sexta-feira, 30 de novembro de 2018

.EGITO - ROTEIRO PARA QUINZE DIAS


Já não há Faraós. Ainda assim, o legado deixado por este povo permanece hoje tão incrível como na época que habitavam estas terras.
Sobreviveram as pirâmides, as múmias de reis e rainhas assim como muitos enigmas de difícil resolução. 
É talvez por isso que o Egito me fascina desde sempre. Vejo-o como uma espécie de museu a céu aberto no qual é possível ver, sentir e aprender algo de novo a cada passo dado. É um país rico em estórias e repleto de monumentos que durante mil anos fizeram questão de guardar a sua magia enquanto permaneceram escondidos sobre as areias do deserto. 
E há-os por toda a parte. Razão pela qual fomos obrigados a percorrer muitos quilómetros  e a abdicar de várias horas de sono. No final tudo isto valeu a pena uma vez que nos permitiu tirar o máximo partido do tempo disponível.

Viajar pelo Egito despertou em nós um turbilhão de emoções que jamais iremos esquecer. 
Caminhámos por entre o caos que se vive nas ruas da cidade do Cairo, deslumbrámo-nos com um lindíssimo pôr-do-sol em Assuão, sentimo-nos pequeninos perante a imponência de Abu Simbel, navegámos ao longo das águas tranquilas do Rio Nilo, descobrimos os segredos escondidos por entre os templos de Luxor, vestimos a pele de exploradores em Abydos e Dendera e por fim relaxámos nas bonitas praias do Mar vermelho.
Foram quinze dias incríveis e que deram para tanto e souberam a tão pouco...
Duas semanas em que tivemos a oportunidade de conhecer as várias faces deste país onde nem tudo é perfeito.  O excesso de lixo é uma realidade difícil de ignorar e o encanto de todos estes testemunhos do passado esbarra de forma quase violenta na poluição extrema que hoje parece afectar grande parte do país.   
É por demais evidente que os antigos Egípcios acabaram por dar lugar a uma população que, na sua maioria, pouco ou nada se esforça em preservar este seu valioso pedaço de mundo. 


.O ROTEIRO
Os locais que queríamos visitar estavam todos bem definidos e sabíamos que para conseguir encaixa-los nos escassos quinze dias disponíveis, iríamos ter de abdicar de algumas horas de sono. 
Este nosso roteiro acabou por resultar em muitos quilómetros de estrada, em alguns momentos engraçados e numa enorme lista de memórias que dificilmente iremos esquecer.

-DIA 1 E 2
CHEGADA AO CAIRO E PRIMEIRO CONTACTO COM A CAPITAL 
Chegar à capital do Egito significa entrar numa realidade bem diferente daquela que estamos habituados. O caos que se vive nas ruas do Cairo é permanente. São milhares de automóveis que circulam embalados pelo constante som das buzinas que por aqui funcionam como uma espécie de orquestra desafinada. 
Tudo isto se mistura com o chamamento para a oração que se solta dos minaretes das muitas mesquitas existentes e com o intenso cheiro das especiarias que emana dos bazares.
Depois de se adaptar a este novo mundo, está na altura de começar a descobrir os encantos da maior e mais populosa cidade do país.
Acreditem que são muitos...
A crónica completa deste dia com todas as informações necessárias pode ser lida AQUI.





-DIA 3
VISITAR MEMPHIS E AS PIRÂMIDES DE SAQQARA E DASHUR
São centenas as pirâmides que povoam o território egípcio. Umas mais, outras menos conhecidas, mas cada uma delas e à sua maneira parecem exercer um fascínio especial sobre todos aqueles que as visitam.
Hoje deixamos para trás o ambiente caótico da capital e lançamo-nos á descoberta da pirâmide de Djoser em Saqqara e das Pirâmides Vermelha e Corvada na região de Dashur.
Aproveitamos a proximidade para conhecer também outros complexos funerários existentes e o Museu de Memphis, no qual se encontra exposta uma gigantesca estátua do Faraó Ramses II, assim como outros tesouros encontrados nos terrenos da antiga capital.
Nessa noite optamos por dormir num pequeno hotel com vista para as Pirâmides de Giza.
A crónica completa deste dia com todas as informações necessárias pode ser lida AQUI.





-DIA 4
SENTIR A MAGIA DAS PIRÂMIDES NO PLANALTO DE GIZA
Acordar com as pirâmides de Giza do lado de lá da janela é só por si um daqueles momentos que transforma uma viagem ao Egito numa experiência inesquecível.
Depois de um pequeno almoço reforçado deixamos o hotel e em pouco mais de cinco minutos já estamos no interior do complexo, frente a frente com aqueles que são os mais importantes símbolos do Egito.
As piramides de Quéops, Quéfren e Miquerinos parecem ainda mais imponentes quando vistas de perto. Sentimos-nos minúsculos perante aqueles monumentos gigantescos construídos há mais de quatro mil anos.
Á nossa chegada os visitantes ainda são escassos. Aproveitamos aqueles momentos de calma rara para explorar o máximo possível a área mais central e ainda entramos de forma gratuita em duas das três pirâmides da rainha Heteferés, situadas perto da Grande Pirâmide.
Como seria de esperar, o espaço é rapidamente invadido por milhares de pessoas, e nós decidimos que está na altura de nos afastarmos da confusão. Caminhamos até à Pirâmide de Miquerinos e logo depois de uma breve exploração do local avançamos pelas areias do deserto até a um ponto mais elevado de onde temos talvez a mais espetacular vista sobre grande parte do complexo.
A crónica completa deste dia com todas as informações necessárias pode ser lida AQUI.





