sexta-feira, 19 de setembro de 2014

.VALLETTA,COMO OCUPAR UM DIA NA CAPITAL.

Valletta,a inevitável porta de entrada.

Malta pode ser uma pequena ilha,mas é com certeza um grande destino onde podemos passar uma semana de ferias sem nos aborrecermos.
Com séculos de historia e com paisagens lindíssimas,Malta conquista qualquer um e no dia que regressarmos a casa estaremos completamente rendidos ao encanto Maltês.

Tal como o país,a cidade de Valleta tem uma área relativamente pequena que se percorre facilmente a pé,e mesmo apesar dos muitos pontos de interesse,na nossa opinião um dia chega perfeitamente para ficarmos a conhecer a capital. 
Valletta nasceu numa pequena colina e algumas das suas ruas e ruelas estreitas muitas delas "decoradas" com as típicas varandas coloridas de madeira são de tal maneira inclinadas que a ascensão se torna uma verdadeira aventura.
Na capital Europeia da Cultura em 2018 podemos ainda encontrar bonitos jardins,Palacetes que outrora pertenceram a famílias nobres,muitas igrejas e a zona antiga de onde destacamos o forte e o porto (o maior do país).
O mar esse que está omnipresente e que por aqui brilha num azul diferente daquele que estamos habituados a ver e que em conjunto com o céu e a cor ocre das casas fazem com que qualquer passeio pela cidade se transforme numa experiência apaixonante.

Hoje partilhamos com quem nos segue um roteiro,que vos irá manter ocupados durante um dia.




1.Porta da Cidade
Inevitavelmente,o ponto de partida para qualquer passeio pela cidade de Valletta terá de ser a porta da cidade.
Em Maltês pronuncia-se Bieb il-Belt,e no momento da nossa passagem este espaço encontrava-se em obras e pouco deu para ver.
Originalmente chamava-se Porta de San Giorgio e foi construída entre 1566 e 1569 durante o regime do Grão mestre Jean Parisot de Valette como entrada principal da fortificação que protegia a cidade naquela altura.Mais tarde em 1632 a porta foi substituída por outra mais ornamentada composta por três arcos.
Ao longo dos anos o local tem vindo a sofrer consecutivas alterações (cinco no total) e atualmente é exactamente isso que está a acontecer.
Em 2011 iniciaram-se os trabalhos de modernização da porta e das áreas envolventes.


Porta da Cidade
2.Antiga Ópera
Logo a seguir à porta da cidade,do lado direito podemos ver algumas colunas que resistiram ao tempo e que nos relembram que neste local já existiu algo importante...
Em tempos deve ter sido um dos edifícios mais elegantes da capital,mas hoje em dia pouco resta da antiga ópera construída em 1873 que durante a segunda guerra mundial foi directamente atingida pelos bombardeamentos que a reduziram a escombros.
Apesar de já por diversas vezes terem sido feitos projectos de reconstrução a verdade é que até agora ainda não foi possível trazer de volta à vida este edifício.
Mesmo em ruínas o espaço continua a receber espetáculos artísticos,concertos e peças de teatro.


Antiga Ópera

Antiga Ópera

Antiga Ópera
3.Albergue de Castilha,Léon e Portugal
Nas traseiras da antiga ópera fica um bonito e imponente edifício.
Este Albergue é um dos sete que foram construídos no sec.XVI para os cavaleiros da ordem de S.João.Este em particular recebeu os que representavam Castilha,Léon e Portugal.
Mesmo não sendo possível visitar o interior vale a pena passar por este local nem que seja só para admirar a incrível fachada de estilo barroco que ainda conserva o escudo de Espanha e Portugal por cima da janela central.

Albergue de Castilha e Portugal

Escudo de Portugal por debaixo da bandeira do lado direito


4.Upper Barrakka Gardens
A uma curta distância do Albergue de Castilha ficam estes luxuriantes jardins onde podem fazer uma pausa no vosso passeio e aproveitar para se refrescarem nas muitas sombras aqui existentes.
No grande espaço decorado com vários arcos (chamado de Belvédère) terão a melhor e mais fantástica vista panorâmica sobre o "Grand Harbour" e onde pela primeira vez poderão ver o mar que brilha num azul radiante.
Em baixo encontra-se uma zona chamada de Saluting Battery de onde diariamente ao meio dia é disparada uma salva de canhão,em frente vêm-se claramente as três cidades (Vittoriosa,Senglea e Cospicua) que iremos visitar num dos próximos dias.


Upper Barrakka Gardens


Upper Barrakka Gardens


Belvédère


Belvédère


As três cidade vistas do miradouro Belvédère

5.Triq ir Repubblika
Depois de visitar os jardins,fazemos o caminho inverso e regressamos praticamente ao local onde iniciámos o dia,para a partir daí começarmos a percorrer a principal avenida de Valletta.
Esta artéria é praticamente toda pedonal e percorre a capital de uma ponta a outra desde a porta da cidade até ao forte St.Elmo.Além de muitas lojas,bares,restaurantes e esplanadas,aqui também estão situados alguns locais históricos que merecem ser visitados.
Não esquecer de parar aqui e ali nas transversais que vamos cruzando para observar os típicos prédios com as suas varandas de madeira coloridas.



