terça-feira, 16 de junho de 2015

VISITAR A ILHA DE SÃO MIGUEL, AÇORES - DIA 1

O que visitar nos Açores, Roteiro completo para visitar São Miguel, Açores

Não queremos estar aqui a fazer publicidade a nenhuma companhia aérea, mas a verdade é que esta viagem só foi possível devido ás excelentes tarifas praticadas pela Ryanair que por menos de 70 euros por pessoa nos permitiu chegar desde Bruxelas a Ponta Delgada.
Nesta primeira fase, optámos por ficar em São Miguel uma boa parte dos dez dias que iria durar esta viagem, pois para além de ser a maior das nove ilhas que compõem o arquipélago era também aquela que mais curiosidade nos despertava.

Assim que chegámos não perdemos tempo e quase de imediato pegámos no carro que alugámos previamente na empresa Sete Lombas, e lançámo-nos à descoberta da zona oriental da ilha. O trajecto que idealizámos para o dia de hoje é bastante simples de realizar e passa por uma série de pontos de interesse. 



Deixámos Ponta Delgada pela estrada que vai para Relva e logo depois desta pequena povoação virámos à direita na direção do Pico do Carvão. Este caminho revelou-se de extrema beleza e só tivemos pena que as tão famosas hortenses ainda não estivessem totalmente floridasÀ medida que subimos, vamo-nos também afastando do litoral e pouco a pouco somos envolvidos pelos tons verdes que parecem estar presentes um pouco por toda a parte.

Chegámos então ao Miradouro do Pico do Carvão onde realizámos a primeira paragem do dia. Daquele ponto elevado consegue-se ter uma vista fantástica sobre grande parte da zona central da ilha assim como da costa norte. 




Voltámos à estrada e logo depois fazemos nova pausa, desta vez para nos deliciarmos com uma daquelas paisagens que têm o condão de nos deixar sem palavras.
Subimos uma ladeira com uma inclinação considerável, e
stacionámos o carro e sem dificuldades chegámos às margens das Lagoas Empadadas, duas bonitas lagoas encaixadas no meio de uma antiga cratera vulcânica.



Deixámos as lagoas e não precisámos de andar muito para voltarmos a fazer nova paragem. Logo ali, mesmo ao lado da estrada principal, avistámos um antigo aqueduto que se alonga por alguns metros e onde aproveitámos para tirar algumas fotos.


A próxima paragem aconteceu na Lagoa do Canário, à qual acedemos através de um caminho de terra batida. Para chegar ás margens de lagoa estacionámos o Hynday num pequeno parque e descemos por um pequeno trilho que nos conduziu até bem perto daquele espelho de água.


Não ficámos por aqui muito tempo uma vez que o nosso principal objectivo era alcançar o Miradouro da Grota do Inferno, situado alguns metros mais adiante.
Se já estávamos rendidos aos encantos e ás paisagens da ilha de São Miguel, o que testemunhámos neste local deixou-nos completamente sem palavras. Diante dos nossos olhos tínhamos provavelmente um dos cenários mais incríveis que seguramente iríamos ter o privilégio de contemplar durante esta viagem pelo arquipélago.
Após uma íngreme 
subida, alcançámos um ponto onde um trilho nos conduz através de uma estreita "língua" de terra limitada, de ambos os lados, por escarpas com várias centenas de metros. Lá em baixo podemos ver em segundo plano a Lagoa das Sete Cidades assim como as Lagoas Rasa e de Santiago. 



Depois de cerca de uma hora de contemplação voltámos à estrada e só foram precisos alguns minutos para alcançarmos um dos principais cartões postais da ilha de São Miguel.
O Miradouro da Vista do Rei oferece aos visitantes uma visão fantástica sobre a Lagoa das Sete Cidades e é muito provavelmente a imagem mais fotografada dos Açores.
Daquele local estratégico podemos ver claramente a diferença de cores que caracteriza este local e que é visível com mais intensidade nos dias de sol.
As lagoas são na realidade uma só e ocupam uma gigantesca caldeira vulcânica que é atravessada por uma ponte que ajuda a acentuar a diferença de tons existentes de ambos os lados.


Embora o principal ponto de observação seja o Miradouro da Vista do Rei, existe outro local de onde podemos ter uma vista ainda mais espetacular.
O antigo Hotel Monte Palace, situado a escassos metros do miradouro, encontra-se atualmente em ruínas e está acessível a todos aqueles que se quiserem aventurar no seu interior. Se se sentir confiante para o fazer, lance-se à descoberta deste local e suba até aos pisos superiores de onde conseguirá não só ter as melhores vistas sobre a lagoa mas também de toda a área envolvente.


É importante voltar a referir que o espaço está completamente em ruínas e que é preciso ter algum cuidado ao circular no seu interior (as escadas não têm corrimões e os poços dos elevadores não possuem qualquer tipo de proteção).


Regressámos ao volante do nosso Hyundai, andámos alguns quilómetros para trás até que começámos a descer. Antes de chegarmos à ponte que divide e atravessa a Lagoa das Sete Cidades ainda 
fizemos uma curta pausa no Miradouro do Cerrado das Freiras


A primeira etapa do dia terminou na vila das Sete Cidades onde almoçámos umas deliciosas bifadas no pão num restaurante situado a dois passos da Igreja de S. Nicolau. 
Já de barriga cheia aproveitámos para passear um pouco pelas margens da lagoa azul.