-DIA 5
UMA SURPRESA CHAMADA ASSUÃO 
Um voo madrugador leva-nos em menos de uma hora até à cidade de Assuão, situada quase no extremo sul do país e na qual damos início à segunda fase desta viagem. Temos um dia para explorar este oasis de frescura que ao longo dos anos foi crescendo nas margens do Rio Nilo. 
Os monumentos faraónicos estão presentes um pouco por toda a parte e no escasso tempo que dispomos fazemos questão de percorre-los e conhece-los um após outro.
De todos os sítios e experiências que vivenciámos, destacamos a tranquilidade existente no Templo de Philae assim como o lindíssimo pôr-do-sol que vimos a bordo de uma falua, enquanto navegávamos as águas do Rio Nilo.
A crónica completa deste dia com todas as informações necessárias pode ser lida AQUI.



  

-DIA 6
DESLUMBRAR-SE COM A IMPONÊNCIA DE ABU SIMBEL
Mais um dia a madrugar por uma boa causa. Hoje pouco depois das cinco da manhã já avançamos pela estrada que percorre o deserto e que nos levará até Abu Simbel. A chegada ao imponente templo erguido por Ramsés II acontece pouco depois do sol nascer e com a companhia de meia dúzia de pessoas assistimos ao momento em que a fachada esculpida na montanha se pinta de tons alaranjados. 
Foi incrível poder disfrutar deste local quando ainda não se encontrava invadido pelos milhares de visitantes que aqui chegam diariamente.
Valeu a pena a noite mal dormida só para testemunhar a imponência deste incrível monumento.
A crónica completa deste dia com todas as informações necessárias pode ser lida AQUI.





-DIA 7 E 8
MOMENTOS DE RELAX A BORDO DE UM CRUZEIRO NO RIO NILO
Hoje damos início aquela que é considerada uma das viagens mais míticas do mundo. Os próximos dias serão passados a navegar as águas do Rio Nilo a bordo de um navio de cruzeiro. Ao final da manhã deixamos para trás a cidade de Assuão e sempre rodeados de paisagens incríveis vamos descobrindo o lado mais rural do Egito. Vêem-se pequenas aldeias de onde as pessoas nos acenam, extensos e verdes campos agricultas nos quais cresce o sustento de muitas famílias e animais que pastam livremente nas margens do grande rio. 
Ao longo do trajecto estão previstas paragens nos templos de Kom Ombo e Edfu que seguramente nos ajudarão a atenuar a monotonia da viagem.





-DIA 9
LUXOR, DESCOBRINDO OS SEGREDOS MILENARES DOS TEMPLOS DA MARGEM ESTE 
Hoje e apesar de já termos abandonamos o cruzeiro fazemos questão de manter o ritmo de passeio. Ao final da manhã e depois de já termos deixado a bagagem no hotel escolhido, aproveitamos para conhecer um pouco da margem Este, com demoradas passagens pelos templos de Luxor e Karnak.
O sol esconde-se pouco depois das cinco da tarde e terminamos o dia com um agradável passeio pelo Bazar que ocupa algumas ruas do centro da cidade.
A crónica completa deste dia com todas as informações necessárias pode ser lida AQUI.





-DIA 10
LUXOR, UM DIA A DESVRAVAR A MARGEM OESTE 
Deixamos o hotel, apanhamos o ferry e já na margem oposta negociamos um preço aceitável com um taxista, de forma a que este nos acompanhe enquanto percorremos cada um dos locais que tencionamos visitar no dia de hoje.
O Templo de Hatshepsut é a primeira paragem do dia, seguindo-se o Vale dos Reis e por fim o Templo de Medinet Habu, que devido à sua beleza e à calma que se vive no seu interior acaba por se revelar uma enorme surpresa.
Regressamos à margem este, almoçamos já bem para lá da hora e terminamos o dia sentados à beira rio deslumbrados com mais um lindíssimo pôr-do-sol.
O Egito não pára de nos surpreender.
A crónica completa deste dia com todas as informações necessárias pode ser lida AQUI.