Triq ir-Repubblika

Triq ir-Repubblika
6.Co-Catedral de S.João
Sensivelmente a meio da Triq ir-Repubblika viramos à direita,entramos na Triq San Gwann e poucos metro depois damos de caras com a fachada de estilo barroco do mais importante espaço religioso católico de Valletta.A primeira impressão não vai ser com toda a certeza de deslumbramento,pois o que vemos por fora não condiz minimamente com a beleza interior deste local.
Depois de ver a fachada,é tempo de voltar á Triq ir Repubblika,pois a entrada na catedral é feita a partir daí.
É normal que se deparem com uma fila relativamente grande á porta,pois este é provavelmente o local mais visitado da capital.
Nota importante:Os visitantes devem estar vestidos correctamente e não esquecer que os sapatos de salto agulha não são permitidos,visto que podem danificar o chão.
Será aqui que vão gastar os primeiros euros (6 euros),mas podem estar descansados que vai ser certamente o dinheiro mais bem empregue do dia.
Mal entramos somos completamente abafados pela grandiosidade e riqueza do que nos rodeia.
Na nave principal (longa e estreita) a decoração foi pensada e executada de forma a que nenhum pormenor tenha sido deixado ao acaso.Cada espaço das paredes,colunas,tecto e chão encontram-se preenchidos seja com esculturas,pinturas e pedras tumulares de mármore.
De ambos os lados da nave podemos ver diversas capelas (nove no total) cada uma dela representando as varias nações da ordem de S. João (a de Castilha,Léon e Portugal é a segunda à direita em frente da entrada,n°15 no mapa que nos é fornecido com o bilhete).
O ingresso também dá acesso ao museu da catedral,onde além de alguns "tesouros" religiosos temos a oportunidade de ver duas pinturas originais de Caravaggio.

-Preço do ingresso-6 euros
-Entrada pela Triq San Gwann
-Aberto de segunda a sexta feita das 09:30 as 16:30 (ultima entrada 16:00).
-Aberto também aos sábados 09:30 as 12:30 (ultima entrada 12:00).


Fachada da Co-Catedral de S.João
Interior Co-Catedral de S.João

Altar Co-Catedral de S.João

Capela de Castilha,Léon e Portugal


7.Palacio do Grão Mestre
Depois de sair da Catedral,continuamos o passeio pela Triq ir-Repubblika e só precisamos de caminhar alguns metros para chegar a uma praça (Misrah San Gorg) onde se encontra outro dos ícones da cidade.
Do lado direito ergue-se o Palácio do Grão Mestre e tal como a Catedral o que vemos por fora não nos seduz nem nos dá grande motivação para entrar.
Esqueçam as aparências encham-se de coragem,paguem dez euros pelo bilhete e temos a certeza que não se iram arrepender.
Este palácio construído no sec.XVI para servir de residência aos Grão Mestres da ordem de S.João esconde um interior suntuoso.
As várias salas divididas em dois andares todas elas decoradas com bom gosto estão dispostas em volta de um pátio interior.
Lá dentro e com o mesmo bilhete que compramos à entrada é também possível visitar a sala das armas.

-Preço do ingresso-10 euros
-Entrada pela Triq il-Merkanti
-Aberto de segunda a sexta feita (exepto quinta feira) das 10:00 as 16:30 (ultima entrada 16:00).
-Aberto também aos sábados e domingos das 09:00 as 16:30 (ultima entrada 16:00).


Palácio do Grão Mestre

Interior
8.Caffé Cordina
Por esta altura a barriga já deve estar a reclamar e a nossa sugestão para o almoço é uma suculenta pizza no Caffé Cordina.
Por dois ice tea e uma Pizza que dividida pelos dois chegou perfeitamente,pagamos 12 euros.
Este é o mais antigo café desta área e também o mais frequentado por turistas.Foi fundado em 1837 e atualmente é uma autentica instituição.
Nada melhor que saborear uma deliciosa refeição na bonita esplanada situada ao longo da rua principal,mas não se esqueçam de entrar nem que seja por alguns minutos,para verem o magnifico interior do estabelecimento...Vale mesmo a pena!


Caffé Cordina

Esplanada

Interior

9.Misrah San Gorg
Já com o estômago aconchegado continuamos o passeio.
A esta hora do dia o calor não dá tréguas e como tal aconselhamos voltar à praça 
Misrah San Gorg para contemplar com mais calma o edifício do Palácio da Justiça ao mesmo tempo que nos refrescamos nos vários repuxos que emergem do chão.






10.Lower Barrakka Gardens e memorial aos mortos da 2°Guerra Mundial
É a partir daqui que deixamos a Triq ir-Repubblika e entramos na Triq L-Arcisqof (do lado esquerdo do palácio do Grão Mestre).Continuamos calmamente por esta rua estreita e praticamente deserta até alcançarmos a costa direita da península de Valletta.
Alguns metros mais adiante encontram-se os "Lower Barrakka Gardens".
Este é outro dos espaços verdes da capital e muito idêntico ao que vimos no inicio do dia (Upper Barrakka Gardens).
Do Lado contrario (basta atravessar a rua) está situado um memorial aos mortos da 2° Guerra Mundial.
Trata-se de uma construção simples mas cheia de significado.
Todas as horas do dia e da noite o enorme sino toca em memória dos que perderam a vida na fatídica guerra.


