quinta-feira, 24 de setembro de 2015

.PARQUE NACIONAL DOS LAGOS PLITVICE



Eram cinco da manhã quando a alvorada nos foi imposta pelo alarme dos nossos telemóveis que tocavam em simultâneo e que muito provavelmente também impuseram um doloroso despertar aos nossos vizinhos do quarto ao lado.
Saímos da cama com alguma dificuldade,mas completamente conscientes que aquele pequeno sacrifício seria amplamente recompensado dentro de algumas horas.Ao terceiro dia chegava o momento que tanto aguardávamos.O "programa" de hoje iria levar-nos a conhecer o Parque Nacional dos Lagos Plitvice onde com toda a certeza iríamos viver o ponto alto desta nossa viagem pela Croácia.
Carregámos o carro com as mochilas e todos os nossos "pertences",programámos o GPS e ainda de noite sob um céu estrelado fizemos-nos à estrada.
Hoje não teríamos autoestradas.Seríam cerca de 75Km's de estradas de montanha com muitas curvas mas de uma enorme qualidade.
Aquela hora circulámos sempre sem companhia o que até foi bom.Deu para acelerar um pouco,mas sempre com enorme cuidado não fossemos encontrar algum policia madrugador disposto (e com toda a razão) a mostrar-nos que o código da estrada é para cumprir.
Tivemos sorte,ninguém nos chateou e eram sete horas quando chegamos ás imediações  dos famosos lagos.



Quando entrámos no parque de estacionamento número dois (que custa 7 Kn/hora) ficamos espantados com a quantidade de carros que já ali se encontravam.Afinal não fomos os únicos a ter a "brilhante" ideia de chegar cedinho!
Com o Opel Corsa bem estacionado,comprámos os bilhetes (110 Kn por pessoa)para o Parque Nacional onde passaríamos grande parte do dia e lá seguimos em direção à entrada principal.



Pelo caminho passámos pelo hotel do parque que mesmo apesar de caro,deu para perceber que é bastante utilizado por visitantes que muito provavelmente chegaram na noite anterior ou por outros que passam mais de um dia no parque.
Perto da entrada encontra-se um enorme mapa onde com bastante detalhe estão assinalados todos os trilhos que os visitantes podem percorrer assim como a distância e a duração total de cada um.




Decidimos de imediato que realizaríamos o Trilho H com inicio na área mais alta do parque.Para podermos chegar ao ponto de partida seria necessário apanhar um autocarro que ficámos a saber só partiria dentro de meia hora.
Aproveitámos esse tempo para comermos as sandes que tínhamos preparado para o pequeno almoço!



À hora marcada lá seguimos a bordo do bus que percorreu uma estreita estrada pelo meio da floresta e a espaços íamos tendo os primeiros vislumbres de alguns dos lagos.
Cerca de quinze minutos depois,nós e as outras trinta pessoas fomos "despejados" no ponto de partida.Como ainda era cedo,sabíamos que aquela hora não encontraríamos ninguém a fazer o trilho no sentido contrário e como o próximo bus só ali chegaria dentro de meia hora,decidimos deixar toda a gente avançar para que pudéssemos caminhar sozinhos e assim desfrutar ao máximo da beleza e da paz daquele paraíso.Além disso assim conseguiríamos tirar fotos sem nos preocuparmos com "emplastros" indesejados.
Não foi preciso esperar muito para que ficássemos finalmente sozinhos.Só nós e a natureza,só nós e a incrível beleza daquele lugar.



O inicio do treck leva-nos através de um passadiço de madeira que parece flutuar nas águas calmas e incrivelmente translúcidas.Aqui não há a mínima presença de poluição,as águas dos 16 lagos que compõe o parque devem ser das mais puras do mundo.




Fomos avançando lentamente,parando praí de dois em dois minutos para tirar fotos,ora pelos passadiços de madeira ora em terra firme.No momento que vimos a primeira cascata (ainda que pequenina) parecia que tínhamos diante nós uma daquelas quedas de água com várias dezenas de metros de altura.Mal sabíamos o que nos esperava!



