sábado, 10 de dezembro de 2016

.MALDIVAS EM MODO LOW COST


Há meia dúzia de anos atrás ninguém imaginava ser possível viajar para as Maldivas de forma económica.Nessa altura os Resorts de luxo,situados em ilhas privadas eram a única opção de alojamento e devido aos preços praticados,poucas pessoas tinham a oportunidade de conhecer este pedaço de paraíso banhado pelas águas translúcidas do Oceano Índico.
Contudo,nos últimos tempos a situação alterou-se e algumas ilhas habitadas por comunidades locais abriram portas ao turismo independente e pouco a pouco as Maldivas foram-se transformando num destino igualmente acessível para aqueles que viajam com um budget de certa forma limitado.
Mas nem tudo são rosas e as imagens dos cartões postais estão longe ser ser o reflexo fiel do que realmente é este país.Convêm não esquecer que as Maldivas são um país muçulmano onde obviamente a venda de bebidas alcoólicas é proibida e onde convém adaptar uma postura de respeito para com os habitantes locais.
No que diz respeito a banhos,e apesar de existirem diversas praias publicas é importante
realçar que os turistas só podem desfrutar das chamadas Bikini Beaches.

.Como chegar  
A principal porta de entrada nas Maldivas é na maioria dos casos o Aeroporto Internacional Ibraim Nasir,situado a uma curta distancia da capital,Malé.
São bastantes as companhias que voam para este destino e atualmente devido à grande concorrência existente é possível conseguir ótimos preços.No nosso caso pagámos cerca de 300 euros por um voo Madrid-Londres-Malé-Londres-Madrid,operado pela espanhola Iberia.

.Como se deslocar
Ferry
O Aeroporto internacional fica situado na pequena ilha de Hulhulé de onde basta apanhar o Ferry Local que sai a cada dez minutos.O curto trajecto não demora mais de um quarto de hora a realizar e custa 15 MVR (1 USD).
Uma vez que os locais que vos vamos aconselhar visitar,ficam todos a sul e tanto a capital como o aeroporto encontram-se na zona norte,vai ser necessário chegar ao Terminal de Ferry's Villingili de onde partem os barcos para a área que elegemos para a nossa estadia.
Este trajecto pode ser feito a pé (+/- 20 minutos) ou de taxi.Se optares pela segunda opção não pagues mais de 30 MVR (2 USD).
O ferry em direção a sul sai todos os dias com excepção da sexta feira e tem um custo de 22 MVR e leva entre uma hora e meia e duas horas et ao destino desejado.

-Partidas de Malé em direção a Gulhi,Maafushi e Guraidhoo.
Segunda feira:15:00
Terça feira:10:00/15:00
Quarta feira:15:00
Quinta feira:10:00/15:00
Sexta feira:fora de serviço
Sábado:15:00
Domingo:10:00/15:00

Speedboat
Para aqueles que tenham voos a aterrar depois das 15:00 ou que prefiram chegar ao destino de forma mais rápida e cómoda,existe sempre a opção Speedboat que pode ser combinada e marcada antecipadamente com o hotel.Este serviço tem um custo mínimo de 100/150 USD por pessoa.




.Que ilhas escolher
Ao todo as Maldivas são constituídas por cerca de 1200 ilhas,das quais somente 200 são habitadas.
Cem,são hoje em dia privadas e ocupadas por resorts de luxo e outras tantas habitadas pela população local.
Em baixo deixamos uma lista com algumas das ilhas que podem ser visitadas de forma independente e onde terão a oportunidade de desfrutar do paraíso sem que seja necessário estoirar o orçamento.

-Maafushi
Este é sem sombra de dúvidas a ilha mais visitada por mochileiros e talvez a mais animada que terão a oportunidade de conhecer.Bares,restaurantes,hotéis e guesthouses abundam por toda a parte e onde é possível permanecer três ou quatro dias sem gastar muito dinheiro.
Podem ler a crónica detalhada sobre esta ilha aqui.




-Gulhi
Com um ambiente bastante mais tranquilo,esta é uma ótima escolha para quem quer passar um par de dias de papo para o ar.Tanto as opçoes de alojamento como de restauração são bastante mais limitadas que em Maafushi,contudo os preços são em tudo idênticos.
Podem ler a crónica detalhada sobre esta ilha aqui.




-Fulhidoo
Apesar de não termos visitado esta ilha,temos amigos que lá estiveram que nos disseram maravilhas deste local.O acesso pode ser feito através de speedboat que convém reservar previamente com o hotel escolhido.Para quem prefere algo mais barato a alternativa é o lento ferry boat,que circula no sentido Malé-Fulhidoo somente ao domingo,terça-feira e quinta-feira e na direção inversa ao sábado,segunda-feira e quarta feira. 

