEIRA - LISBOA


O Palácio dos Marqueses de Fronteira é atualmente um dos tesouros mais bem guardados da capital.Um tesouro que não faz parte dos roteiros turísticos e do qual pouco ou nada se fala.São escassos os turistas que sabem da sua existência e até os próprios lisboetas,muitos deles,desconhecem por completo este pedaço de história situado na freguesia de S.Domingos de Benfica,a dois passos da mata do Monsanto.

Este é sem dúvida um edifício marcante,que de forma quase heróica resistiu ao avançar dos anos e que ainda hoje,passados mais de três séculos desde a sua construção,mantém intactos o charme e o brilho dos seus tempos de glória. 

domingo, 13 de agosto de 2017

.MACHU PICCHU - A CIDADE PERDIDA DOS INCAS

Visitar Machu Picchu, Peru

Ás cinco da manhã quando deixamos o hotel, as ruas da pequena cidade de Aguas Calientes ainda se encontram envoltas na escuridão de uma noite que só se renderá daqui a um par de horas. 
Ainda assim o rebuliço é grande. Tal como nós, centenas de outros turistas já guardam lugar na longa fila para os autocarros que de forma confortável nos transportarão até ás portas da mais famosa antiga cidade Inca do mundo.
Compramos o bilhete num escritório improvisado e pouco depois, já na presença de meia dúzia de autocarros, é-nos dada a ordem para o embarque que decorre de forma ordeira e sem problemas de maior.

sexta-feira, 14 de julho de 2017

.PALÁCIO NACIONAL DA AJUDA - LISBOA


Enquanto percorria as páginas de uma revista,dei de caras com um interessante artigo que falava de um palácio situado a dois passos de Belém e que de imediato despertou a minha atenção. 
Aquelas linhas bem escritas,falam de um tal Palácio Nacional da Ajuda,que após uma leitura mais aprofundada percebi ser um dos locais que frequentemente aparece nos noticiários,quando o governo Português recebe visitas de estado.
Podia ler-se num dos parágrafos daquele texto que me cativava cada vez mais:

terça-feira, 11 de julho de 2017

.BURACAS DO CASMILO - UM CAPRICHO DA NATUREZA NA SERRA DO SICÓ

Visitar as Buracas do Casmilo, O que visitar em Portugal

A pequena aldeia do Casmilo vai ficando para trás e o carro avança agora por uma estrada de terra batida que à nossa passagem levanta uma enorme nuvem de poeira que de forma teimosa nos segue durante os poucos quilómetros que nos separam do nosso objectivo.
Seguimos os dois na companhia da simpática Beatriz que após a nossa chegada ás Casas do Adro se ofereceu prontamente para nos fazer uma visita guiada ao Vale do Sicó, a área onde se situam as famosas Buracas.

quinta-feira, 6 de julho de 2017

.CASAS DO ADRO - TAPÉUS,PORTUGAL


Perdida no meio do maciço do Sicó,fica uma pequena aldeia de seu nome Tapéus.
Foi nesta espécie de Portugal esquecido que fomos encontrar as extraordinárias Casas do Adro que nos acolheram durante o tempo que nos lançámos na exploração das Buracas do Casmilo.
A aldeia é fascinante,repleta de pequenas casinhas típicas bem cuidadas com flores coloridas nos beirais e rodeadas de encostas rochosas onde os pinheiros crescem sem pressas,pintando de verde a paisagem envolvente.

segunda-feira, 3 de julho de 2017

.PASSADIÇO DO ALAMAL - PASSEAR DE MÃOS DADAS COM O TEJO


Praia Fluvial do Alamal, pode ler-se numa placa com uma inscrição quase sumida e que anuncia a nossa chegada ao local que procurávamos. 
O tempo está ótimo. No ar sopra uma agradável brisa que atenua o calor, que sem exageros já aquece este final de manhã do mês de Junho.
Estacionamos o carro sob uma árvore que por agora ainda lhe confere alguma proteção e avançamos meia dúzia de passos. Sem surpresa já se avistam as águas azuis do Rio Tejo onde um pequeno grupo de jovens se refresca.