-DIA 11
SINTA-SE UM EXPLORADOR NOS TEMPLOS DE ABYDOS E DENDERA
Despedimo-nos de Luxor e ainda de noite avançamos para norte, para pela última vez sentirmos a energia e a magia da antiga civilização Egípcia. De forma a enriquecer ainda mais esta nossa expedição faraónica, fizemos questão de incluir no nosso roteiro os Templos de Dendera e Abydos, este último situado a quase duzentos quilómetros de distância, sendo necessário realizar uma viagem de quase três horas até alcançar o complexo.
É no interior destes dois monumentos que nos deparamos com os mais coloridos e bem conservados relevos existentes no Egito e que no nosso entender justificam claramente a visita.
Ao final da tarde chegamos à cidade de Qena, onde apanhamos um autocarro que nos levará até Hurghada, local que assinala o início da derradeira etapa desta nossa aventura.
A crónica completa deste dia com todas as informações necessárias pode ser lida AQUI.





-DIA 12,13 E 14
EM HURGADA E O MERECIDO REPOUSO NAS PRAIAS DO MAR VERMELHO
Depois de onze dias de alta rotação alcançamos Hurgada e as famosas praias do Mar Vermelho. É aqui, por entre mergulhos de mar e piscina que gastamos os derradeiros cartuchos desta nossa viagem. Safaris no deserto, passeios com direito a snorkling ou até prolongar a diversão diurna num dos muitos clubes noturnos, são só algumas das muitas formas que encontrará para ocupar o tempo. Nós optámos por abdicar de toda e qualquer ação e decidimos que estes seriam dias de descanso, momentos de puro relax que nos permitiriam repor os níveis energéticos.
Porque ás vezes também sabe bem não fazer nada... 





.É PERIGOSO VIAJAR PARA O EGITO?
Esta parece ser uma questão que ainda preocupa muita gente e por consequência uma das perguntas que mais nos têm feito desde que regressámos da nossa viagem pelo Egito.

É importante referir que no mundo atual os casos de violência ou até mesmo terrorismo podem acontecer em qualquer parte do mundo, não estando obviamente o Egito livre de  qualquer um destes acontecimentos. 
A nossa experiência foi extremamente positiva e tendo em conta que percorremos de forma independente uma boa parte do território, podemos afirmar que nunca sentimos qualquer falta de segurança nos quinze dias que estivemos no país. Percebe-se que neste momento existe um grande foco no que diz respeito à segurança dos visitantes. A policia assim como o exército encontram-se presentes um pouco por toda a parte, realizando na maior parte dos casos, revistas rigorosas à entrada das maiores atrações turísticas.

.QUANDO VISITAR ?
Devido à sua localização, o Egito é um daqueles locais para o qual é possível viajar em qualquer altura do ano, contudo no verão e em certas regiões as temperaturas podem subir até níveis difíceis de suportar. Das várias vezes que viajámos para este país fizemo-lo, primeiro nos meses de Abril e Maio e mais recentemente no mês de Novembro, tendo em qualquer um dos casos apanhado sempre um tempo excelente, com temperaturas bastante agradáveis que nos permitiram andar sempre com vestuário leve.
De qualquer forma é sempre aconselhável consultar a meteorologia local antes de viajar.

.É NECESSARIO VISTO ?
Tanto os cidadãos portugueses como os brasileiros necessitam de visto para entrar no Egito. Esta autorização de entrada pode ser obtida num qualquer consulado Egípcio no país de origem ou então aquando da chegada ao Egito.
O visto tem um custo de 25 USD e carece da apresentação de passaporte com validade de seis meses ou superior.

.QUANTO CUSTA VIAJAR PARA O EGITO ?
Os graves conflitos politicos que em 2011 assolaram o Egito, tiveram o condão de mergulhar o país numa grave crise que acabou por afectar de forma direta o turismo e todas as atividade a ele ligadas. Nos anos que se seguiram as pessoas ficaram com medo de viajar para o país, pondo de parte este que era até aqui o destino de férias que mais procura tinha no norte de África. Nessa altura e sem surpresa os preços baixaram para níveis nunca antes vistos e o Egito passou a ser (para aqueles que decidiam arriscar) um local extremamente económico para viajar.
Nos dias que correm, a estabilidade política regressou ao país e essa calma reflete-se obviamente no renascimento do turismo. Desde o final de 2016 a procura intensificou-se e sem surpresas os preços voltaram a subir de forma gradual. Percebemos que no espaço de um ano, e em alguns casos, houveram aumentos para mais do dobro, mas ainda assim perfeitamente suportáveis para as carteiras ocidentais. Para quem quer viajar sem grandes luxos, pode-se dizer que o Egito é atualmente um destino acessível.
No nosso caso, esta viagem teve um custo total de aproximadamente 950 euros por pessoa
  • ALGUNS GASTOS A NIVEL INDICATIVO
  • Voos: BUXELAS-CAIRO / CAIRO-ASSUÃO / HURGHADA-BRUXELAS = 350 euros por pessoa.
  • Alojamento: 12 noites = 155 euros por pessoa
  • Cruzeiro no Nilo 2 dias/2 noites = 128 euros por pessoa
  • Transportes / Deslocações = 110 euros por pessoa
  • Atividades / Visitas = 127 euros por pessoa

-OUTRAS CRÓNICAS SOBRE O EGITO:

Podem acompanhar as nossas viagens e ver as fotos deste e de outros destinos na página do Diário das Viagens no Facebook. 

Sem comentários:

Enviar um comentário