sexta-feira, 31 de agosto de 2018

.ROTEIRO PARA 15 DIAS ENTRE BALI E AS ILHAS GILI - INDONÉSIA


Apesar de distante Bali está decididamente na moda, muito por culpa da crescente oferta de passagens aéreas a preços acessíveis. 
Foi precisamente depois de ter aproveitado uma dessas promoções que chegámos à chamada ilha dos deuses. Cinco anos depois estávamos de regresso, e mais uma vez não queremos desperdiçar nem um minuto desta viagem onde temos como objectivo visitar não só Bali mas também as ilhas vizinhas de Gili Air, Gili Trawangan e Gili Meno.
Pela frente tínhamos duas semanas intensas. De carro, barco, mota, a pé ou de bicicleta, estes quinze dias teriam de se adaptar ao roteiro traçado de forma ambiciosa e que incluía a descoberta da cultura local, mergulhos em praias paradisíacas, cascatas perdidas no meio da selva e algumas caminhadas por entre campos de arroz.



.DIA 1
-CHEGADA A BALI
Depois da nossa chegada ao Aeroporto de Denpasar e das devidas formalidades fronteiriças, tivemos o primeiro contacto com a realidade da ilha de Bali onde permaneceremos durante cinco dias. Já passava das onze da noite quando deixamos a área das chegadas e antes de sairmos do terminal trocamos somente o dinheiro necessário para as despesas imediatas.
Esta noite optámos por dormir num pequeno mas aconchegante Hotel situado a pouco mais de cinco minutos do aeroporto.

.DIA 2
-DE DENPASAR A UBUD
Nessa manhã acordámos cedo e envoltos numa estranha tranquilidade, tomámos o pequeno almoço servido a dois passos de um bonito santuário hindu pertencente à família proprietária do hotel.
Aproveitamos a calma matinal e enquanto damos um curto passeio pelas ruas de Denpasar procuramos uma casa de câmbio com taxas atrativas. Troca-se mais algum dinheiro, chama-se um Uber e iniciamos a viagem para norte, na direção de Ubud, local que nos traz ótimas recordações e que nos servirá de base nos próximos dias.
Durante o resto do dia lançamo-nos à conquista, deste que é o principal centro espiritual da ilha. Palácios, templos, campos de arroz e a deliciosa comida local matam-nos as saudades acumuladas ao longo de cinco anos e rapidamente nos voltamos a sentir em casa. Apesar da enorme concentração de turistas, Ubud continua a ter uma magia especial.
Locais visitados: Palácio Real, Templo de Lotus, Floresta dos Macacos, Pura Gunung Lebah, Campuhan Ridle Walk e Espetáculo de danças Balinesas.

Templo de Lotus-Ubud
Templo de Lotus-Ubud
Campuhan Ridle Walk
Floresta dos Macacos-Ubud
Palácio Real-Ubud

.DIA 3
-ALUGAR UMA SCOOTER E CONHECER OS ARREDORES DE UBUD
Um dia passado na estrada com o vento a bater-nos no rosto.
Depois de mais um fantástico pequeno almoço, pegámos na scooter que alugámos no Hotel e partimos à descoberta dos arredores de Ubud. Sem vergonhas a ilha revela-nos toda a sua beleza e a cada nova curva deparamos-nos com cenários idílicos onde o verde é a cor predominante. 
Locais visitados: Goa Gajah, Tagalalang Rice Terraces, Pura Tirta Empul, Pura Gunung Kawi e Tegenungan Waterfall

.A crónica completa sobre os principais locais a visitar em Ubud e arredores pode ser lida AQUI.

Templo Goa Gajah 
Tagalalang Rice Terraces
Pura Tirta Emul
Tegenungan Waterfall
Tegenungan Waterfall

.DIA 4
-À DESCOBERTA DA ZONA NORTE DA ILHA DE BALI
Hoje despedimos-nos de Ubud. 
Acordamos cedo e aos primeiros raios de sol já caminhávamos por entre o emaranhado de bancas do mercado matinal. Adoro assistir à azafama das gentes locais que numa espécie de caos organizado vão comprando e vendendo todo o tipo de produtos. Afinal Ubud também tem um lado mais intimo, de certa forma rural e onde os turistas parecem ser personagens deslocadas da realidade. 
Regressamos ao hotel e à hora marcada encontramo-nos com o taxista contratado na véspera, que respeitando um roteiro por nós traçado nos levará a conhecer alguns locais situados na zona norte da ilha. O dia termina no Hotel que reservámos em Amed
Esta pequena cidade situada na costa Este da ilha será o ponto de partida para a viagem de barco que nos velará até à primeira da Ilhas Gili que iremos visitar.
Locais visitados: Tukad Cepung Waterfall, Ulun Danu Beratan Temple, Lempuyang Temple, Pura Besakih Temple, Gitgit Waterfall e Amed. 

.A crónica completa sobre os principais locais a visitar em na zona norte da ilha de Bali pode ser lida AQUI.

