segunda-feira, 14 de maio de 2018

.PEQUIM-GUIA PRÁTICO


O desejo de regressar a Pequim acompanhava-me desde que em 2011 me despedi desta cidade que é muito mais que a capital de um dos maiores países do mundo.
Passaram quase oito anos e sem surpresas o tão desejado objetivo acabou por se cumprir.
Parece que pouco mudou. Os cheiros e os sons que pairam no ar e me acompanham enquanto vou percorrendo as ruas desta grande metrópole, rapidamente me transportam para os momentos vividos aquando da minha derradeira visita...é uma espécie de déja vu!

Entretanto faço uma pausa. Aproveito para beber uma chávena de chá numa pequena loja, continuando pouco depois o meu caminho, possivelmente seguindo os mesmos passos que um qualquer antigo Imperador.
Ou talvez não....pois os imperadores raramente deixavam os palácios e estas ruas modernas também não existiriam nessa altura!

Tradicional mas vibrante, Pequim é uma cidade que representa o verdadeiro espírito chinês. É um mundo de contrastes. Um mundo que nos faz sentir pequenos perante a inquestionável riqueza histórica que caminha lado a lado com o desenvolvimento industrial e tecnológico, num equilíbrio quase perfeito.
A movimentada capital chinesa onde hoje circulam milhões de carros, motas e pessoas sempre de olhos postos nos ecrãs dos telemóveis, foi em tempos a peça central de um grandioso império repleto de palácios opulentos, templos religiosos e fortalezas quase intransponíveis. Todos eles de forma heroica resistiram ás agruras dos tempos, permitindo a quem os visita, a realização de uma daquelas viagens ao passado que dificilmente se apaga da memória.

Nesta minha passagem pela China, fiquei quatro dias em Pequim que me deram a oportunidade de conhecer muitos locais que de certa forma têm os condão de nos transportar para os anos áureos tanto do país como da cidade. 

Descobri estórias, pessoas mais ou menos afáveis e sabores que o meu palato desconhecia até então. 

.EXPERIÊNCIAS E LOCAIS A NÃO PERDER EM PEQUIM

-CIDADE PROIBIDA
O maior e mais importante palácio imperial do país é um daqueles locais imperdíveis para quem visita a capital. Entrar na Cidade Proibida é fazer uma viagem ao passado, é ter acesso a um mundo que se manteve fechado ao exterior por mais de 500 anos. São quase 1000 edifícios que hoje nos contam estórias de quando o imperador se passeava no interior deste gigantesco complexo.
A crónica completa da nossa passagem pela Cidade Proibida pode ser lida AQUI.





-PRAÇA TIANANMEN
Este local não passará seguramente despercebido uma vez que se trata da maior praça pública existente no planeta. Foi neste local que decorreram em 1989 os protestos pro democracia, noticiados nas televisões de todo o mundo e que marcaram indiscutivelmente a história do país. O espaço encontra-se rodeado por uma série de edifícios governamentais de onde se destacam o Museu Nacional da China e o Memorial Hall, no interior do qual se encontra exposto o corpo de Mao Tsé-Tung.





-JARDIM JINGSHAN

É na zona norte da Cidade Proibida que fica situado este bonito jardim que em tempos estava diretamente ligado ao grande palácio imperial. Vale a pena subir ao topo da colina ali existente de onde é possível ter uma vista panorâmica de toda a Cidade Proibida.






-TEMPLO DO CÉU
Durante as dinastias Ming e Qing este foi um dos pontos fulcrais do império. Era neste local hoje convertido num jardim público que o Imperador vinha pedir a intervenção divina para que as colheitas fossem prósperas.
A crónica completa da nossa passagem pelo Templo do Céu pode ser lida AQUI.






-PARQUE BEIHAI
Este que é considerado um dos mais importantes espaços verdes da capital, foi para nós uma agradável surpresa, uma vez que nos permitiu assistir ao quotidiano dos habitantes locais que para aqui convergem ao fim de semana ou depois de um intenso dia de trabalho.
A área onde o parque se encontra é enorme e vale a pena guardar uma tarde, de forma a percorrer grande parte do espaço.
Ainda assim este é um dos pontos turístico a ter em conta para quem visita Pequim.





-TEMPLO DOS LAMAS
De todos os templos que visitámos em Pequim este foi talvez aquele que menos nos impressionou. O Templo dos Lamas tem nos últimos anos visto a sua popularidade aumentar e por consequência o movimento de turistas tem crescido de forma desmesurada, abafando por completo o ambiente de calma que supostamente deveria existir. 





