domingo, 10 de agosto de 2014

.HUÉ-A CIDADE IMPERIAL (PARTE-1)

Chegámos a Hué  e a decepção não podia ser maior. Chovia como se o mundo fosse acabar naquele final de tarde e nós ali parados debaixo do telheiro da estação de comboios,olhávamos para aquela "desgraça" enquanto esperávamos que alguém do hotel,que havíamos reservado dias antes,nos viesse buscar (gratuitamente) como tinha ficado previamente combinado.
Passaram cinco,depois dez minutos e nada.
Será que nada corre bem?Como se não bastasse a chuva,agora só faltava mesmo era que nos dessem a "balda" e não aparecesse o raio do transporte!
Pouco depois lá apareceu o "chauffeur",desculpou-se de mil e uma maneiras pelo atraso e lá seguimos em direção ao hotel.
O trânsito aquela hora era caótico e entre o para-arranca e muitas buzinadelas lá chegámos.


Primeiros momentos em Hué

Desembarcámos e as boas vindas foram dadas enquanto saboreávamos um delicioso refresco de fruta.Depois de efetuar o check in,fomos conhecer os nossos "aposentos".
Que serviço...Transporte gratuito desde a estação,refresco de boas vindas,bicicletas gratuitas e um quarto todo catita.Tudo isto por 10 euros!
Como por esta altura a noite já tinha caído,decidimos tomar um duche rápido e sair de imediato para comer algo e ter o primeiro verdadeiro contacto com a antiga capital imperial.
Regressámos à rua e de impermeáveis vestidos saímos à procura de um restaurante mas como a chuva não dava tréguas não nos afastamos muito,e depois de um excelente jantar voltámos ao hotel e nessa noite rezámos a todos os santinhos para que no dia seguinte o cenário fosse diferente...

Acordámos bem cedo e quase por instinto saltámos da cama e corremos em direção à janela do quarto.O céu continuava cinzento,mas pelo menos já não chovia.Parece que as nossas preses tinham sido atendidas!
Estávamos com pressa de começar a explorar a cidade,vestimo-nos,tomamos o pequeno almoço reforçado e por volta das oito e meia da manhã já nos encontrávamos montados nas nossas bikes (gratuitamente cedidas pelo hotel) prontos para mais uma aventura.Só tínhamos um dia para conhecer Hué e outro para visitar os templos e túmulos situados ao longo do rio do perfume...Todos os minutos contavam.


Ponte Trang Tien

Pedalámos pelas ruas da cidade,cruzámos o rio para a margem norte pela ponte Trang Tien e pouco depois desfilava diante nós aquela espécie de fortaleza com a sua imponente muralha de seis metros de altura e dois quilómetros e meio de comprimento,que em tempos protegera a cidade purpura proibida,local de residência do imperador e toda a sua família.Obviamente esta é uma copia em escala mais reduzida daquela que existe em Pequim.


Muralha e da Cidadela de Hué

Para aceder ao complexo atravessámos o enorme fosso por uma das varias pontes existentes e assim que entrámos fomos "convidados" a estacionar as bicicletas,visto que não é permitida a circulação de nenhum veiculo dentro do complexo.


Uma das varias pontes sobre o fosso

Caminhámos talvez cem ou duzentos metros até à bilheteira e comprámos um bilhete (ainda pouco divulgado) que custa 180.000VND que combina as entradas na cidadela e nos túmulos de Khai Dinh e Minh Mang.Este "ticket" é uma excelente opção para quem conta passar mais de um dia a explorar a cidade e arredores,pois é valido por dois dias e permite poupar 85.000VND,visto que o preço total dos ingressos quando comprados separadamente é de 265.000VND.Nada mau!


Bilhete combinado


Entrada principal da Cidadela

Acedemos à cidadela (listada pela UNESCO como património mundial desde 1993) pela porta principal,por aqui chamada de Ngo Mon e depois de atravessar um grande pátio fomos visitar o palácio da suprema harmonia (Thai Hoa) com as suas 80 colunas de madeira e de onde se destaca o bonito trono que se eleva no centro da sala e era ocupado pelo imperador durante as cerimónias imperiais assim como nas recepções oficiais.




