sábado, 28 de setembro de 2019

O MELHOR DO IRÃO - ROTEIRO COMPLETO PARA 10 DIAS


Não há como dizer isto de outra forma: O Irão foi muito provavelmente o destino que mais me marcou. 
Durante a minha viagem descobri um país com uma história quase tão vasta quanto a humildade das pessoas que comigo se cruzaram e me fizeram sentir em casa desde o primeiro instante. Sāo eles a maior riqueza deste país tantas vezes injustiçado por uma comunicação social sempre disposta a impor-nos a sua versão dos factos sem nunca passar pela experiência de lá ter estado.
Não me esqueço das vezes que um qualquer desconhecido me ofereceu pão, me convidou para beber chá ou simplesmente me ajudou sem nada pedir em troca. Não me esqueço também da riqueza arquitetónica das mesquitas cobertas de azulejos que me mostraram o quão bela e exótica pode ser a diferença cultural. 
O Irão é uma agradável surpresa para aqueles que procuram descobrir algo diferente. Um destino onde o turismo cresce de dia para dia mas que ainda assim não se deslumbra com o dinheiro fácil, preferindo manter-se fiel ao que infelizmente não passa na televisão. Nesta terra os amigos, os sorrisos ou os afetos ainda não se trocam pelo dinheiro que trazemos no bolso. Aqui tudo se faz de forma genuína, sem simpatias nem interesses camuflados.
É difícil falar sobre algo que me é tão querido sem que me deixe levar pelo lado emocional. Ainda assim e tendo em conta os locais que visitei e as experiências que tive durante a minha viagem, penso que o roteiro abaixo descrito o levará a conhecer o melhor que o país tem para oferecer. 










A NOSSA SUGESTÃO DE ROTEIRO:

.DIA 1

CHEGADA A TEERÃO E VIAGEM PARA ESFAHAN
Passavam poucos minutos das três da manhã quando aterrei no aeroporto internacional Imam Khomeini em Teerão.
Apesar de ter dormido um bom par de horas durante o voo, sinto-me cansado e com os olhos a exigirem mais umas horas de sono. Estou feliz, mas o corpo teima em não me deixar desfrutar do momento.
O desembarque foi rápido e como viajo sem bagagem de porão (somente com a minha mochila) em menos de dez minutos já me encontro na fila de controle de passaportes.
Não vou negar que estou um pouco apreensivo...
.A crónica completa sobre este dia pode ser AQUI.






.DIA 2

CONHECER OS TESOUROS DE ESFAHAN E VIAGEM PARA SHIRAZ
Acordei cedo e fiquei na cama a preguiçar por mais alguns minutos. Enquanto ali estava dei uma rápida vista de olhos no guia Lonely Planet de forma a tentar organizar minimamente a minha curta estadia em Esfahan. Só tinha um dia para conhecer a cidade, como tal marquei no mapa os locais que queria mesmo visitar. 
Levantei-me e foi à janela do quarto de onde avistava um pequeno pátio. Lá fora já havia luz mas o sol ainda não aparecia no horizonte.
Tomei um duche que durou mais do que o habitual e logo depois vesti-me.
Apesar do colchão ser um pouco duro a noite tinha sido reconfortante. Sentia-me bem e cheio de energia para dar início a mais uma jornada que...
.A crónica completa sobre este dia pode ser AQUI.






.DIA 3

DAY-TRIP A PERSÉPOLIS E AOS TÚMULOS DE NAQSH-E ROSTAM
Acordei com fome.
São sete horas e ainda não tenho planos para hoje, só sei que tenho de entregar o quarto daqui a nada. 
Visto-me em meia dúzia de minutos, pego na mochila, passo pela receção e se ainda der tempo talvez ainda consiga arranjar lugar para ir a Persépolis.
Falo com a mesma menina que me atendeu na noite anterior e que hoje me ajuda a reservar uma day trip à antiga capital Persa. A saída é ás oito, tenho de me despachar!
O pequeno almoço prolonga-se para lá do previsto e quando olho para o relógio já passa da hora marcada. Assim sendo, bebo um chá, como rapidamente o pão, meto umas bolachas no bolso e corro para o local combinado onde já se encontram alguns daqueles que serão os meus companheiros de viagem...

.A crónica completa sobre Persépolis pode ser AQUI.
.A crónica completa sobre os Túmulos de Naqsh-e Rostam pode ser lida AQUI.