Ao início da tarde arrancámos em direção à vila de Mosteiros, uma pequena povoação situada à beira mar que é famosa pelas suas belas piscinas naturais formadas a partir de estranhas formações vulcânica. 
Com o calor a apertar não resistimos e refrescámo-nos naqueles tanques naturais de águas translúcidas. 


Passámos ali bons momentos e acabámos por ficar naquele local mais tempo do que inicialmente tínhamos previsto e no fim ainda percorremos a pé o trajeto que vai desde as piscinas até aos ilhéus de Mosteiros.


Deixámos a vila de Mosteiros e iniciámos a derradeira etapa do dia.
Nessa tarde ainda realizámos algumas paragens, a primeira delas no Farol da Ponta Da Ferraria que segundo nos tinham dito, seria possível visitar. Infelizmente o local encontrava-se encerrado, e no tempo que ali andámos, nunca encontrámos ninguém que nos pudesse fazer aceder ao interior deste que é o segundo mais antigo farol da ilha dos Açores. Fica para a próxima!


Contudo a nossa passagem pela Ferraria não iria ser em vão. Logo ali, a dois passos do farol, fomos conhecer as Piscinas Naturais de Origem Vulcânica da Ferraria.
O espaço é composto por um tanque de pedra vulcânica proveniente de uma antiga erupção e no interior do qual é possível ir a banhos. Até aqui nada de novo!
A singularidade deste local está no facto de em certos pontos a piscina ser alimentada por água quente que brota do interior da terra, a uma temperatura incrivelmente elevada.


Este foi o local onde havíamos previsto terminar o dia e foi precisamente isso que aconteceu. Foi já com o sol a ameaçar beijar o horizonte que regressámos a Ponta Delgada

PARA SABER MAIS SOBRE AS NOSSAS VIAGENS E VER AS FOTOS DESTE E DE OUTROS DESTINOS ACOMPANHE O DIÁRIO DAS VIAGENS NAS REDES SOCIAIS:

10 comentários:

  1. Olá,

    desde já vos felicito por um blog tão fantástico como o vosso. Na próxima semana irei estar em São Miguel para um batizado. Como irei com a minha familia e com os meus pais irei alugar uma carrinha de 7 lugares.

    Será possível fazer com uma carrinha numa manhã (cerca de 4 horas) este roteiro:

    - Ponta Delgada;
    - Miradouro Pico do Carvão;
    - Empadadas
    - Lagoa do Canário;
    - Miradouro Grota do inferno ( o caminho é muito mau? dá para ir de carro? Visto os meus pais já terem uma certa idade?);
    - Lagoa das 7 cidades
    - Ferraria

    Desculpem o testamento,

    Obrigada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá.Desde já obrigado pelas palavras e por acompanhares o blog.
      Agora respondendo ás tuas questões.
      Uma vez que só tens quatro horas acho que o itinerário que pretendes fazer é um pouco ambicioso.No teu ligar "deixava cair" Ponta Delgada pois precisas de pelo menos duas horas para ficar a conhecer minimamente a cidade.Quanto ao resto acho que estás mais ou menos à vontade.Quatro horas devem chegar para fazeres o tour,mas tem atenção porque o caminho desde o parque de estacionamento até miradouro da Grota do Inferno é sempre a subir.As piscinas naturais da Ferraria também ficam um pouco distante do parque de estacionamento.

      Eliminar
  2. Obrigada Paula e João. Ajudaram bastante mesmo!!! Só mais uma última questão:

    A subida para o miradouro grota do inferno dura mais ou menos quanto tempo?

    Obrigada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para chegares ao miradouro entras pelo portão que dá acesso à Lagoa do canário e depois de veres a Lagoa voltas a entrar no carro e segues até ao parque de estacionamento que se encontra mais à frente.Desde o parque até ao miradouro são talvez uns cinco minutos a andar sempre a subir.Não deixes passar essa oportunidade pois este local é um dos mais fantásticos da ilha de S.Miguel.
      Esperamos ter ajudado.
      Se tiveres mais duvidas estás à vontade...
      Nao sei se já segues a nossa pagina Facebook onde partilhamos fotos,videos,infos e dicas de todas a nossas aventuras:
      https://www.facebook.com/diariodas.viagens

      Eliminar
  3. Bom dia, Irei a S. Miguel em Agosto, tenho estado a fazer o meu roteiro, tendo de o adaptar ao tempo que estarei na ilha, menos um dia que vocês. Para já gostava de saber se há indicações na estrada sobre a existência dos miradouros ou de como lá chegar. Obrigada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá.
      Sim existem indicações em todos os locais e também de como lá chegar.É extremamente fácil circular na ilha e o mapa que tenho no inicio da crónica (e que podes pedir no posto de turismo do aeroporto) é suficiente para te orientares.De qualquer maneira podes sempre pedir indicações ás pessoas na rua,são super simpáticas e sempre prestáveis.
      Boa Viagem. :)

      Eliminar
  4. Bonita reportagem. Eu adoro os Açores e nunca me canso de ver estas paisagens. De cada vez que lá vou é com puro espanto que vejo tudo como se da primeira vez se tratasse. Obrigada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É sem dúvida uma região repleta de paisagens lindíssimas e onde iremos seguramente regressar.
      Boas viagens.

      Eliminar
  5. Obrigado pela excelente documentação. Muito útil a quem está a organizar a sua viagem. Boas rotas e boas vibes.

    ResponderEliminar