Tukad Cepung Waterfall
Ulun Danu Beratan Temple
Lempuyang Temple
Pura Besakih Temple
Amed

.DIAS 5 A 6
-BANHOS DE MAR, SOL E COCKTAILS EM GILI TRAWANGAN
As ilhas Gili surgiram como a opção mais abordável e onde seguramente iríamos encontrar um ambiente descontraído assim como ótimas praias para desfrutarmos do bom tempo que se anunciava.
Gili Trawangan foi a primeira destas três ilhas que conhecemos e onde decidimos permanecer durante dois dias. Aqui ocupámos o tempo com passeios na praia, com deliciosos banhos de mar e sol e com o inevitável pôr-do-sol que a cada final de tarde coloria o horizonte.

.A crónica detalhada sobre a nossa estadia na ilha de Gili Trawangan pode ser lida AQUI.

Gili Trawangan
Gili Trawangan
Gili Trawangan
Gili Trawangan
Gili Trawangan

.DIAS 7 A 9
-O MAR É MAIS AZUL EM GILI AIR
Depois de dois dias fantásticos despedimo-nos de Gili Trawangan.
Ás primeira horas da manhã apanhamos o barco que nos transportará por não mais de trinta minutos até à ilha vizinha de Gili Air
Bastam meia dúzia de passos pelas ruas de terra que serpenteiam por entre habitações simples e pequenos comércios, para percebemos que aqui o ambiente é claramente mais tranquilo quando comparado com o que testemunhámos nos dias anteriores. As carroças que se cruzam conosco e as praias de areia branca com águas translúcidas, fazem-nos querer permanecer para sempre nesta espécie de paraíso onde aparenta reinar uma paz e uma tranquilidade infinitas.
Em Gili Air ficámos alojados no Nelly Homestay que aconselhamos.

.A crónica detalhada sobre a nossa estadia na ilha de Gili Air pode ser lida AQUI.

Gili Air
Gili Air
Gili Air
Gili Air
Gili Air

.DIAS 10 A 12
-VIVER ENTRE A PRAIA E UMA CABANA NA ILHA GILI MENO
Foi em Gili Meno que escolhemos dar por terminado o nosso périplo pelas paradisíacas ilhas Gili, situadas a poucos quilómetros da costa oeste de Lombok.
Depois de Gili Trawangan Gili Air, chegámos a Gili Meno para mais um par de dias que se não se anunciavam muito diferentes dos anteriores.
De todas, esta é definitivamente a menos turística e aquela onde devido à escassa presença de visitantes tivemos a oportunidade de em certas ocasiões nos sentirmos quase como os únicos ocupantes daquele paraíso perdido nas águas cristalinas do Mar de Bali.

.A crónica detalhada sobre a nossa estadia na ilha de Gili Meno pode ser lida AQUI.


Gili Meno
Gili Meno
Gili Meno
Gili Meno
Gili Meno

.DIAS 13 E 14
-DE REGRESSO A BALI PARA CONHECER UM POUCO DO SUL
Voltámos a Dempasar e ao hotel que nos acolheu no início desta viagem. Estamos cada vez mais perto do final e não nos queremos despedir da ilha de Bali sem conhecer um pouco da zona sul
Mais uma vez optámos por alugar uma scooter e sem grandes pressas percorremos as estradas bem mais movimentadas que as do norte, respeitando religiosamente o roteiro pré estabelecido.


Tanah Lot
Tanah Lot
Paisagem do Sul de Bali
Praia no sul de Bali
Praia no sul de Bali

.DIA 15
-DESPEDIDA E VOO DE VOLTA A CASA 
O dia da partida chegou. Um pedaço de nós ficou em Bali e mais tarde ou mais cedo teremos de voltar para recuperar o que lá deixámos. Por agora ficam as recordações, as fotos e as informações que esperamos vos sirvam de inspiração para uma futura viagem, não só à ilha dos deuses como também a outros locais na Indonésia. 



.INFORMAÇÕES ÚTEIS:

-VISTO
Cidadãos Portugueses estão dispensados de visto para todas as estadias em turismo inferiores a 30 dias.
Depois da chegada ao Aeroporto Internacional de Ngurah Rai e da devida recolha de bagagem, os visitantes são encaminhados para um espaço onde decorrem as habituais formalidades fronteiriças. Uma vez aí, um funcionário procede à verificação do passaporte (que deverá ter uma validade mínima de seis meses) e se tudo estiver em condições poderá então dar início à sua viagem de sonho.

-SAÚDE
Bali assim como as ilhas Gili não são considerados destinos que exigem grandes preocupações a nível de saúde, contudo aconselhamos a realização da consulta do viajante.

-QUANDO VISITAR?
A ilha de Bali fica situada a poucos graus a sul do Equador o que transforma a região num destino tropical, com um clima húmido e quente durante praticamente todo o ano.
O periodo que se estende entre Maio a Outubro é considerada a época seca, na qual haverá maior probabilidade de apanhar melhores dias tanto para passear assim como para fazer praia.
De Novembro a Abril a probabilidade de chuva é relativamente maior.

-O QUE COMER?
Durante as viagens que realizamos fazemos sempre questão de provar a culinária local de forma a enriquecer ainda mais a experiência.
Nesta curta passagem pela Indonésia acabámos por descobrir uma cozinha extremamente rica e que vai muito para além do famoso Nasi Goreng.







-OUTRAS CRÓNICAS SOBRE A INDONÉSIA:
Pode acompanhar as nossas viagens e ver as fotos deste e de outros destinos na página do Diário das Viagens no Facebook. 

Sem comentários:

Enviar um comentário