quinta-feira, 17 de setembro de 2020

DE LAMEGO A TAROUCA PELO VALE DO VAROSA

VISITAR O VALE DO VAROSA

A estrada é boa mas as sucessivas curvas fazem com que conduza com cuidados redobrados e mesmo que aqui e ali seja difícil manter a concentração perante a beleza das paisagens, esforço-me para que o meu olhar não se desvie muito do tapete de asfalto. Sobre nós, o céu está imaculadamente azul, pronto para receber o sol que já nasceu mas ainda não ganhou altura suficiente para aparecer para lá das escarpas que se erguem a várias dezenas de metros e que hoje, tal como no passado, parecem abraçar quem por ali passa. De ambos os lados da estreita faixa de alcatrão, o solo rochoso é ocupado na sua maioria por vinhedos de onde pendem generosos cachos de uvas que por esta altura já aparentam estar prontos para a vindima.
Lá em baixo, no ponto onde as serras se unem, as águas do Rio Varosa avançam sem grandes pressas em direção ao grande Douro, como se aproveitassem para desfrutar da sua fugaz passagem pela região. Ocasionalmente atravessamos pequenas aldeias que convidam a uma paragem para um café ou simplesmente para matar a sede no chafariz público que desde à séculos e de forma ininterrupta continua a abastecer a população. 
Olhamos à volta e constatamos que estamos longe de tudo. O centro urbano de Lamego já há muito que ficou para trás e percorremos agora uma área do país rica em lendas e histórias que falam de uma comunidade de monges que poderá estar ligada à fundação de Portugal.
O cenário diz-nos que estamos oficialmente no Vale do Varosa e esta viagem de dois dias será certamente fértil no contacto com a natureza, na descoberta de património histórico e na degustação da gastronomia típica. E é exatamente isto que procuramos. Num verão atípico, em que tudo se fez para valorizar o turismo interno, percebemos que este é ainda um daqueles pedaços de Portugal que não aparece sinalizado nos guias turísticos mas para nós é e será um dos tesouros mais valiosos do território nacional. Melhor assim...

Visitar o Vale do Varosa

Visitar o Vale do Varosa

Visitar o Vale do Varosa

Visitar o Vale do Varosa

Visitar o Vale do Varosa

Visitar o Vale do Varosa


O VALE DO VAROSA, A ORDEM DE CISTER E AS ORIGENS DE PORTUGAL 
Foi nestas terras que nos século XII se estabeleceu uma comunidade de monges ermitas que mais tarde acabaria por integrar a ordem religiosa de Cister, responsável pela construção de alguns dos monumentos Cistercienses presentes no nosso itinerário pela região. 
São diversos os edifícios de arquitetura românica espalhados numa área entre as cidades de Lamego e Tarouca que pelo legado deixado nos convidam a viajar até ás origens de Portugal. 
Ainda que possam existir outros motivos de interesse, neste roteiro optámos por incluir aqueles que segundo pesquisámos se destacam pela sua importância histórica, estado de conservação e beleza arquitectónica. 

OS MONUMENTOS HISTÓRICOS E RELIGIOSOS PRESENTES NO VELE DO VAROSA:

.CAPELA DE SÃO PEDRO DE BALSEMÃO
Muitas são as teorias sobre a origem e o período cronológico desta pequena capela situada a meia dúzia de quilómetros da cidade de Lamego. Os sinais arquitectónicos presentes nos detalhes e na decoração interior levam os especialistas a tirar diferentes conclusões sobre a data da sua construção inicial. Polémicas à parte uma coisa é certa, a Capela de S.Pedro de Balsemão é (apesar do seu aspeto simples) um dos mais valiosos monumentos presentes no Vale do Varosa. 
  • O acesso à Capela de S.Pedro de Balsemão é gratuito.
Vale do Varosa - CAPELA DE SÃO PEDRO DE BALSEMÃO