Como o trilho teve inicio nos lagos superiores,o trajecto levou-nos progressivamente até níveis mais baixos,sempre rodeados de floresta.Quase sem darmos por isso chegámos ao Grande Lago (Kozlak) assim chamado por ser o maior do parque estendendo-se por aproximadamente 4 Km's.Aí apanhámos um barco elétrico que nos transportou até à margem oposta onde se inicia a zona dos lagos inferiores.
O dito barco tinha um nome que nos deixou um tanto ao quanto apreensivos,mas a viagem acabou por correr sem incidentes!



Foi a partir daqui que acabou o nosso sossego.A maioria dos visitantes que percorrem o parque vêm inseridos em excursões ou grupos acompanhados por guias e somente percorrem os trilhos mais curtos,todos eles situados nesta área.É precisamente neste ponto que vários caminhos se fundem!
Tentado sempre abstrairmo-nos da falta de educação de alguns turistas que falam alto (para não dizer gritam),correm e em muitos casos se metem propositadamente à frente de quem está a tirar fotos,lá continuámos o passeio na nossa e quanto mais descíamos mais azuis as águas ficavam e maiores se tornavam as cascatas.Um regalo para os olhos!




Se o passeio em si já nos oferece momentos únicos,rodeados de paisagens de sonho a verdade é que no final  somos presenteados com um magnífico exemplo da incrível força da natureza.Diante nós temos a Grande Cascata (Veliki Slap) de onde milhares de litros de água tombam de uma altura de 78 metros,proporcionando um espetáculo digno de ser visto pelo menos uma vez na vida.




A partir daqui basta seguir as indicações para a entrada número um,por um caminho que nos obriga a subir abruptamente e lá do alto temos a última mas privilegiada visão da grande cascata assim como de alguns dos lagos inferiores com as sua águas azul turquesa.






Deviam ser umas duas da tarde quando apanhámos o bus que nos levou de regresso ao parque número dois.
Este foi sem dúvida o melhor dia que passámos na Croácia.Penso que todas estas palavras nunca conseguirão transcrever e transmitir a incrível beleza dos Lagos Plitvice.
Durante o tempo que permanecemos no parque tirámos várias centenas de fotografias. Deixamo-vos algumas imagens que talvez vos consigam ajudar a perceber o que vimos.















Todas as expectativas que trazíamos foram amplamente superadas.O Parque Nacional dos Lagos Plitvice faz parte dos locais protegidos pela UNESCO como património da humanidade e é um verdadeiro jardim do Eden.
A nossa viagem à Croácia podia muito bem acabar neste momento que já tinha valido a pena.Se o mítico shangri-la alguma vez existiu seria provavelmente algo muito parecido com o que vimos hoje.

****Os preços e horários apresentados são referentes ao período da nossa passagem (setembro de 2015) e obviamente estão sujeitos a alterações.


Podem acompanhar as nossas viagens e ver as fotos deste e de outros destinos na pagina do Diario das Viagens no Facebook.

5 comentários:

  1. Bela crónica e belas fotos. Estou cheia de vontade de "copiar" este vosso roteiro pela Croácia. Só conheço Zagreb (e mal) e quero mesmo muito conhecer outros locais do país, incluindo os lagos. Fico a aguardar as próximas crónicas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelas palavras Marta.
      Durante a nossa viagem pela Croácia conhecemos e visitamos locais incríveis e de grande beleza,mas sem duvida que o ponto alto foi a visita ao Parque dos Lagos Plitvce.As crónicas restantes vão sair muito em breve.A próxima vai ser sobre Split (de todas as cidades que visitámos na Croácia foi a que mais nos fascinou).Boas viagens.

      Eliminar
  2. Parabens pela reportagem e fotos. Obrigado pel apartilha

    ResponderEliminar
  3. Grandes fotos e grande reportagem. Parabéns. Agora também eu quero ir lá!

    ResponderEliminar