-Malé
A capital é na maioria dos casos a porta de entrada e saída do país.Apesar do aeroporto internacional se situar na ilha vizinha de Hulhulé ,a verdade é que se optarem por viajar de forma economia terão sempre de se deslocar a Malé de forma a apanhar um speedboat ou um ferry para uma das ilhas que mencionamos em cima.
Sugerimos que guardem um dia para visitar este local e sentir a verdadeira essência das Maldivas e de como vive o seu povo.
Podem ler a crónica detalhada sobre esta ilha aqui.




.O que fazer
Além das bonitas praias onde com certeza irão passar grande parte do tempo e onde é possível ocupar o tempo com atividades como padle board ou kayak e também da descoberta da vida e da cultura local,estas ilhas que que vos falamos,pouco mais têm para oferecer.Contudo a grande maioria dos hotéis,propõem tours diários que levarão os visitantes a viver experiências únicas de onde destacamos o mergulho/snorkeling no meio de corais e peixes de mil cores com o bonus de poder observar tartarugas,tubarões e mantas.Estes tour's saem diariamente e têm um custo que varia entre 20 e 40 USD.
Por cerca de 80 USD terão a oportunidade de mergulhar com tubarões baleia.
Existem igualmente passeios que mediante um pagamento de cerca de 100 USD,permitem a ida a um dos vários resort's de luxo das imediações com direito usufruir das instalações assim como de uma refeição.




.Onde dormir
Apesar de ser rotulado como destino de luxo,as Maldivas não são diferentes de qualquer outro país,existindo de facto opções de alojamento para todos os gostos e carteiras.O importante é definir um budget e a partir dai escolher a solução que mais nos convém.
Nós,durante a nossa viagem resolvemos só por uma vez experimentar algo um pouco mais refinado,de forma a sentir por um par de dias .....
Nos restantes dias optámos por hotéis e guesthouses económicas,porque o verdadeiro objectivo desta viagem era conseguir passar uma semana nas Maldivas em modo lowcost. 
Aqui fica a lista dos locais onde ficámos alojados:

-Maafushi
Na ilha mais procurada por turistas independentes demo-nos ao luxo de gastar 115 USD por noite no Hotel Kaani Beach.Foi este o preço que pagámos por uma quarto duplo,com direito a free wi-fi,toalhas e espreguiçadeiras na praia,material de snorkling e o uso de bicicletas.Neste tarifa estava igualmente incluido o regime de meia pensão para duas pessoas com bebidas incluídas à refeição escolhida (almoço ou jantar).
O hotel fica situado a dois passos da Bikini Beach.
Para quem pretender algo mais económico,facilmente encontrará na ilha outras soluções,uma vez que em Maafushi existem um sem numero de escolhas de alojamento.

-Gulhi
Ficámos dois dias neste pequeno paraíso.Na altura em que lá estivemos,constatamos que o numero de opções de alojamento ainda era de certa forma limitada,mas suficiente para o pouco fluxo de turistas que a visita.Contudo e ao passearmos pela ilha demo-nos conta que mais e mais hotéis e guesthouse's estão a ser construídos e com certeza nos próximos anos a oferta vai ser bastante mais que a procura,fazendo com que os preços baixem ainda mais.
O Lagoon Beach Veli foi a nossa escolha.Esta é a opção mais económica da ilha,mas que serviu perfeitamente as nossas exigências.A reserva foi feita directamente no local.O preço acordado foi de 40 USD por noite por um quarto duplo com w.c. privativo,pequeno almoço e toalhas de praia.
Trata-se de uma pequena guesthouse com somente quatro quartos e que fica situada a trinta segundos da bikini beach.

-Fulhidoo
Pelo que sabemos as opções de alojamento são escassas em Fulhidoo.Ao todo os visitantes têm somente uma mão cheia de guesthouse's por onde escolher.
Segundo as informações que nos foram dadas por amigos que visitaram esta ilha,o Hotel Kinan Retreat é uma excelente escolha.Fica situado mesmo em frente à praia e os preços rondam os 55 USD por noite com direito a pequeno almoço.

-Malé
A capital não é por natureza um local que atraia muitos turistas e as opções de alojamento não abundam e as que existem praticam preços de certa forma exagerados para os nossos padrões.
À semelhança de Gulhi,também aqui não levávamos alojamento previamente reservado.
Após alguma procura e ofertas de preços que nos fizeram desesperar,encontrámos finalmente algo que satisfazia os nossos bolsos.
A escolha recaiu pelo Kaani Lodge,um hotel bastante simples que mesmo assim nos custou 50 USD por noite por um quarto duplo,com w.c. privativo,free wi-fi e pequeno almoço.


Podem acompanhar as nossas viagens e ver todas as fotos desde e outros destinos na página do Diario das Viagens no Facebook.

2 comentários:

  1. Olá João. Tudo bem? Estamos epquisando, eu e minha esposa, passear em Maldivas pôr cinco dias , porém achamos tudo muito caro (mesmo). Vi que é possível visitar com custos reduzidos, como vocês fizeram. Pergunto, só tem venda de cerveja nos resorts? Vocês recomenda uma praia para curtir os cincos dias? Obrigado.

    ResponderEliminar