Vale do Varosa - CAPELA DE SÃO PEDRO DE BALSEMÃO

Vale do Varosa - CAPELA DE SÃO PEDRO DE BALSEMÃO


.IGREJA E MOSTEIRO DE SANTA MARIA DE SALZEDAS
Na área mais central da pequena aldeia de Salzedas ergue-se este antigo complexo monástico que hoje tal como no ano da sua construção continua a marcar a sua posição de destaque no quotidiano das gentes locais. A partir da monumental igreja temos acesso à sacristia, a um museu no qual se encontra exposto um valioso espólio de arte sacra e ao que resta do imponente claustro. 
  • O acesso à Igreja de Santa Maria de Salzedas é gratuito ao passo que a visita ao Museu, Sacristia e Claustro tem um custo de 3 euros.
  • Devido ás restrições causadas pelo vírus Covid19, a visita ao Mosteiro de Santa Maria de Salzedas e ao Claustro deverá ser agendada com antecedência através do SITE oficial do Vale do Varosa.
Vale do Varosa - IGREJA E MOSTEIRO DE SANTA MARIA DE SALZEDAS

Vale do Varosa - IGREJA E MOSTEIRO DE SANTA MARIA DE SALZEDAS

Vale do Varosa - IGREJA E MOSTEIRO DE SANTA MARIA DE SALZEDAS


.IGREJA E CONVENTO DE SANTO ANTÓNIO DE FERREIRIM
Atualmente já pouco resta da construção original deste antigo complexo monástico ainda que a sua importância histórica se mantenha inalterada. Muitas das estruturas ali existentes que no século XVI acolheram uma comunidade de monges Franciscanos sucumbiram ao passar dos tempos e hoje, nada mais resta, que as histórias de um passado glorioso ainda presentes no lindíssimo altar da Igreja, nas tábuas pintadas pelos denominados mestres de Ferreirim ou na torre fortificada que teima em não se deixar cair.
  • O acesso à Igreja de Santo António de Ferreirim é gratuito ao passo que a visita ao Museu tem um custo de 3 euros.
  • Devido ás restrições causadas pelo vírus Covid19, a visita ao Mosteiro Santo António de Ferreirim e ao Museu deverá ser agendada com antecedência através do SITE oficial do Vale do Varosa.
Vale do Varosa - IGREJA E CONVENTO DE SANTO ANTÓNIO DE FERREIRIM

Vale do Varosa - IGREJA E CONVENTO DE SANTO ANTÓNIO DE FERREIRIM

Vale do Varosa - IGREJA E CONVENTO DE SANTO ANTÓNIO DE FERREIRIM


.ALDEIA DE UCANHA E A SUA PONTE FORTIFICADA
Das várias dezenas de aldeias vinhateiras que cruzaram o nosso caminho durante o passeio pelo Vale do Varosa, nenhuma parece ter argumentos estéticos suficientes para suplantar Ucanha. Dos momentos que ali passámos, gostámos especialmente de percorrer as ruas estreitas de onde despontam as casinhas coloridas e no final, já com o sol a fugir no horizonte, atravessámos a Ponte Fortificada que desde o século XII liga as duas margens do Rio Varosa.
  • O acesso à Ponte e à Torre Fortificada é gratuito.
Vale do Varosa - PONTE FORTIFICADA UCANHA

Vale do Varosa - PONTE FORTIFICADA UCANHA

Vale do Varosa - PONTE FORTIFICADA UCANHA


.IGREJA E MOSTEIRO DE SÃO JOÃO DE TAROUCA
Nesta viagem pelo Vale do Varosa guardámos o melhor para o fim. Se a visita à Igreja de São João de Tarouca já era motivo suficiente para nos deslocarmos a este local encravado entre as encostas vinhateiras da Serra de Leomil, aproveitámos para valorizar ainda mais a nossa passagem pela região para conhecermos as ruínas do antigo mosteiro ali existente de forma a entender e saber um pouco mais sobre a história da Ordem de Cister. Segundo os registos este foi o primeiro monumento religioso de origem Cisterciense erguido no território nacional e está diretamente ligado à fundação de Portugal.
  • O acesso à Igreja de São João de Tarouca é gratuito ao passo que a visita ao Centro Interpretativo e Ruínas do Mosteiro tem um custo de 3 euros. 
Vale do Varosa - IGREJA E MOSTEIRO DE SÃO JOÃO DE TAROUCA