sexta-feira, 30 de junho de 2017

.HOTEL IBIS COIMBRA


Coimbra despertava em nós um desejo quase incontrolável de regresso.Escolhemos datas,planeámos a viagem e traçámos um roteiro que nos permitisse revisitar e reviver momentos vividos há mais de vinte anos.
Com tudo pronto,faltava-nos escolher o alojamento.Depois de alguma pesquisa descobrimos o Hotel Ibis que se revelou a opção certa para a nossa curta mas proveitosa estadia na cidade de Coimbra.

quinta-feira, 29 de junho de 2017

.VISITAR COIMBRA - O MELHOR DA CIDADE DOS ESTUDANTES

O que visitar em Coimbra, Portugal - Roteiro

Numa conversa de café, um senhor de bigode farto e patilhas a condizer expressa-nos o seu orgulho de ter nascido nesta cidade e com ela ter crescido e aprendido a viver com as mudanças e com o aumento dos turistas.
A certa altura e já com visível confiança, aquele homem de discurso fácil acaba por soltar algumas inconfidências.
"Alguns têm um aspecto esquisito, outros parecem baratas tontas...perdidas com tanta beleza".
...e continuando:
"Primeiro eram os estudantes que davam vida à cidade, mas agora esses já não têm força para fazer frente aos estrangeiros que chegam todos os dias. Isto no verão enche-se de gente...é uma alegria!".

terça-feira, 27 de junho de 2017

.CASAS DA LADEIRA - UM PEDAÇO DE PARAISO NA MATAGOSA


Este é um daqueles projectos que louvamos e que gostaríamos ver mais presente em Portugal.
As Casas da Ladeira situadas na Pacata aldeia de Matagosa (algures entre Abrantes e Vila de Rei) são na nossa opinião um exemplo a seguir no que ao turismo rural diz respeito.

O espaço, completamente renovado é composto por quatro casas familiares totalmente equipadas (ideais para quem quer passar vários dias e preparar as suas próprias refeições) e ainda três quartos duplos onde tal como nas casas o conforto e o bom gosto na decoração são uma das imagens de marca deste autêntico paraíso situada a dois passos das margens de albufeira da barragem de Castelo de Bode.

segunda-feira, 26 de junho de 2017

.TRILHO DAS CASCATAS - VILA DE REI


Estamos no início do verão e o tempo abafado dos dias anteriores faz-nos antever que a tarefa que delineámos para o dia de hoje não será fácil.
Mesmo assim, aos primeiros raios de sol, já avançamos em direção à Vila de Rei. A viagem por estradas envoltas em verdejantes pinhais é rápida e à nossa chegada, aquela pequena povoação de casas pintadas de branco, ainda se encontra completamente despida de gente. Somente alguns cães se passeiam pelas ruas ainda adormecidas.

sábado, 24 de junho de 2017

.ESTALAGEM SANTA IRIA-TOMAR


Mesmo no centro de Tomar,existe um hotel que tem o condão de nos transportar para o charme e elegância de tempos passados,quando nos meados dos anos cinquenta esta cidade viveu uma espécie de época dourada.
  