Palácio da suprema harmonia ao fundo


Entrada do palácio da suprema harmonia


Interior do palácio da suprema harmonia


Logo de seguida e depois de breves passagens por alguns pequenos templos entrámos naquele que era o espaço mais sagrado de todo o complexo:a cidade purpura proibida.
Esta cidade dentro da cidade é composta por diversas residências,palácios,bibliotecas,teatros, templos e bonitos jardins.


Uma das entradas da Cidade Purpura Proibida

Templo Hung Mieu

Sala de leitura do imperador

Infelizmente todo o complexo sofreu bastante com os bombardeamentos que ocorreram durante a guerra do Vietname e em vários locais ainda é possível ver as "feridas" deixadas por esse triste acontecimento,mas aos poucos têm vindo a ser realizadas obras de restauro e reconstrução e alguns edifícios já apresentam um aspeto muito idêntico ao original.


Edifício recentemente restaurado


Edifício recentemente restaurado


Edifício recentemente restaurado


Edifício recentemente restaurado

Um dos excelentes exemplos do bom trabalho de recuperação é o teatro real que foi originalmente construído em 1826 e era aqui que o imperador assistia a espetáculos tradicionais executados em sua honra.Tal como por toda a parte também aqui o interior é claramente decorado com motivos chineses,o que mostra as influências que o vietname sofria no inicio do sec. XIX.
Ocasionalmente e depois de mais de 180 anos este teatro ainda é usado para pequenas representações de algumas companhias locais.


Teatro imperial


Teatro imperial


Teatro imperial

O teatro foi o últimos grande edifício que visitamos dentro do complexo,depois disso ainda passeámos um pouco pelos jardins existentes até que decidimos dizer adeus à cidadela.
Voltámos a pegar nas bicicletas e pedalámos sempre ao longo do rio e não foram precisos mais que quinze minutos para que chegássemos a uma das mais importantes pagodas dos país.


Pagoda Thien Mu

A Pagoda Thien Mu tem um grande significado na historia do Vietname,porque foi daqui que em 1963 saiu um monge em direção a Saigão e quando lá chegou imolou-se num acto de protesto contra o regime do presidente Ngo Dinh Diem.
A sua construção foi terminada em 1601 e é considerado um dos espaços religiosos mais antigos do país,além disso a torre octogonal que se encontra no pátio principal,composta por sete andares é também a maior deste género no Vietname.


Torre octogonal

De um dos lados da torre está um enorme sino de bronze que pesa mais de duas toneladas e quando é tocado consegue ser ouvido a vários quilómetros de distância.
A entrada no santuário é feita através de um portal composto por três arcos guardados por grandes estatuas de madeiras chamadas de guardiões do templo.


Sino de bronze

Portais de acesso ao templo

Guardiões do templo

O templo propriamente dito é uma estrutura modesta e qualquer pessoa pode aceder gratuitamente ao seu interior,basta para isso retirar os sapatos,ir vestido correctamente e mostrar uma postura adequada  (respeitando os locais de oração).Apesar de já ficar um pouco longe do centro da cidade,este é um dos locais que fazem parte do roteiro turístico e como consequência é fortemente visitado o que acaba por lhe retirar alguma atmosfera de tranquilidade que supostamente deveria ter.


Aceso à pagoda

Interior

Interior

Como foi construído na encosta de uma pequena colina,lá do alto temos uma vista 
privilegiada sobre o rio do perfume.


Rio do perfume

Uma hora bastou para a visita e num piscar de olhos estávamos de regresso à estrada.Fizemos o caminho contrário áquele que havíamos feito de manhã,voltámos a travessar o rio e como ainda tínhamos tempo decidimos que iríamos visitar um templo e um túmulo situados na margem sul.
A escolha recaiu sobre a Pagoda Tu Hieu situada a 5kms de Hué e o túmulo do Imperador Tu Duc 2 kms mais à frente.Os outros ficariam para o dia seguinte.


