sábado, 13 de setembro de 2014

HEY MALTA... ESTAMOS EM MALTA!

Bandeira oficial da republica de Malta

Pois é amigos, estamos em Malta.

Desta vez, e como só disponhamos de uma semana de férias, decidimos vir conhecer este pequeno país (um dos mais pequenos do mundo) situado algures no mar mediterrâneo entre o norte de África e a Europa.
Hoje em dia a sua localização é uma mais valia, sobretudo no que diz respeito ao turismo, mas nem sempre foi assim. Houve alturas em que o seu privilegiado posicionalmente geográfico levou a que o território fosse ferozmente disputado por diversas nações onde se incluem os Fenícios Romanos, Árabes, Normandos, Espanhóis, Franceses e Britânicos.

Estes últimos chegaram mesmo a governar o país por vários anos.
Em 1964 Malta declara a sua independência e em 1974 torna-se uma república.
Atualmente, e tal como Portugal, é um dos vinte e oito membros da União Europeia.


INFORMAÇÕES ÚTEIS:

-Nome oficial: República de Malta

-Capital: Valletta
-Lingua oficial: Maltês, Inglês
-Moeda: Euro (€)
-Fuso horário: CET (UTC+1)
                       CEST (UTC+2) verão
-População: 412.966 habitantes

Malta é formada por um arquipélago de três ilhas. A maior chamada precisamente ilha de Malta, que é onde vamos ficar instalados e onde passaremos grande parte dos nossos dias. É também aqui que se situa a capital do país: Valletta.
As outras ilhas mais pequenas, chamadas de Gozo e Comino (que também visitaremos) situadas na costa noroeste, são facilmente acessíveis via marítima a partir da ilha "principal".


Mapa do território de Malta
Nós e à semelhança de praticamente 90% dos "turistas" que visitam o país, chegámos de avião e a porta de entrada foi o aeroporto nacional. Nos outros 10% estão incluídos os que chegam nos navios de cruzeiro que atracam diariamente no porto de La Valletta, os que vêm nos férrie's provenientes da Sicília e também muito provavelmente alguns emigrantes ilegais que "penetram" no território vindos em pequenos barcos desde a costa do norte de África.

Os procedimentos de entrada no território e para quem chega de um dos 22 países da união europeia que assinaram tratado de Schengen (onde se incui Portugal) basta apresentar o BI, CC ou passaporte.

Os visitantes portadores de passaportes Brasileiros válidos por, no mínimo, 6 meses podem ingressar por um período de até 90 dias, na categoria de turista sem necessidade de visto.

Depois dos procedimentos fronteiriços, o objectivo é deixar o aeroporto e arranjar transporte para chegar ao local onde iremos ficar alojados.

No nosso caso e como vamos permanecer por uma semana, a melhor solução é comprar um bilhete valido por sete dias que custa 21,00 Euros (adultos) 15,00 Euros (crianças)  e nos permite utilizar os autocarros em toda a ilha principal. O ingresso pode ser adquirido dentro do aeroporto,no balcão da companhia de transportes local (Arriva).

Balcão de venda de bilhetes para bus
A verdade é que por aqui a rede de transportes é relativamente fiável e como a ilha tem uma área de somente duzentos e quarenta e seis quilómetros quadrados, esta parece ser a opção mais pratica e barata.

Mapa que mostra a rede de Bus em Malta e Gozo.
No exterior do aeroporto podemos apanhar o bus X4, X5 ou X7 que seguem directamente para Valletta, ou o X2 se queremos ir para St. Julian's e Sliema.

Autocarros (bus) que circulam por todo o país
E é precisamente em Sliema que ficámos instalados. Esta zona é em conjunto com St.Julien's a área mais turística de Malta e por uma questão de preço a nossa escolha recaiu sobre a primeira, pois foi aqui que encontrámos o hotel mais económico. Além disso ficámos não muito longe da costa e perto das paragens de bus o que nos facilitou e muito as nossas deslocações.
Como tínhamos programado explorar tanto a ilha principal como as de Gozo e Comino, a partir deste ponto conseguimos sair de manhã bem cedo e regressar ao final do dia.

Permanecemos em Malta uma semana e na nossa opinião é tempo mais que suficiente para visitar os principais locais de interesse do país (tanto na ilha principal como nas de Gozo e Comino).

Estas são algumas informações úteis que achámos interessante partilhar com quem nos segue e que tenha ficado com vontade de visitar e conhecer este pequeno país carregado de história, com um tempo bastante agradável, boa comida e pessoas super simpáticas.



PARA SABER MAIS SOBRE AS NOSSAS VIAGENS E VER AS FOTOS DESTE E DE OUTROS DESTINOS ACOMPANHE O DIÁRIO DAS VIAGENS NAS REDES SOCIAIS:

5 comentários:

  1. Olá João e Paula! sabem dizer-me quais as companhias que voam para Malta? Para ir de Portugal para Malta quais os vôos e sabem se os preços são acessíveis? Beijinhos e obrigada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Filipa.
      Pelo que sabemos,não existem voos directos de Portugal para Malta.
      Mesmo no nosso caso (que vivemos em Bruxelas) tivemos de ir a Eindhoven apanhar o avião.
      De Portugal existem varias companhias que (incluindo a Tap e a Air Malta) que fazem essa rota mas com escala noutro país.
      A maneira mais económica de chegares a Valletta,será talvez via Barcelona ou Madrid com a Ryanair (foi precisamente essa companhia que nos transportou).
      Acabei de fazer uma pesquisa rápida e deu para ver que existem voos Madrid-Valleta-Madrid por cerca de 80 euros.https://www.bookryanair.com/SkySales/Booking.aspx?culture=pt-pt&lc=pt-pt#Select
      De qualquer maneira podes sempre usar o motor de busca http://www.skyscanner.net para encontrares o voo que mais te convêm.
      Obrigado por nos seguires.
      Beijinhos para ti e um grande abraço ao Bruno.

      Eliminar
    2. Pois... é um destino que gostava de ir um dia. Obrigada e beijinhos!

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Estivemos e para falar verdade foi uma das grandes surpresas desta viagem.Gostamos muito de Mdina e Rabat.Brevemente iremos escrever uma crónica sobre a nossa passagem por lá...Fica atento!

      Eliminar