A calma que se sente desde o momento que atravessamos a ponte de pedra e nos leva até à pequena ilha onde se encontra a Estalagem Santa Iria,acabou por ser o primeiro passo de uma experiência que se viria a revelar fantástica.
Ao redor do edifício,além do parque de estacionamento privativo,existe também um bem tratado jardim onde é possível passear enquanto escutamos o relaxante som das águas do Rio Nabão,que num movimento continuo correm sem pressas.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

.VISITAR TOMAR E O CONVENTO DE CRISTO

O que visitar em Tomar, Portugal

Passaram tantos anos!
Lembro-me dos dias de verão em que de carro cruzava aquelas ruas, numa breve e fugaz passagem a caminho de Maçãs de D.Maria (terra do meu avô paterno) onde naqueles tempos passava grandes temporadas durante as férias escolares. Pela janela entreaberta ia perseguindo o movimento despreocupado das águas do Rio Nabão, e lá no alto, no topo do que me parecia uma enorme montanha o meu olhar prendia-se no imponente Castelo, que na minha inocência de criança me transportava para contos de fadas imaginados por mim. 

segunda-feira, 5 de junho de 2017

.LJUBLJANA - ROTEIRO PARA TRÊS DIAS

O que visitar em Ljubljana, Liubliana, Eslovénia

Pode parecer pouco, mas três dias é na nossa opinião tempo suficiente para ficar a conhecer minimamente a capital da Eslovénia, assim como alguns dos principais pontos turísticos ao redor da mais importante metrópole do país.
Este roteiro foi executado com base na nossa passagem por Ljubljana,em que tentámos tirar o máximo partido do tempo que dispúnhamos.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

.10 CIDADES A NÃO PERDER NO NORTE DE ITÁLIA


A Itália sabe-nos bem!
Depois de diversas escapelas de fim de semana, achámos que já era altura de conhecer de forma mais aprofundada, este que é um dos nossos países favoritos na Europa.
Os 12 dias que dispúnhamos afiguravam-se escassos para tantos locais, experiências e objectivos, e como sempre acontece, fomos obrigados a efectuar algumas cedências.
A escolha não foi fácil mas depois de muita ponderação, idealizamos um roteiro ambicioso que nos levaria a conhecer e revisitar algumas das mais bonitas cidades do norte deste país fantástico.

terça-feira, 16 de maio de 2017

.ROTEIRO 10 DIAS NO JAPÃO


Viajar para o Japão é lançar-se à conquista de uma das mais fascinantes culturas mundiais,repleta de tradições milenares e onde a maravilhosa culinária acaba por ser só um dos muitos tesouros que este país tem para serem descobertos.
Apesar da história e do passado glorioso,o Japão cresceu e desenvolveu-se de forma equilibrada,acabando nos últimos anos por se transformar num dos mais tecnológicos países do mundo.
O país é vasto e são tantos os locais,as cidades,as curiosidades e as experiências propostas,que foi para nós difícil traçar um roteiro de viagem,para os escassos dez dias que disponhamos.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

.LUCCA - O DOÇE SABOR DA TOSCANA


Ainda não é noite quando chegamos a Lucca, mesmo assim os candeeiros que se alinham ao longo da avenida principal já se encontram iluminados, dando um ambiente um tanto ao quanto romântico àquele enquadramento agradável ao olhar.
Logo ali, ás portas da estação ferroviária compramos umas pizzas, que servirão para mais tarde reconfortar o estômago, neste final de dia que começou bem cedo em Florença.
Do lado de lá da rua, a imponente muralha que nos vem acompanhando, esconde certamente o verdadeiro encanto desta cidade e de forma vincada serve de fronteira entre a cidade nova e a cidade velha.

quarta-feira, 3 de maio de 2017

.FLORENÇA - ITÁLIA


O despertador toca como normalmente ás seis e meia da manhã e pela primeira vez nesta viagem equacionamos ficar na cama até mais tarde. Ao sétimo dia, o corpo começa a fraquejar e a dificuldade de iniciar a jornada é cada vez maior.
Florença é um caso antigo, com quem quero fazer as pazes e não seria justo deixar passar esta oportunidade.
Através das frestas das janelas do quarto ainda escuro, entra um feixe de luz que denuncia mais um dia de sol.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