Vale do Varosa - IGREJA E MOSTEIRO DE SÃO JOÃO DE TAROUCA

Vale do Varosa - IGREJA E MOSTEIRO DE SÃO JOÃO DE TAROUCA


OUTROS LOCAIS VISITADOS DURANTE ESTA VIAGEM PELO VALE DO VAROSA:

.LAMEGO
Lamego é na nossa opinião um excelente ponto de partida para todos os que se querem lançar à descoberta do Vale do Varosa. Esta é para nós uma cidade especial, onde nos sentimos bem e à qual regressamos sempre que temos oportunidade. Património histórico, cultural e religioso, boa comida, boa gente, bom espumante e um ambiente ainda relativamente calmo quando comparado com outros centros urbanos. Um dia será suficiente para subir ao Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, ao Castelo, para visitar o Museu de Lamego, as caves Raposeira e no final da tarde ainda terá tempo para beber um refresco nas esplanadas presentes na Avenida Dr. Alfredo Sousa. 
.A CRÓNICA COMPLETA COM TUDO O QUE PODE VISITAR EM LAMEGO PODE SER LIDA AQUI.

Visitar Lamego - Vale do Varosa

Visitar Lamego - Vale do Varosa

Visitar Lamego - Vale do Varosa


.CASCATAS E PRAIAS FLUVIAIS DO RIO VAROSA
O Rio Varosa é literalmente a peça central desta região e muitas são as paisagens naturais de beleza extrema criadas pelas suas águas. Destacamos as diversas praias fluviais que ajudam a refrescar o corpo nos dias de maior calor e também as cascatas formadas pelos declives geológicos existente ao longo do seu curso que nos "obrigaram" a parar por diversas vezes.

Visitar o Vale do Varosa

Visitar o Vale do Varosa

Visitar o Vale do Varosa

INFORMAÇÕES ÚTEIS:

.O BILHETE HERITAGE TOUR (VALE DO VAROSA + MUSEU DE LAMEGO) 
Se tal como nós tem o objetivo de percorrer toda a região do Vale do Varosa complementando a visita com uma passagem pela cidade de Lamego, sugerimos então que adquira (por 9 euros) o ingresso heritage que combina as entradas em todos os monumentos pagos do Vale do Varosa assim como o acesso ao bem organizado Museu de Lamego. Desta forma poderá realizar uma poupança de 3 euros, uma vez que quando comprados separadamente os ingressos para cada um deste locais terão um valor total de 12 euros.

.ONDE DORMIMOS
Estrategicamente situado a dois passos da pitoresca aldeia de Ucanha, o Hotel Quinta do Lameiro foi o local escolhido para pernoitarmos durante a nossa passagem pelo Vale do Varosa. O espaço é constituído por oito bungalows equipados com cozinha e casa de banho privativa. As acomodações encontram-se completamente integradas na paisagem natural envolvente, proporcionando ao hóspede uma estadia tranquila. Para além da excelente localização, destacamos também a piscina, o estacionamento privativo e o farto pequeno almoço servido na zona de refeições situada num edifício contíguo. 
.A CRÓNICA COMPLETA SOBRE A NOSSA ESTADIA NO HOTEL QUINTA DO LAMEIRO PODE SER LIDA AQUI.

Visitar o Vale do Varosa - Quinta do Lameiro

Visitar o Vale do Varosa - Quinta do Lameiro

Visitar o Vale do Varosa - Quinta do Lameiro

-VISITÁMOS O VALE DO VAROSA COM O APOIO DA REDE DE MONUMENTOS DO VALE DO VAROSA.


PARA SABER MAIS SOBRE AS NOSSAS VIAGENS E VER AS FOTOS DESTE E DE OUTROS DESTINOS ACOMPANHE O DIÁRIO DAS VIAGENS NAS REDES SOCIAIS:

Sem comentários:

Enviar um comentário