Lower Barrakka Gardens

Memorial aos mortos de 2°guerra mundial

Memorial aos mortos de 2°guerra mundial

Memorial aos mortos de 2°guerra mundial

11.Forte St.Elmo
Prosseguimos a nossa caminhada pela costa direita da península e chegamos ao Forte de St.Elmo (nome dado em honra ao padroeiro dos marinheiros).
Esta antiga fortaleza foi construída em 1552 para guardar e proteger o "Grand Harbour" e também o porto de Marsamxett.
Apesar de não estar aberto ao público vale a pena passar por este local para mais uma vez  apreciar as belas paisagens marítimas ao mesmo tempo que podemos observar a ilha Manoel e a zona de Sliema (do lado direito) e Vittoriosa e Senglea (à esquerda).


Forte St.Elmo

Forte St.Elmo

12.Museu Nacional da Guerra
Por agora mantemo-nos nesta área e convidamo-vos a visitar o Museu Nacional da Guerra instalado no Forte St.Elmo.Aqui está guardada uma interessante coleção de objetos que testemunham as dificuldades vividas pelo povo Maltês durante a 2°Guerra Mundial.
Além de enumeras fotos que mostram o estado de grande destruição em que Valletta se encontrava após os intensos bombardeamentos sofridos durante esse período,também podemos ver alguns aviões que defenderam a ilha quando Itália declarou guerra a Malta em 1940.
-Preço do ingresso-10 euros
-Aberto todos os dias da semana das 10:00 as 17:00.


Museu Nacional da Guerra

Museu Nacional da Guerra

Museu Nacional da Guerra

13.Teatru Manoel
Se seguirmos pela Triq it-Teatru L-Antik (do lado esquerdo do Palácio da Justiça) vamos encontrar a alguns quarteirões mais à frente o histórico Teatru Manoel,mandado construir em 1731 pelo Português e antigo Grão Mestre António Manoel de Vilhena.
O interior é extremamente rico e todo ele decorado em estilo barroco.
O preço de entrada (5 euros) inclui a utilização de um audio-guia bastante útil que conta a historia do teatro desde a data da sua construção até aos dias de hoje.
-Preço do ingresso-5 euros
-Aberto de segunda a sexta feita (exepto quinta feira) das 10:00 as 13:00 e das 17:00 as 19:00
-Aberto também aos sábados das 10:00 as 13:00


Teatru Manoel
António Manoel de Vilhena

Teatru Manoel

Teatru Manoel

Teatru Manoel

14.Igreja Carmelitani
Por esta altura o dia já se encontra praticamente no fim,mas ainda teremos tempo para visitar a bonita igreja Carmelitani,situada não muito longe do Teatru Manoel.
Poderemos dizer que esta é só mais uma das muitas dezenas de igrejas existentes,mas é talvez a única que poderá ser avistada de qualquer ponto da cidade,devido à sua grandiosa cúpula prateada.
O interior é extremamente simples e depois de termos visto,durante o dia de hoje,locais tão espampanantes,a verdade é que poderemos até ficar um pouco decepcionados.
Seja como for e como estamos tão perto,achamos que vale a pena entrar nem que seja só para admirar a enorme cúpula oval tal como o seu bonito altar.
Como é um local pouco procurado por turistas,arriscam-se a ter o espaço só para vós,o que acabará por ser o tónico ideal para descomprimir e terminar o dia em beleza.


A cúpula pode ser avistada de praticamente toda a cidade

Interior

Cúpula

Altar

Depois de um dia a explorar a bonita cidade de Valletta e para quem está hospedado na área de Sliema,sugerimos que apanhem um ferry e façam a travessia do pequeno "estreito" que separa Sliema da margem esquerda da capital.
O bilhete custa apenas 1,50 euros e apesar da viagem não demorar mais de dez minutos,temos a certeza que vai ser extremamente reconfortante observar o por do sol e ver Valletta e a sua cor dourada de uma posição privilegiada.


Valletta


Esperamos que este roteiro vos seja útil.
Boa Viagem!

.Aqui ficam as restantes crónicas da nossa passagem por a Malta:
Gozo
Blue Lagoon/Comino
Sliema,Floriana e as Três Cidades
Mosta,Mdina e Rabat
Hypogeum de Hal Saflieni e os Templos de Minajdra e Hagar Qim

Podem acompanhar as nossas viagens e ver as fotos deste e de outros destinos na pagina do Diario das Viagens no Facebook.

****Os preços e horários apresentados são referentes ao período da nossa passagem (Setembro de 2014) e obviamente estão sujeitos a alterações.

2 comentários:

  1. Como estou prestes a partir para Malta li e tirei notas com o maior interesse. Na volta, direi mais!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para nós malta revelou-se uma agradável surpresa.
      Aproveita porque há muito para conhecer.
      Boa viagem.

      Eliminar