.BOLONHA - A CIDADE DAS MIL ARCADAS


A viagem de comboio desde Verona durou cerca de uma hora e meia, o que permitiu que  chegássemos a Bolonha antes das sete da tarde.
Entretanto o tempo alterou-se por completo. O céu que ainda à pouco era azul, encontra-se agora coberto de nuvens cinzentas que não auguram nada de bom.
Assim de repente,Bolonha parece-nos uma cidade suja, sem brilho e com um trânsito caótico que nos recorda a nossa passagem por Milão.

sexta-feira, 21 de abril de 2017

. VERONA - MUITO MAIS QUE UMA HISTÓRIA DE AMOR


Naquela manhã de domingo sabe-nos bem caminhar pelas ruas de Verona na companhia daquele ventinho fresco que nos afaga o cabelo e nos arrepia a pele.
Na Piazza Brá, com a grande Arena Romana a servir de pano de fundo, o mercado de flores que ali se realiza por aqueles dias começa pouco a pouco a ganhar forma.
Em conjunto com os feirantes que afincadamente montam as suas barracas, alguns cães vadios passeiam-se sem destino fixo e comem os restos de comida que por ali ficaram na noite anterior.

terça-feira, 18 de abril de 2017

.PÁDUA - ITÁLIA


É sábado e as ruas de Pádua naquele início de dia encontram-se despidas de gente. Tal como vem sendo hábito o tempo está fantástico e pouco a pouco o sol vai enchendo de luz a cidade e fazendo subir a temperatura que a esta hora já deve rondar os 12°C. 
No caminho para o chamado centro histórico passamos pela estação ferroviária onde na véspera tivemos o primeiro contacto com a cidade e que agora serve de tecto a alguns sem abrigo que se preparam para mais um dia...provavelmente igual a tantos outros!

sexta-feira, 14 de abril de 2017

.MURANO,BURANO E TORCELLO - UM PASSEIO PELAS ILHAS DA LAGOA DE VENEZA



-MURANO
O dia está fantástico e o vaporeto que nos carrega,avança a bom ritmo pelas águas azul turquesa da Baía de Veneza.
Murano surge no horizonte antes de fazermos uma última paragem na ilha de San Michele,onde se situa o cemitério que acolhe os corpos dos venezianos que já partiram.A escala é curta,não entra nem sai ninguém.
O ruído dos motores a diesel da embarcação que ainda guarda a designação dos tempos em que se movia a vapor,ecoa pelo ar e quebra o silêncio daquelas primeiras horas matinais.

quarta-feira, 12 de abril de 2017

.VENEZA - UM DIA NA CIDADE FLUTUANTE

O que visitar em Veneza, Roteiro

O voo da Ryanair aterrou no Aeroporto de Treviso já era noite cerrada e bastou-nos apanhar um bus para em cerca de meia hora chegarmos ao coração de uma das mais bonitas cidades da Europa.
Dez anos depois, estávamos de novo em Veneza que desta feita seria o ponto de partida de uma maratona que iria durar dez dias e que nos levará a conhecer um pouco do norte do país.

sábado, 25 de março de 2017

.MÉXICO - PELAS ESTRADAS DA PENÍNSULA DO YUCATAN (ROTEIRO COMPLETO PARA 1 SEMANA)

México riviera maya o que visitar

Dez anos passaram deste a nossa primeira viagem ao México. Nessa altura não estávamos habituados a grandes andanças e aquele país situado do outro lado do Oceano Atlântico parecia-nos tão distante, muito para além de todas a viagens que havíamos realizado até então.
Seria somente uma semana...uma daquelas semanas que sempre desejámos ter, depois de um ano de trabalho. Afiguravam-se dias de calma,num hotel cheio de estrelas da Riviera Maya, onde tudo estaria incluido e onde teríamos tempo mais que suficiente para desfrutar das praias paradisíacas,repletas de palmeiras.As Caraíbas faziam-nos sonhar!