.DIA 4

CONHECER A CIDADE HISTÓRICA DE SHIRAZ
Pela primeira vez nesta viagem apeteceu-me preguiçar e dormi até depois das oito. 
Já não estou no mesmo hotel. Por intermédio do grupo de franceses que conheci durante a visita a Persépolis, consegui alojamento numa guesthouse bastante porreira e com um preço ainda melhor.
Estou a pagar 600.000 IR por um quarto com w.c. partilhado, pequeno almoço e wi-fi.
Tomo um duche rápido, petisco qualquer coisa e saio quase de imediato. Hoje é o único dia que tenho para explorar Shiraz e não quero perder muito tempo...
.A crónica completa sobre este dia pode ser AQUI.






.DIA 5

VIAGEM PARA YAZD E PRIMEIRO CONTACTO COM O LADO MAIS CONSERVADOR DO IRÃO
Deixei Shiraz à quase quatro horas e ainda tenho mais duas pela frente. O autocarro onde me encontro deve levar no máximo umas dez pessoas, todas elas locais.
Apetece-me dormir mas não consigo, muito por culpa dos filmes que passam na televisão com o volume estupidamente alto e nem os tampões para os ouvidos conseguem atenuar aquele ruído incomodativo.
Nesta espécie de tortura matinal, entretenho-me a observar as paisagens que desfilam para lá janela e me ajudam a passar o tempo enquanto percorremos a longa estrada que avança deserto adentro. Há um bom bocado que não passamos por nenhuma aldeia e os carros que connosco se cruzam são cada vez menos....
.A crónica completa sobre este dia pode ser AQUI.






.DIA 6
DAY TRIP A KHARANAQ, CHAK CHAK E MEYBOD
Na noite anterior quando fui jantar ao Silk Road Hotel, conheci o Olivier e o Adrian, um francês e um dinamarquês super boa onda com quem bebi umas cervejas sem álcool e fiquei à conversa durante um bom bocado. Ao que parece no dia seguinte iriam ambos fazer uma day trip a umas aldeias históricas situadas ao redor de Kashan.
Convidaram-me para me juntar a eles e meia dúzia de horas depois aqui vou eu numa carrinha que avança deserto adentro.
Além de mim e dos "amigos" que conheci na véspera vai também uma Polaca, uma Holandesa, um casal de velhotes Alemães que se sentem visivelmente deslocados e três Chinesas que neste momento e apesar de praticamente não falarem Inglês são o principal foco de animação...
.A crónica completa sobre este dia pode ser
 AQUI.






.DIA 7

KASHAN REVELA-SE EM TODO O SEU EXPLENDOR
Yazd fica para trás.
Pela primeira vez desde que estou no Irão viajo de comboio e a experiência até agora não podia ser mais positiva. Cómodo, limpo, rápido e mais barato que o autocarro.
Sigo em direção a Kashan onde irei permanecer nos próximos dias, só ainda não sei quantos.  
O dia ainda agora nasceu. O comboio vai quase vazio e as poucas pessoas com quem divido esta carruagem estão quase todas a dormir.
As três horas que dura a viagem passam quase tão rápido como as paisagem que desfilam do outro lado da janela.
Chego, e já no apeadeiro sou obrigado a tirar o casaco. São nove da manhã e o sol não dá tréguas. Sou o último a abandonar a estação e no exterior não me deparo com taxistas chatos...
.A crónica completa sobre este dia pode ser AQUI.






.DIA 8

UM DIA PARA CONHECER AS DUNAS DO DESERTO DE MARANJAB
Não há atrasos. Ás nove horas eu e o Gregory estamos no local combinado com o taxista, que chega pouco depois e parece trazer companhia. 
Dentro do carro vem um cliente de última hora, que se juntará a nós. É o Damien, um Polaco que tal como eu também se encontra a viajar pelo Irão durante dez dias.
O objetivo de hoje é visitar as dunas do Deserto de Maranjab e o Lago de Sal. 
Enquanto avançamos por entre o caos das ruas de Kashan, o driver pergunta-nos se queremos ir conhecer o Mausoléu do Mohammed Halal Ibn Ali, situado na cidade vizinha de Aran...
.A crónica completa sobre este dia pode ser 
AQUI.






