terça-feira, 30 de agosto de 2016

VISITAR O MERCADO FLUTUANTE DE DAMNOEN SADUAK

Como visitar o mercado flutuante de Damnoen Saduak - Tailândia

Era o nosso último dia em Bangkok. Ainda tínhamos algumas horas até apanharmos o voo que nos levaria a Kuala Lumpur, e como nos dias anteriores já tínhamos visitado a capital da Tailândia, decidimos nessa manhã ir conhecer o famoso Mercado Flutuante de Damnoen Saduak.
Acordámos cedo, fizemos o check out no hotel e dirigimo-nos para as imediações da Khaosan Road onde, numa das muitas agências de turismo da zona, comprámos um tour para conhecer o tão afamado mercado.
Após alguns momentos de espera, nós e os outros turistas, fomos distribuídos por várias carrinhas.
O trajecto ainda é longo. Foram talvez duas horas de estrada com uma curta pausa numa loja onde é comum tentarem impingir aos turistas alguns objectos de qualidade duvidosa.


Chegámos ao mercado Flutuante de Damnoen Saduak pouco depois das nove da manhã e quase de imediato percebemos que àquela hora já nada ou quase nada é feito de forma genuína. É verdade que os habitantes locais ainda ali vão fazer as suas compras quotidianas, mas isso acontece ás primeiras horas da manhã. Naquela altura o espaço já se tinha transformado numa espécie de apresentação para turista ver, na qual são praticados preços altamente inflacionados que nos impediram de comprar aquela lembrança que assinalasse a nossa passagem pela Tailândia. 



Por se tratar de um mercado flutuante, o barco é o meio de transporte por excelência e são muitos a circular pelos canais que compõem o mercado. Na área mais central chegam a ser centenas que, em certas alturas, entopem por completo os estreitos canais.


Também nós queríamos experimentar um passeio naqueles típicas embarcações coloridas, de forma a ter uma perspectiva diferente do mercado e acima de tudo explorar alguns canais mais interiores, onde seguramente encontraríamos um ambiente mais tranquilo.
Afastámo-nos um pouco do sítio onde tínhamos sido descarregados, e não foi necessário andar muito para percebermos que esta foi a definitivamente a atitude mais acertada.
A não mais de cem metros de distância encontrámos um local onde nos pediram metade do preço daquele que alguns dos nossos companheiros pagaram pelo mesmo passeio de barco que duraria os mesmos vinte minutos. 


Achámos aqueles momentos bastante agradáveis, apesar de sermos convidados a cada dez metros para comprar, frutas, chapéus de palha, bugigangas e até carne ou peixe grelhado na hora. Faz parte da experiência e fomos simpaticamente recusando cada uma das investidas.










O passeio terminou e com cerca de uma hora para ocupar, aproveitámos para explorar a pé o passadiço que se estende ao longo do canal principal, onde a certa altura comprámos um cacho de bananas que fez as vezes do pequeno almoço.
Fomos caminhando calmamente e já perto do final fomos confrontados com aquela que achámos ser a vertente menos agradável daquele local. Numa zona especifica cruzámo-nos com vários animais exóticos que são utilizados pelos seus "proprietários" para satisfazer os desejos fotográficos de alguns visitantes menos sensatos que aparentemente pouco se importam de pactuar com esse tipo de negócios.

.LEIA TAMBÉM: DE PHUKET A KOH LIPE, ROTEIRO COMPLETO PARA 12 DIAS DE VIAGEM

Mais à frente, chegámos a uma ponte que por se tratar de um ponto mais elevado, nos permitiu ter uma visão panorâmica sobre o canal principal e de onde conseguimos tirar algumas bonitas fotos.



Para quem não estiver muito virado para passeios a pé e fazer compras, existe sempre a opção de ocupar o tempo num dos muitos cafés espalhados pela área. Nós como já referimos, usámos os minutos que disponhamos para tentar explorar cada canto do mercado.




A visita ao mercado Flutuante de Damnoen Saduak vem descrita em muitos guias de viagem como uma das atividades altamente recomendadas para todos aqueles que visitam Bangkok. Pode-se dizer que é um passeio interessante, ainda que na nossa opinião seja algo completamente virado para o turismo.
Para aqueles que visitam a capital Tailandesa e têm algum tempo livre vale a pena conhecer este local onde, mesmo que de forma artificial, podemos ter uma ideia do antigo estilo de vida das gentes daquela zona.

.AS MONÇÕES NA TAILÂNDIA
Na Tailândia a estação das chuvas divide-se em duas temporadas que por sua vez incidem em duas regiões distintas do país. 
.ENTRE MAIO E OUTUBRO: Se pretender conhecer locais como Bangkok, as Ilhas Phi Phi, Krabi, Railay, Chiang Mai assim como toda as zonas situadas ao longo da costa Ocidental (Mar de Andaman) deverá evitar esta altura do ano uma vez que existe uma maior probabilidade de ocorrência de dias de chuva, acompanhada de céus bastante nublados. 
.ENTRE DEZEMBRO E ABRIL: Se o objetivo é viajar para a costa Oriental (Golfo da Tailândia) não é aconselhável fazê-lo durante estes meses. Locais como Surat Thani ou as ilhas de Koh Samui, Koh Tao, ou Koh Phangan são de evitar nesta altura do ano. 

Ainda que os aspetos acima indicados possam de alguma forma ser tidos em conta no planeamento da sua viagem, vale a pena realçar que a Tailândia é uma das regiões do Sudeste Asiático onde as monções têm por norma um impacto relativamente reduzido, não devendo por isso ser algo que o/a impeça de realizar o desejo de conhecer este país.


PARA SABER MAIS SOBRE AS NOSSAS VIAGENS E VER AS FOTOS DESTE E DE OUTROS DESTINOS ACOMPANHE O DIÁRIO DAS VIAGENS NAS REDES SOCIAIS:

Sem comentários:

Enviar um comentário