-PALÁCIO DE VERÃO

Apesar de se situar já um pouco afastado do centro da cidade, este local não pode nem deve ficar de fora do roteiro daqueles que se lançam à descoberta de Pequim. O Palácio de Verão é hoje tal como no passado o refúgio perfeito para quem se quer afastar da confusão caótica que se vive na capital chinesa. Era para aqui que o imperador se deslocava nos meses de verão de forma a aproveitar o ar fresco que se fazia sentir nessa altura do ano. Este complexo imperial ocupa uma área gigantesca e é composto por palácios, jardins, lagos e templos.






-PARQUE OLÍMPICO
Quase 10 anos passaram desde que a capital chinesa recebeu os sempre mediáticos Jogos Olímpicos. Tal como os testemunhos dos tempos em que o Imperador reinava o país, a cidade orgulha-se de manter também, alguns dos edifícios que acolheram esta importante competição desportiva.
O estádio olímpico e o complexo de piscinas são sem dúvida as peças mais marcantes deste parque situado na zona norte da cidade.






-OPERA DE PEQUIM

 A Ópera de Pequim é um dos mais importantes tesouros culturais do país e tal como acontecia na era imperial, o espetáculo que mistura cores, sons e gestos  apresentado aos espectadores pouco ou nada se alterou.
Todas as noites em diversos locais espalhados pela cidade é possível assistir a esta arte que segundo tivemos oportunidade de constatar é totalmente diferente de tudo o que alguma vez havíamos visto.





-RUA WANGFUJING
Depois de um dia a percorrer os principais monumentos da capital, vale a pena passear de forma tranquila nesta que é uma das mais badaladas artérias de Pequim. Para além dos vários espaços comerciais existentes, esta área é igualmente conhecida pelas bancas de comida que todas as noites se enchem de turistas e se deliciam com as estranhas opções alimentares ali existentes.






-HUTONG'S 
Para lá do progresso que nas últimas dezenas de anos invadiu a cidade e que parece estar a avançar de forma descontrolada, ainda existem locais onde é possível ter uma ideia de como era Pequim na altura em que o Imperador morava para lá das muros da Cidade Proibida.
Estes antigos bairros que de forma quase milagrosa conseguiram resistir aos tempos modernos e nos quais a população mantêm quase intactas as tradições e os modos de vida do passado. 






-TORRES DO SINO E DO TAMBOR
Dois marcos arquitetónicos da antiga Pequim. Para chegar até ás torres do sino e do tambor é necessário perder-se a achar-se no emaranhado de ruas de alguns dos Hutong's da capital.
Se as suas pernas o permitirem sugerimos que suba ao ponto mais alto de cada um dos monumentos e desfrute da deslumbrante vista sobre grande parte da cidade de Pequim.  






-PATO À PEQUIM

É impensável regressar a casa sem provar o prato mais famoso da culinária chinesa. O Pato à Pequim é servido em quase todos os restaurantes da capital, conquistando o palato da maior parte daqueles que se lançam nesta aventura gastronómica. É quase impossível resistir às suculentas tiras de carne crócante acompanhadas pelo delicioso molho adocicado.






-GRANDE MURALHA DA CHINA
Grande Muralha da China é sem sombra de dúvidas o monumento que melhor representa a força e o poder histórico deste país.
São várias as secções acessíveis desde a cidade de Pequim. 
Depois de já termos visitado a congestionada secção de Badaling, achámos que desta vez merecíamos algo mais calmo. Jinshanling foi a escolha e aí tivemos o privilégio de caminhar em prefeita comunhão com a maior estrutura construída pelo homem existente no nosso planeta...só nós e o monumento!
A crónica completa da nossa passagem pela Grande Muralha da China pode ser lida AQUI.






.COMO SE DESLOCAR EM PEQUIM
Com o trânsito caótico que se faz sentir e que na realidade é uma das caracteristicas maiores esta grande metrópole, as deslocações dentro da cidade são por vezes uma tarefa difícil de concretizar. Assim sendo e de forma a contornar este problema, Pequim foi progressivamente sendo equipada com um moderno e bem organizado sistema de transporte subterrâneo que por esta altura desempenha um papel vital no quotidiano dos milhões de habitantes, assim como dos turistas que visitam a cidade. O metro chega praticamente a todo o lado de forma rápida, cómoda e económica sendo na nossa opinião a solução mais viável para quem se quer deslocar pela cidade.





-OUTRAS CRÓNICAS SOBRE A CHINA:


Podem acompanhar as nossas viagens e ver as fotos deste e de outros destinos na pagina do Diário das Viagens no Facebook.

Sem comentários:

Enviar um comentário