terça-feira, 12 de dezembro de 2017

.GILI AIR,INDONÉSIA-ONDE O MAR É MAIS AZUL


Depois de dois dias fantásticos despedimo-nos de Gili Trawangan.
Ás primeira horas da manhã apanhamos o barco que nos transportará por não mais de trinta minutos até à ilha vizinha de Gili Air que pouco a pouco vai crescendo no nosso campo de visão.O desembarque é feito sem pressas e logo ali à saída daquele pequeno e rudimentar porto cruzam-nos com dois ou três homens montados nas suas carroças que tentam vender os seus serviços aos passageiros mais carregados.











Bastam meia dúzia de passos pelas ruas de terra que serpenteiam por entre habitações simples e pequenos comércios para percebemos que aqui o ambiente é claramente mais tranquilo quando comparado com o que testemunhámos nos dias anteriores.Só as carroças que se cruzam conosco e as praias de areia branca com águas translúcidas é que parecem terem sido transportadas de Gili Trawangan para esta espécie de paraíso onde aparenta reinar uma paz e uma tranquilidade infinitas. 






Passados dois dias,Gili Air não desiludiu e quando chegou a altura de nos despedirmos,já fazíamos planos para um dia regressar.

.COMO CHEGAR?
-Seja para quem se encontra em Bali ou Lombok é extremamente fácil chegar tanto a Gili Air como ás ilhas Gili vizinhas.
Praticamente todos os transfere's incluem transporte de bus desde o hotel em Kuta,Ubud ou Amed até ao porto de Padang Bai,local onde a viagem continua de barco por mais um par de horas até ao areal da ilha escolhida.
Este serviço tem um custo que varia entre 200.000 IDR e 350.000 IDR.

-O transporte entre as ilhas Gili é assegurado duas vezes por dia por uma embarcação local e tem um custo que oscila entre 35.000 IDR e os 40.000 IDR.
Este trajecto dura aproximadamente 30 minutos.
-Tivemos a informação não confirmada de que por 100.000 IDR existe um barco rápido que realiza este mesmo serviço de hora a hora,permitindo a deslocação em cerca de 10 minutos.

.ONDE DORMIR?
Com a crescente procura,vão aparecendo cada vez mais opções de alojamento que apesar de simples,têm na sua maioria as condições necessárias para proporcionar ao visitante uma estadia confortável.
A nossa escolha de alojamento foi perfeita.
Depois de alguma pesquisa descobrimos uma guesthouse onde ficámos instalados num acolhedor bungalow com direito a w.c. privativo com duche de água quente,pequeno almoço e até a uma bebida de boas vindas.
A Nelly Homestay situa-se na costa oeste da ilha,num local tranquilo,a dois passos das praia,assim como de vários restaurantes e bares.

.O QUE FAZER?
A ilha é pequena e à parte das típicas atividades balneares pouco mais existe para ocupar o tempo.A palavra chave para quem se desloca até Gili Trawangan é relaxar,ainda assim e para quem não consegue ficar parado durante muito tempo,partilhamos uma curta lista de atividades.-Alugar uma bicicleta e percorrer a estrada que circunda a ilha.
-Parar aqui e ali nas varias praias existentes.Muitas delas sem qualquer presença humana.
-Fazer snorkel e deliciar-se com os bonitos corais,peixes coloridos e talvez com uma ou outra tartaruga.
-Para quem tem PADI,é possível embarcar num tour e mergulhar ao largo de Gili Air e ilhas vizinhas.
-Assistir ao lindíssimo nascer e por do sol enquanto se banha nas águas pintadas de tons prata.
-Percorrer o interior da ilha,meter conversa com os habitantes e absorver um pouco da cultura local.
-Acabar o dia e descontrair num dos vários bares existentes ao longo da rua principal.

-OUTRAS CRÓNICAS SOBRE A INDONÉSIA:




  Podem acompanhar as nossas viagens e ver as fotos deste e de outros destinos na pagina do Diário das Viagens no Facebook.

Sem comentários:

Enviar um comentário