segunda-feira, 20 de março de 2017

.AKUMAL - A PRAIA DAS TARTARUGAS


Num par de horas o tempo mudou drasticamente. Já não há chuviscos, nem nuvens negras, nem aquele vento desagradável trazido pelo mar. O sol brilha como nunca e sobre as nossas cabeças estende-se agora uma infindável tela azul que no horizonte se funde com as águas calmas do Caribe.
Um autêntico devaneio da natureza que com certeza decidiu compensar-nos pelo seu mau humor matinal e que de certa forma acabou por condicionar a nossa visita a Tulum.
Tomamos aquele capricho meteorológico como um convite para uma tarde bem passada numa das muitas praias que connosco se vão cruzando ao longo da carretera.

quarta-feira, 15 de março de 2017

.RESERVA NATURAL DE SIAN KA'AN - COMO VISITAR DE POR CONTA PRÓPRIA


Há uns tempos quando lia um texto numa qualquer revista de viagem, tive conhecimento deste local fantástico situado nos arredores de Tulum e classificado como património da UNESCO.
Agora que estávamos de partida para a Riviera Maya, tinha de incluir a Reserva Natural de Sian Ka'an no nosso roteiro.
Depois de muita procura encontrámos duas ou três agências locais que organizavam tours à reserva, mas os preços praticados por todas elas (entre os 2000 MXN e 3000 MXN/ pessoa) acabavam por ser proibitivos para os nossos padrões.

domingo, 12 de março de 2017

.TULUM - A ANTIGA GUARDIÃ DO MAR DO CARIBE


O acordar foi fácil.
Esta noite dormimos um pouco mais que as anteriores e isso fez toda a diferença.
Já devia haver mais luz lá fora e quando vou até à varanda do nosso quarto constato que o tempo mudou drasticamente. Um manto de nuvens cinzentas cobrem o céu que até ontem se mantinha azul. Não é justo! Logo hoje que vamos estar frente a frente pela primeira vez nesta viagem com mar do caribe.
Embora com pouca fé, tento convencer-me que entretanto a situação vai melhorar.
Temos cerca uma hora para nos arranjarmos, levar a bagagem para o carro e tomar o pequeno almoço que já deve estar a ser servido na zona da piscina.

quarta-feira, 1 de março de 2017

.BUDDHA PARK - UMA INCRÍVEL VIAGEM AO MUNDO DA FANTASIA


O despertar é tranquilo. O dia, à semelhança dos anteriores amanhece abafado e nem a ventoinha que rodopia sobre a nossa cama consegue atenuar aquela sensação de desconforto. Ainda assim, resolvemos ficar na ronha por mais uns momentos. Não dormimos, ficamos só ali em silêncio a gozar aquelas que serão as últimas horas de preguiça no Laos.
Num impulso saltamos da cama e tomamos um duche gelado que nos refresca o corpo e desperta a alma. Agora sim, estamos prontos! 

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

.À DESCOBERTA DE VIENTIANE - LAOS


Vientiane sabe a despedida. Sabe a meta alcançada depois de uma semana a viajar pelo país.
Acordo cedo e é-me impossível não pensar que em pouco mais de vinte e quatro horas já estaremos a caminho de casa. 
Lá fora oiço os sons de uma cidade que também parece ter despertado cedo. 
Sinto-me desconfortável. Estou ansioso por me libertar deste quarto abafado para que possa voltar a sentir o ambiente das ruas que nos receberam ontem à noite quando chegámos vindos de Vang Vieng
A Paula ainda dorme. Quero aproveitar estes momentos de calma matinal e sem outras opções, sento-me num terraço comum enquanto dou uma vista de olhos rápida pelo guia Lonely Planet onde assinalo meia dúzia de locais que me parecem interessantes. 