Entrada da Pagoda Tu Hieu

Depois de andarmos perdidos e de ter-mos perguntado a não sei quantas pessoas qual a direção a seguir,lá chegámos á pagoda Tu Hieu...e afinal até era fácil lá chegar,o nosso mapa é que não era de grande qualidade!


Entrada da Pagoda Tu Hieu

Situado no meio de um bosque este templo foi erguido em 1842,mas da estrutura original pouco resta,visto que ao longo dos anos foi sucessivamente destruído e reconstruído e aos poucos tem vindo a ficar cada vez maior.


A Pagoda

A pagoda

Apesar de já ter vivido os seus dias de glória,hoje em dia ainda aqui reside uma pequena comunidade de monges,e cinco vezes por dia podem ser ouvidos a recitar as suas orações.

Não muito longe da Pagoda Tu Hieu fica o mausoléu do Imperador Tu Duc que seria a nossa próxima paragem.
Este túmulo,trata-se na realidade de um grande complexo composto por templos,lagos,pavilhões e palácios e destaca-se de todos os outros porque foi o único que serviu de residência ao imperador antes da sua morte.


Esquema do complexo


À entrada (mesmo à descarada) misturamo-nos num grupo de turistas franceses e conseguimos "penetrar" sem pagar o bilhete que custa 55.000VND por pessoa.
Uma vez lá dentro a primeira coisa que vemos é um enorme lago que em certas alturas do ano fica parcialmente coberto de flores de lotus,um espetáculo que infelizmente não tivemos a sorte de assistir.


O lago

Depois de passarmos pela porta Khiem Cung,atravessámos vários portais e uma série de pátios flanqueados por pavilhões de madeira e onde certamente muitas vezes o imperador se passeou enquanto aqui viveu.


Porta Khien Cung

Pavilhão residencial
Bonito portal

Do lado direito da área de residência encontra-se a zona onde foi construído o túmulo,zona essa que está dividida em vários patamares.Num primeiro nível estão as estátuas de pedra dos mandarins que simbolicamente guardariam o imperador após a sua morte,no patamar seguinte podemos ver um bonito pavilhão que contêm uma enorme lápide onde foram gravadas algumas palavras ditas por Tu Duc antes de morrer.Segundo percebemos trata-se de uma espécie de desabafo,onde ele admite e pede desculpa pelos erros que cometeu ao longo da vida.


Estátuas dos Mandarins

Pavilhão no segundo patamar

Coluna ornamentada 

Continuámos e chegámos finalmente ao terceiro patamar onde se encontra o túmulo do imperador.É provavelmente o local mais modesto de todo o complexo,o que nos surpreendeu por completo pois imaginávamos que íriamos encontrar algo suntuoso,talvez mesmo excêntrico,mas na realidade o que vimos foi um espaço bastante simples.
Trata-se de um sarcófago de pedra rodeado por uma muralha sem grande ornamentações.
Afinal e tal como acontece muitas vezes a beleza está na simplicidade...


Sarcófago onde está sepultado o imperador 

E foi assim que passámos mais um dia da nossa incrível viagem pelo Vietname.Desta vez estivemos na histórica cidade imperial de Hué onde continuaremos no dia seguinte.
A nossa aventura continua com um bonito passeio de barco pelo rio do perfume e com as visitas aos Tumulos de Khai Dinh e Minh Mang.


Em baixo podem aceder a todas as nossas crónicas sobre o Vietname:
Good morning Vietneme
Ho Chi Minh
Túneis de Cu Chi
Hoi An
Ruinas de My Son
Hué parte 1
Hué parte 2
Hanoi parte 1
Hanoi parte 2
Halong Bay


Podem acompanhar as nossas viagens e ver todas as fotos desde e outros destinos na página do Diario das Viagens no Facebook.

Sem comentários:

Enviar um comentário