.DIA 9
PERDER-SE E ACHAR-SE NAS RUAS DE ABYANEH E REGRESSO A TEERÃO
Antes de seguir para Teerão não posso deixar de visitar esta pequena aldeia com mais de 1500 anos, situada numa área montanhosa a sul de Kashan.
Ás nove horas, como combinado, encontro-me com o taxista que me pergunta se não me importo de partilhar o táxi com um casal de Suíços.
Não me oponho desde que os vinte euros que havíamos combinado sejam divididos pelos três, e além disso até é melhor ter mais alguém com quem conversar.
O "driver" faz um telefonema e logo depois arrancamos na direção de um hotel ali perto onde ao que parece, iremos recolher os novos passageiros.
O Thomas e a Rachel juntam-se a nós e contrariamente ás expectativas iniciais constato que são pessoas de poucas palavras. Afinal, ter companhia pouco alterou a viagem.
Vou tentando quebrar aquele gelo com algumas perguntas de circunstância mas...
.A crónica completa sobre este dia pode ser AQUI.






.DIA 10

VISITAR TEERÃO ANTES DO REGRESSO A CASA
Sabia que com a minha chegada a Teerão, chegava também o derradeiro dia desta viagem. Na próxima madrugada estarei de regresso a casa, mas antes que isso aconteça quero tirar o máximo partido da minha curta passagem pela capital. 
Ainda que inicialmente me sinta um pouco perdido, deixo que seja a cidade a pautar o ritmo da visita e me mostre os encantos que se escondem para lá do trânsito caótico presente nas principais artérias. Neste ambiente frenético opto por acalmar o ritmo imposto ao corpo nos dias anteriores e foco a minha atenção nos mercados, nos museus, nos palácios e mais uma vez na simpatia das pessoas que continuam a fazer questão de me transmitir a sua hospitalidade.
A noite cai e já no aeroporto revejo mentalmente todos os momentos vividos durante esta viagem. Solto um sorriso porque na bagagem levo uma mão cheia de estórias para contar, a maior delas é aquela que me mostra que nem sempre devemos acreditar naquilo que não conhecemos. É importante ver para querer, e eu estive lá e testemunhei que o Irão é talvez o mais incrível país que tive a oportunidade de visitar. 







INFORMAÇÕES ÚTEIS:

-O QUE VESTIR NUMA VIAGEM AO IRÃO:
Uma vez que o Irão é um país muçulmano é importante ter em conta a maneira como nos vestimos durante a nossa visita ao país. De forma a não ferirmos suscetibilidades e acima de tudo para respeitarmos a cultura local, é aconselhável tentar manter-se dentro dos padrões utilizados pelos habitantes do país. 
.HOMENS: Os homens, e como seria de esperar, gozam de uma certa liberdade na forma de vestir ainda que estejam privados de usar calções e calças curtas. Se em tempos a utilização de t-shirts de manga curta estava proibida, atualmente e cada vez mais essa restrição está a cair em desuso, parecendo já só fazer sentido em algumas áreas mais rurais e conservadoras do país.
.MULHERES: Ainda que lentamente os tempos estejam a mudar, o sexo feminino ainda tem muitas imposições no que à indumentária diz respeito. O corpo assim como braços e pernas deverão permanecer sempre cobertos com roupas que não marquem demasiado a silhueta. Por outro lado os pés poderão manter-se visíveis, pelo que o uso de sandálias não lhe trará qualquer problema.
Um lenço (hijab) que lhe cubra a cabeça e os cabelos é uma das peças de vestuário fundamentais para qualquer mulher que viaje para o Irão.
Ainda que o dress code seja bastante limitado, não existe qualquer impedimento no que ás cores diz respeito, sendo comum o uso de lenços e outras peças de vestuário de tons fortes por parte das mulheres iranianas.


-O DINHEIRO NO IRÃO:
.A moeda usada é o real iraniano e poderá ser adquirida em qualquer casa de câmbio local durante a sua viagem país. Euros e Dólares trocam-se com facilidade um pouco por toda a parte.
.No Irão, o uso de cartões de crédito está bastante limitado, sendo ainda assim possível realizar pagamento desta forma em alguns estabelecimentos comerciais que trabalham com parceiros no estrangeiro. Mais uma vez convém salientar que esta situação é bastante rara.
.Ainda que existam máquinas ATM um pouco por todo o país, os cartões de débito estrangeiros não funcionam em nenhuma delas. 
.Tendo em conta todas estas limitações é altamente aconselhável que na sua viagem ao Irão se faça acompanhar de uma quantia monetária que faça face a todas as suas possíveis despesas.



PARA SABER MAIS SOBRE AS NOSSAS VIAGENS E VER AS FOTOS DESTE E DE OUTROS DESTINOS ACOMPANHE O DIÁRIO DAS VIAGENS NAS REDES SOCIAIS:

Sem comentários:

Enviar um comentário