domingo, 19 de fevereiro de 2017

.VANG VIENG - GUIA PRÁTICO


Depois de alguns dias em Luang Prabang estava na altura de avançar, e Vang Vieng seria o próximo destino desta nossa viagem pelo Laos.
Chegámos um pouco a medo, muito por culpa de alguns testemunhos menos positivos que havíamos lido na internet. Falava-se de drogas, álcool e de um ambiente um tanto ao quanto hardcore que nos deixava um pouco relutantes com aquilo que esperávamos encontrar. Contra todas as expectativas os nossos receios acabaram por se revelar injustificados e rapidamente percebemos que esta pequena cidade, que em tempos foi uma espécie de mundo sem lei, é atualmente um destino apetecível. 
Quanto a nós, acabámos por nos render aos encantos de Vang Vieng que se revelou um dos locais mais fantásticos que visitámos no Laos, e os dois dias que tínhamos inicialmente planeado ficar, rapidamente se transformaram em quatro. 

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

.BLUE LAGOON - COMO CHEGAR DESDE VANG VIENG


No nosso terceiro dia em Vang Vieng acordei cedo, muito antes daquilo que tínhamos previsto. Tenho fome e sem mais alternativas petisco duas ou três bananas do cacho que comprámos ontem no mercado.
Aos poucos o sol vai nascendo e a claridade entra vergonhosamente através das cortinas entreabertas que protegem as janelas do nosso bungalow. Prevejo mais um dia espetacular!  

Entretanto e quando já terminávamos a primeira refeição do dia, somos surpreendidos pelo dono do hotel que com o seu ar engraçado nos dá os bons dias, pegando imediatamente numa chávena de café que vai bebendo enquanto organiza a papelada que se encontra espalhada sobre o balcão da recepção.
De vez em quando vai falando connosco e aqui e ali deixa sair umas palavras em Português, que nos confessa ter aprendido com um amigo moçambicano que conheceu durante os anos que viveu na Rússia.


Pegamos nas mochilas e logo ali, à saída do hotel, cruzamo-nos com uma pequena loja onde por 25.000 kip alugamos duas bicicletas que já viram melhores dias. Tentamos recolher algumas informações e rapidamente nos lançamos à descoberta das ruas de Vang Vieng. O principal objectivo de hoje é visitar a famosa Blue Lagoon, que segundo o nosso mapa se situa a meia dúzia de quilómetros a norte da cidade. Assim à primeira vista parece ser uma tarefa fácil de realizar.


Mesmo sabendo que a decisão iria acrescentar umas centenas de metros ao nosso percurso, optamos por atravessar o rio Nam Song pela ponte de bamboo para evitar pagar os 2000 kip cobrados na ponte de ferro.
Nesta zona o dia parece iniciar-se sem grandes pressas. Os bares da zona ribeirinha ainda recuperam dos excessos da noite anterior e somente meia dúzia de habitantes locais parecem por agora atrever-se a cirandar por ali.
À medida que nos afastamos do centro da cidade a paisagem vai mudando e a certa altura damos connosco completamente envolvidos pela verdadeira realidade rural do Laos, num mundo que poucas transformações deve ter sofrido nas últimas décadas. Avançamos por entre campos de cultivo a perder de vista e onde aqui e acolá o gado pasta calmamente. De ambos os lados da estrada alinham-se dezenas de enormes penhascos rochosos que parecem vigiar uma ou outra pequena aldeia ali existente e onde as gentes ocupam o tempo com os seus afazeres quotidianos. À nossa passagem são as crianças que melhor demostram a felicidade causada com a nossa presença, sorrindo e cumprimentando-nos com o típico sabaidee.
A viagem acaba por demorar o dobro do que seria expectável, uma vez que somos constantemente forçados a parar para que possamos registar aquelas paisagens.






Pequenos restaurantes e cabanas com souvenirs á beira da estrada anunciam a nossa chegada ao local pretendido. Por nós vão passando agora diversas vans que provavelmente transportam turistas que optam por realizar a visita de um forma mais prática e confortável. De facto, já se avista a entrada daquele que muito provavelmente será um dos locais mais visitados de Vang Vieng. 
Depois de percorrermos os derradeiros metros, o acesso é-nos autorizado assim que adquirimos o ingresso que para nossa surpresa só custa 10.000 kip por pessoa.


As expectativas eram grandes e afinal o espaço não deslumbra. O nome Blue Lagoon tinha feito crescer no nosso imaginário a imagem de algo paradisíaco. Um daqueles locais capazes de nos fazer imediatamente ter a certeza de que aquela curta viagem tinha realmente valido a pena. 
Ainda assim e porque não queríamos tirar conclusões precipitadas, entrámos quase de imediato naquela piscina natural de águas turvas parcialmente ocupada por um grupo de chineses ruidosos.
Por entre mergulhos e macacadas, ficamos naquele trecho de rio até que o corpo começa a ceder à baixa temperatura da água. Além disso já se vão fazendo horas de almoço.
Logo ali ao lado, um terreno relvado revela-se o sítio ideal para nos estendermos confortavelmente ao sol enquanto comemos as sanduíches que comprámos esta manhã.






A um canto, no meio da vegetação, reparamos numa placa com a indicação: Tham Phu Cave.
Havíamos lido algumas críticas positivas sobre este local e mesmo sabendo de antemão que teríamos de literalmente escalar uma montanha, este era um dos locais que tínhamos marcado como sendo de visita obrigatória. 
Pegámos nas mochilas e com passos firmes vamos trepando aquela encosta escarpada. Se ocasionalmente vamos tendo a ajuda de corrimões de bamboo que nos amparam os movimentos noutros pontos a dificuldade aumenta e somos obrigados a subir pequenos escadotes de madeira de aspecto pouco seguro. 


Por fim alcançamos o nosso objectivo. Na parede daquele corpo rochoso, uma pequena abertura não deixa de forma alguma antever o espetáculo que estamos prestes a testemunhar.
Penetramos naquela espécie de mundo de sombras e depois do nosso olhar se habituar à pouca luz existente, detenho-me por breves minutos num ponto estratégico de onde tenho uma visão privilegiada sobre a grande câmara subterrânea que nos dá as boas vindas. Sinto-me pequeno, demasiado pequeno perante a imponência daquela galeria onde tudo parece ter sido criado numa escala sobre humana.




O chão gasto pelos milhares de pessoas que percorrem o único caminho que nos faz avançar até ao nível inferior prega-nos algumas partidas, levando-nos a escorregar por várias vezes. Além disso a quase falta de luz limita-nos os movimentos, levando-nos em alguns casos a caminhar sem a mínima noção do que pisamos ou ao que nos agarramos.
Sem incidentes de maior chegamos ao local que ainda agora avistávamos lá do alto. Estamos literalmente no coração da montanha, e sob as nossas cabeças ergue-se aquele impressionante tecto rochoso de onde pendem dezenas de estalactites das mais variadas formas. Um pouco mais à frente, deparamo-nos com um pequeno e simples santuário budista, onde o Buda reclinado ali presente parece receber sobre ele uma qualquer luz divina que de forma espetacular entra por uma abertura situada numa das paredes laterais da gruta. 



O caminho continua por um corredor que não nos inspira muita confiança. Ponderamos avançar, nem que seja só por alguns metros, mas rapidamente desistimos da ideia. Não vale a pena arriscar.
Ficamo-nos por ali.

Quando abandonamos a gruta, como que por magia, o tempo havia mudado completamente. O calor continua, mas o céu encontra-se agora coberto de nuvens.
A descida revela-se um pouco mais complicada, mas acaba por se fazer em menos de quinze minutos.
A nossa passagem pela Blue Lagoon termina depois de mais uma sessão de mergulhos que nos ajudam a refrescar o corpo.



  Pode acompanhar as nossas viagens e ver todas as fotos desde e outros destinos na página do Diário das Viagens no Facebook.